O Planeta TV

Qual será A Regra do Jogo da Globo para reconquistar o público perdido?

A emissora aposta em João Emanuel Carneiro, autor de Avenida Brasil.

Por: Jeferson Cardoso

A minha expectativa por A Regra do Jogo é grande. Não sei se será a melhor novela de João Emanuel Carneiro, mas tem todos os ingredientes para ser. Calma, por enquanto estou falando da história. Ainda não estou referindo-me aos números de audiência, até mesmo porque alcançar os números de Avenida Brasil é, para os dias de hoje, sem medo nenhuma de errar, impossível. Enfim, daqui a pouco falo sobre ibope. Voltando à sinopse...

Desde a primeira vez que João Emanuel Carneiro explicou a ideia central de A Regra do Jogo, pensei: que Gênio!. Segue, algumas declarações:

"A Regra do Jogo será em torno de um bandido [Homero] que 'se apaixona pela ideia de ser santo'. Vou mostrar a redenção desse cara. Ele se envolve com duas mulheres (Giovanna Antonelli e Vanessa Giácomo)", revelou ao jornal O Globo

“A Regra do Jogo é qual o limite de cada um arbitrar o que seria intolerável, o que seria imoral, o que seria mau caratismo. Quem vai pro inferno ou pro paraíso? Tem um lado um pouco Você Decide nessa novela. O espectador vai arbitrar um pouco se essa pessoa merece uma chance ou vai pro inferno.”, revelou ao jornal O Estado de S.Paulo.

Sobre o medo de fracassar: "Acho que nenhum escritor pode ter medo do conflito, de temas fortes, de tintas fortes, que é isso que faz a dramaturgia. Tirar essas coisas de uma história que eventualmente não deu certo é acabar de matar a história", explicou em entrevista à jornalista Cristina Padiglione [O Estado de S.Paulo].

"Na verdade, faço a novela muito para mim. Eu sou o primeiro espectador. Nunca penso que estou fazendo a novela para agradar alguém. A novela é para me agradar. É claro que tem que ter bom senso. Não posso fazer uma história de freiras lésbicas assassinas para a família brasileira, alguma autocensura tem que ter."

Uau! Gente, não tem como não ser fã de um autor assim. É como qualquer outro, repete-se, tem vícios, mas sempre de boas ideias. A Regra do Jogo é um folhetim muito clássico, só que com um grande diferencial: a assinatura de JEC, com seu estilo exagerado, dramático e mexicano. Parece uma crítica, mas não é. Adoro as narrativas das obras de João Emanuel Carneiro. É uma das mais completas, com drama, suspense, comédia, e desta vez, com abordagem policial e política.

Foto: Reprodução/Globo

O elenco de A Regra do Jogo é formidável. É enxuto, o que possibilita uma história centrada no protagonista, e de pouquíssimos núcleos. Isso é pra glorificar de pé.

O que esperar de A Regra do Jogo? Uma nova Avenida Brasil? Se Santa Clara abençoar, não. JEC precisa se reinventar para emplacar um novo sucesso. Avenida Brasil é passado e o autor não pode ficar se repetindo com intensidade. Alguns autores tentaram fazer isso recentemente e penaram. A Regra do Jogo, pra mim, no papel [sinopse], apresenta ser muito mais interessante do que A Favorita [a melhor novela do autor] e Avenida Brasil.

JEC não tem a obrigação de alcançar os índices de audiência do passado, mas tem de se inovar. A ideia de A Regra do Jogo é uma prova de seu talento, de que não está acomodado.

Confiante na história, acredito que A Regra do Jogo recuperará, facilmente, o público perdido da Globo na faixa das 21h. De início, não será uma tarefa fácil. No fim, o resultado será satisfatório. Pode não atingir os índices que alguns sonham, mas será considerada um sucesso.

Para o capítulo de estreia, apostarei em 31/32 pontos de média. O importante mesmo é pegar e convencer o telespectador a assistir aos próximos capítulos. Em resumo: não basta estrear bem, o importante é manter.

Para os que julgarão 31/32 pontos como um fracasso, lembro que a antecessora deixou o horário com 25,4 pontos. Portanto, se A Regra do Jogo conseguir, na primeira semana, algo próximo da casa dos 30 pontos, já elevará a faixa em cinco pontos. Na situação em que a Globo se encontra - a ponto de fazer chamada na tela durante a exibição do último capítulo de Babilônia - qualquer ponto para cima é um milagre. #Deboche

Algumas chamadas são fracas, mas no geral são legais. O importante mesmo é o capítulo no ar. Vamos ver se o primeiro capítulo agrada. Espero que a abertura seja muito bem produzida, porque a música escolhida é de chorar.

Acabou!

Como prometido, evitei falar sobre Babilônia. Não posso fazer uma análise da novela porque não assisti, mas preciso fazer um breve comentário do último capítulo.

Um capítulo compactado, muito corrido, mas bom. Não achei tão horroroso como muitos julgaram. E olha que não acompanhei a novela. As vilãs - pra mim o maior erro desta obra - terminaram do jeito que começaram: mortas. A direção deveria ter tido um melhor cuidado na finalização da cena do penhasco. O close no rosto de Gloria Pires e Adriana Esteves acabou com o tesão e deu aquela sensação de frustração.

Achei interessante a narrativa dos dois últimos capítulos desta novela. Foram ágeis e de ótimas cenas. Em alguns momentos, até parecia ser escrita, de fato, por Gilberto Braga. Não sei o nomes dos personagens, então citarei os intérpretes. Arlete Salles protagonizou momentos hilários; achei emocionante, e de bom gosto, a cena que Marcello Melo Jr. ganha medalha de ouro no paratletismo; no penúltimo capítulo, destaco o escândalo armado por Bruno Gissoni durante o casamento do pai. Apesar da péssima interpretação de Gissoni, gostei da mensagem.

Algumas cenas foram mal dirigidas, mas não ridículas como alguns profissionais as chamaram. Não tinha como esperar um milagre desta novela. Os personagens e a história não convenceram. O final, obviamente, para a maioria, seria sem graça. O que não se pode é tratar um produto como "lixo" porque não lhe agrada ou porque se falar mal vai vender, já que o público não tem interesse algum. Não quero defender os autores, mas é preciso ter respeito, principalmente com Gilberto Braga. A maior culpada do fracasso de Babilônia é a própria TV Globo, que aprovou a sinopse e que não soube lidar com rejeição da fraquíssima história apresentada.  

Se Babilônia não fosse um fracasso histórico de audiência e repercussão, aqueles que dizem que é uma novela para esquecer, diriam que valeu a pena a ousadia dos autores. Enfim, não gostei de Babilônia, desde o capítulo de estreia. Antes até, ainda nas chamadas já previa a infantilidade das vilãs. Só não imaginava que a rejeição fosse grande. O motivo do insucesso desta novela (em nível nacional) não sabemos com convicção. É fácil dizer que é culpa da fraca sinopse e da "forte" concorrência. Penso que o público não tem paciência para mesmices. As novelas tem se repetido muito - com temas, elenco, trilha sonora, situações - e está ficando cansativo. É algo a se pensar.

Sobre a audiência final de Babilônia [25,4 pontos], é algo assustador. Fico até com vergonha de comentar. Mas não irei condená-la pelos números, e sim pela fraquíssima sinopse apresentada. Em se tratando de ibope, o fracasso de hoje é o sucesso de amanhã. Lembram de Em Família? Maneco está vingando. E quem garante que daqui a uns 2 anos, Gilberto Braga não estará?

A ordem das 21h

Definida a ordem das próximas novelas das 21h da Globo. Após A Regra do Jogo virá Sagrada Família, de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari; na sequência Gloria Perez; e, por fim, a dupla Thelma Guedes e Duca Rachid.  

Queria entender de quem foi a ideia de tirar Thelma e Duca das 18h. São boas profissionais, mas ainda deveriam ser testadas, talvez às 19h, antes de assumirem a faixa das nove. Ainda bem que Gloria Perez vem antes delas.

No aguardo do sobe e desce de audiência. Rsrsrs.

É fraco

A produção de Xuxa demorou seis meses para produzir bobagem. O programa é inferior a todos aqueles produzidos pela Record. O da Sabrina Sato, por exemplo, é melhor da casa.

Na semana passada, Xuxa estava estranha, principalmente na abertura do programa e durante a entrevista com Zezé di Camargo e Luciano. A apresentadora só foi se sentir à vontade com o bate-papo com Sabrina Sato.

O quadro sobre sexo foi vergonhoso, desde a pergunta de Sabrina a um convidado da plateia às declarações - desnecessárias - da apresentadora.  

Se não melhorar o formato do programa, não vou ter como defender.

É isso. Por que Babilônia fracassou tanto? O final da novela foi ruim? Quais as expectativas de audiência para a estreia de A Regra do Jogo? Gostaram da ordem de autores na faixa das 21h? E Xuxa, aguenta a pressão?

Obrigado pela atenção, e até o nosso próximo encontro.



Publicidade

Comentários (31) Postar Comentário

Sr. Hudson comentou:

Pelo visto a divulgação está a toda, mais chamadas, além de recados ao lado da marca d'água da emissora (igual o SBT faz)


Jeferson Cardoso respondeu:

Pois é, eu vivi para ver a Globo com esse tipo de divulgação. Hahahaha



chapuia respondeu:

Todas fazem um dia isto ua acontecer agora tem até a rastag no esquenta estava em cuma da tela #esquenta


Jonathas comentou:

Não achei Babilonia de todo ruim, principalmente o ultimo capitulo. A novela sofreu boicote da propria emissora, quem dirá os teleespectadores, que sentados atras de um computador escrevem asneiras sem pensar no trabalho que alguem teve pra fazer tal obra ? Enfim, Babilonia tem cara de que seguirá o mesmo ritmo de O Dono do Mundo, daqui alguns anos se tornará "cult" e pode até mesmo vir a passar no Viva, vai saber né, adoram o Gilberto Braga por lá. Me arrisco a dizer que Babilonia só não foi pro fundo do poço, pra lata de lixo completamente por causa do carisma de Gloria Pires e Adriana Esteves, duas das mais queridas atrizes brasileiras, e de Fernanda Montenegro e Nathalia Thimberg, apesar do beijo no capitulo inicial ter sido um dos grandes causadores da fuga do publico. Enfim, não foi uma das melhores novelas do Gilberto, de 0 a 10, dou 5, pelo mérito das atrizes citadas. E Jefferson, tem alguma noticia sobre algum tema abordado na proxima novela da Gloria Perez ? E que venha logo A Gata Comeu no Viva !


Jeferson Cardoso respondeu:

Jonathas, a sinopse da Gloria ainda não foi divulgada. Torcendo para que não seja de cultura estrangeira. Rsrsrsrs Por enquanto, a autora só deu uma pista de qual pode ser o mote da campanha social no seu retorno ao horário nobre. A autora abordará a relação entre professores e alunos nas escolas brasileiras.


Diogo comentou:

Sempre li nessa coluna que vc detestava Avenida Brasil. Agora parece outra pessoa falando.


Jeferson Cardoso respondeu:

Não detestava Avenida. Era uma novela de círculos, e não curtia os núcleos paralelos, só gostava do principal. Também diziam que eu odiava A Favorita porque a considerava absurdamente exagerada. Hahaha. É por isso que penso que a sinopse de A Regra é ótima, se comparada com Avenida. Espero que, no ar, seja.


Heitor Leitte comentou:

Babilônia? É de comer? ...
Também estou ansiosíssimo pra ver meu autor preferido de volta. JEC nunca me decepcionou e aposto todas as fichas nesse jogo rs Na minha opinião A Favorita também foi a melhor dele, mas o que eu quero mesmo é que ele apresente uma trama envolvente que termine o capítulo com a gente querendo mais e sem fôlego. Só fico com o pé atrás é com o Cauã Reymond e mais um personagem com cara de cachorro molhado pra encher o saco a novela inteira. Tomara que nos surpreenda! Quanto a audiência meu coração aposta em 32 e a razão nos 29! Vamos ver no que vai dá!


Jeferson Cardoso respondeu:

Heitor, os 29 são possíveis. Depende da estratégia da Record, se empurrar Os Dez Mandamentos até as 21h45. Mas a Globo também não pode ficar fugindo, jogando a novela das nove até as onze. Não é fácil.


Tite D Avila comentou:

Sobre Babilônia, infelizmente essa obra manchou cinquentenário da Globo, apostaram muito nos embate das vilãs, mas esqueceram o fundamental a história, faltou um casal central e forte para torcer., somou -se a pressão do público conservador e o bom momento da concorrência . Sobre o ultimo capítulo, concordo , foi ágil e compacto, deu -se a impressão de se libertação do folhetim no horário. A regra do Jogo, com certeza, esse novo folhetim de João Emanuel Carneiro, vai ser sucesso, pois ele é um autor que sabe desafiar o público, romper paradigmas e sem esquecer as bases de uma novela


Jeferson Cardoso respondeu:

"Autor que sabe desafiar o público". Arrasou Tite!!!


winter is coming comentou:

impressionante que praticamente ninguem (que eu conheço) gostava de babilônia. essa novela não tinha história. foi uma tortura pra nós noveleiros. gilberto braga desde que firmou parceria com ricardo linhares só fez coisa ruim, salvo um pouco paraíso tropical...
gostei de todas as novelas do JEC e com essa parece que não vai ser diferente. acredito que pode fechar com média geral de 35 pontos. império fechou com 33 e olha que recebia com 15 pontos do horário politico e enfrentou o horário de verão. ARDJ vai enfrentar apenas o horário de verão, mas até lá terá tempo de conquistar os telespectadores.


Jeferson Cardoso respondeu:

Tomara que emplaque de imediato, como Império. ;) Média geral é difícil de chutar, não sabemos o tamanho do estrago de Babilônia em São Paulo. O ibope também é muito instável. Melhor esperar pelo desempenho de duas semanas. Rsrsrs



César Silva respondeu:

Paraíso Tropical foi a melhor novela do Gilberto Braga. PS: foi a única que assisti inteira também, logo, não posso opinar muito. HAHAHA. Mas adorava essa novela.


João comentou:

Sinceramente, estou muito preocupado com a Record. Saudade daquela emissora onde havia jornalismo de qualidade, novelas excelentes e ótimo entretenimento. Hoje, gosto de Os Dez Mandamentos, mas o que será da Record daqui em diante? Vão fazer novelas de todas as partes da Bíblia e quando acabar o livro vão fazer do Alcorão, da Torá... E o jornalismo que vive de sangue e de situações em que a Classificação Indicativa ops.. Censura pouco se importa?
Prevejo que a Record será a nova CNT daqui a alguns anos, é só esperar...


Jeferson Cardoso respondeu:

Temos que torcer pelo sucesso de Escrava Mãe, assim abrem mão das bíblicas. Quem ganha é o público. Sobre o jornalismo "cão", dispenso comentários. Rsrsrs


Vinicius comentou:

Espero que A Regra do Jogo não tenha aquela câmera nervosa que está tendo a nova temporada de Malhação. Aquela câmera é muito estranha.


Jeferson Cardoso respondeu:

Nem fala, fico nervoso só de pensar. Já basta o filtro escuro. Rsrs


Victor H. comentou:

Espero que a regra do jogo seja uma maravilhosa novela e que não se perca igual ao que aconteceu com as últimas do horário. Para a estreia,aposto em 30 pontos e picos de 33.
Sobre babilônia, os principais problemas foram, primeiro, a novela não tinha história e as cenas polêmicas foram tudo jogadas na cara do telespectador (Beijo gay, filha batendo em mãe, assassinato,etc), não houve uma devida apresentação na história desses personagens para o público ir se acostumando. Não condeno o beijo gay, mas,infelizmente o publico mais conservador (O que compõe a maioria)condenou. O segundo foi que Gilberto jogou a novela em cima de João Ximenes e Ricardo Linhares, parecia que ele só analisava os capítulos e nada mais.
Enfim, foram tantos problema que eu nem quero mais lembrar e só agradeço desde já pelo fim desta novela; sobre o último capitulo ele foi muito corrido acho que a cena final deveria ser a de Inês e Beatriz caindo do penhasco. Que venha A Regra do Jogo!


Jeferson Cardoso respondeu:

Victor, concordo com você sobre os erros de Babilônia. Se soubessem apresentar a história, não tinha sofrido tanta rejeição do público conservador. Impéri, por exemplo, tinha tudo para ser rejeitada...


julio comentou:

não gostei de babilônia mais não odiei, tinha algumas cenas até boas.Acho que Duca e Thelma poderão fazer sucesso as 21, se elas fizeram tipo cama de gato mais forte. mas adoro as novelas de época delas as 18. Mas queria ver a Beth jin as 21

Veja também

Publicidade