O Planeta TV

Espelho da Vida: protagonistas chatos e história central inverossímil

Novela das seis da Globo não convence o grande público.

Por: Jeferson Cardoso

Os protagonistas de Espelho da Vida. Foto: Globo

Falar sobre Espelho da Vida é chato. Pensa numa novela cansativa. Na última postagem comentei que não enxergava química entre Vitória Strada e João Vicente de Castro. Além de não ter, os papéis são irritantes. 

Não se trata de uma novela confusa, até que é compreensível. Só não é convincente. É, em alguns momentos, absurda. Veja bem. Outro dia, nas idas e vindas, nas entradas e saídas, daquele maldito espelho, até porque, convenhamos, que coisa chata aquele espelho.... voltando ao raciocínio... Na década de 20, 30, 40, vai saber quando se passa esta novela, Eugênio (Felipe Camargo) pai de Júlia (Vitória Strada) volta de uma viagem, e Cris (Vitória Strada), como um passe de mágica regressa ao passado, se mostra perplexa quando fica frente a frente com o pai de “sua alma”. Numa cena anterior, ela chega a perguntar a empregada como é o rosto de seu pai? Após uma gargalhada, confesso que não consegui segurar os risos, observei que Cris tem o poder de alterar o que aconteceu na vida de Júlia. Oi? Como assim? Que viagem é esta? 

Há quem acredita em espiritismo, encarnação, mas a pessoa ter o dom de mudar o que aconteceu no passado é zuação. Que loucura. Elizabeth Jhin deve estar ganhando pouco para apresentar uma sinopse deste nível.  

Outra coisa que me incomoda, e muito, é a repetição das falas. Num só capítulo, os nomes de Cris e Margot (Irene Ravache) são citados a ponto de tirar um do sério. 

Os núcleos paralelos são tão fracos que dispensam comentários. Às vezes, parece que estou assistindo Malhação. Falando sério, como pode um escritor apresentar uma história com núcleos secundários irrelevantes? 

No quesito audiência, Espelho da Vida alcança o que, por enquanto, merece. Uma média de 19,5 pontos. Lógico que o fracasso de Belíssima e Malhação influenciam diretamente na média final desta historinha das seis, mas ela, durante os 50 minutos em que fica no ar, não consegue elevar quase nada do que recebe. A rejeição é muito grande. A falta de interesse do grande público é notável. Vamos ver como ela irá se comportar durante o horário de verão. Tadinha. Rsrs 

Esfriou!

Continuo acompanhando O Tempo Não Para e gosto. Perdeu um pouco do tesão, de certo que sim, mas continua boa, agradável, divertida. É ágil, mesmo sem cenas de grandes impactos. O texto de Mário Teixeira segue afinado, excelente. 

O ibope caiu um pouco, deveras. Porém, o público não tem como adivinhar o horário de exibição. Há alguns dias, devido ao horário político e futebol, a novela começa cada dia em uma hora diferente, e sempre mais cedo do que o habitual. 

Apesar da queda dos índices, a média geral ainda é boa. Já os rumos de alguns personagens desagradam, pelo menos a mim. O que o autor fez com o casal Elmo (Felipe Simas) e Miss Celine (Maria Eduarda Carvalho)? Daqui a pouco vira uma Totalmente Demais, onde todos os personagens se pegam. É tiro para todos os lados, como se não tivesse uma história para segurar cerca de 150 capítulos. É complicado.

Começo a ficar com o pé atrás. Meu medo é que o encanto se transforma em uma frustração. Mário Teixeira, por favor, não faça isso. Só tem três meses, não vai perder a mão. 

Não deu certo!

Eu segui firme até o centésimo capítulo de Segundo Sol, mesmo insatisfeito com tudo o que vinha sendo apresentado. Desde então, assisto com menos frequência. Assim, evito o estresse e também poupo os meus ouvidos de gritarias e palavrões. 

Não sei o que aconteceu com João Emanuel Carneiro, o primeiro mês da novela parecia que ele estava inspirado. O texto era bom, a trama central tinha uma boa agilidade. Bastaram os núcleos paralelos ganharem destaques para tudo sumir. No início, apenas a direção cometeu erros grotescos, alguns citados aqui neste espaço, mas desde o centésimo capítulo para cá quem está sem rumo é o autor. A explicação da falsa morte de Remy (Vladimir Brichta), um plano de Laureta (Adriana Esteves), acredito que não convenceu nem mesmo os atores que defendem os personagens. Uma vergonha. E a condução da personagem de Letícia Colin? Rosa é uma personagem insuportável, que nem mesmo a ótima atuação da atriz conseguiu salvá-la. E, para piorar a situação, JEC decidiu que a bipolar terminará com Valentim (Danilo Mesquita). Oi? E o amor que ela e Ícaro (Chay Suede) sustentaram a novela toda? 

A certa altura, João Emanuel Carneiro perdeu o tesão com Segundo Sol e decidiu fazer o mesmo que Walcyr Carrasco fez com O Outro Lado do Paraíso: escrever qualquer coisa. Dana-se a coerência.

Foto: Divulgação/TV Globo 
Laureta, que eu defendi como a melhor personagem da novela, perdeu a sua essência após o capítulo 100. Adriana Esteves até mudou o tom, sendo menos sarcástica. É incrível como JEC não conseguiu manter nem o que era, digamos, quase ótimo. 

Os momentos finais da novela também estão chatos. Há quase uma semana a Família Athayde é mantida como refém por bandidos. É a chamada “barriga”. Tudo para redimir Roberval (Fabrício Boliveira) e unir os papéis que não tem mais funções. 

Nem Velho Chico, de Benedito Ruy Barbosa, foi tão criticada/chicoteada como Segundo Sol. Não sei se ela foi pior ou melhor do que A Regra do Jogo. Como não assisti, não posso fazer comparação. O que sei é que, para mim, Segundo Sol é junto com O Outro Lado do Paraíso as novelas mais sem pé nem cabeça da faixa das 21h. 

Segundo Sol terminará com uma boa audiência, apesar de não merecer. Até aqui, dia 26/10, acumula 33,2 de média ponderada. Provavelmente, até o dia 9/11, alcançará os 33,6 (34). É como disse no post anterior. É uma obra de boa audiência, mas de péssima narrativa. Uma pena. Torci e acreditei que João Emanuel Carneiro viria com tudo. É vida que segue. Só me resta rezar para que a sucessora não seja do mesmo nível.

Esperança!

Nada de extraordinário nas chamadas de O Sétimo Guardião. Tenho muito expectativa com esta novela, mas não vou aqui glorificá-la por conta de chamadas. Admiro, e muito, Aguinaldo Silva, que, pra mim, é o melhor autor de novelas. No entanto, tenho que ter fé, mas com os pés nos chãos. 

O Sétimo Guardião tem um elenco estelar e estará nas mãos do melhor diretor, Rogério Gomes. A sinopse – no papel – parece interessante. Resta saber como será no ar. Marina Ruy Barbosa e Bruno Gagliasso repetem parceria do cinema, agora na telinha. Lindo casal. Uma química formidável. Mas quem chama a atenção é o Leon, o gato da raça Bombaim. Fofo!!! 

Foto: Divulgação/TV Globo

Independente dos números de audiência, torcerei, clamarei, para que O Sétimo Guardião seja, no mínimo, uma novela boa, divertida, agradável. Que traga a paz, o otimismo, para o horário das 21h, com personagens cativantes. 

Substituir uma novela de boa audiência, mas de imagem “suja”, não é nada fácil. É um risco. O público insatisfeito pode não dar chance, de imediato, para a próxima. Mas se o primeiro capítulo de O Sétimo Guardião for impactante e de tirar o fôlego, tenho esperança de que conseguirá ir bem em novembro e dezembro (período atípico), com médias nas casa dos 30 pontos. Dependendo do desempenho inicial e da condução da trama, se de fato prender, poderá “explodir” de janeiro a maio. 

Números à parte, o que importa neste primeiro momento é que Aguinaldo Silva esteja entusiasmado e que nos apresenta uma obra prima. Amém!.

Antes de mudar de assunto, gostaria de dar um pitaco sobre a personagem de Lília Cabral. Nas chamadas, nos primeiros capítulos, a Valentina parece ser dramática. Essa atriz é monstra em tudo o que faz. Porém, gostaria muito de vê-la defendendo uma vilã macabra tipo a Flora, de A Favorita. Ela no drama é fantástica, tanto que a gente não abusa, mas seria interessante sair da zona de conforto. E Aguinaldo Silva está nos devendo uma vilã marcante, histórica! 

É fraca!

Gente, quando acompanhei Belíssima, em 2006, eu gostava demais. Porém, vendo a reprise no Vale a Pena Ver de Novo, cheguei à conclusão que não é uma novela atemporal. Para hoje em dia é fraquíssima. Silvio de Abreu não estava tão inspirado nesta novela. A única personagem marcante, a Bia Falcão (Fernanda Montenegro), ficou quase 100 capítulos desaparecida. Tenho boa lembrança da parte final desta obra. Só não lembrava que, no geral, era tão fraca. A verdade é que há 15 anos atrás não éramos tão exigentes como hoje em dia. A culpa é de João Emanuel Carneiro (brincadeirinha) que mudou o jeito de escrever novela com a macabra e inesquecível A Favorita. Rsrsrsrsrs

Não sei por que a Globo demorou tanto para começar a passar o “facão” nos capítulos de Belíssima. Dava para tirá-la do ar no meio de novembro. Alguma coisa tem que ser feita para chamar (e prender) a atenção do público no fim da tarde e início da noite. O péssimo desempenho de Belíssima já está refletindo até no jornal local, SP 2ª Edição. 

Li boatos de que Beleza Pura é uma possível substituta de Belíssima. É outra novela fraca, ninguém lembra. Isis Valverde com aquela voz irritante, misericórdia. Se eu fosse o diretor de programação da Globo apostaria, sem pensar, em Cama de Gato ou Cordel Encantando.

É ruim?

A atual temporada de Malhação não chega a ser ruim. É fraca, mas não a ponto de ser condenada. Eu gosto do elenco, tem bons atores. Alguns dos novatos, certamente, serão protagonistas brevemente. Porém, infelizmente, a narrativa da trama não é legal. O texto de Patrícia Moretzsohn é muito didático. Às vezes, parece com as novelas de Íris Abravanel. Hahahahahaha.

Ele pode tudo!

Enquanto todo mundo acreditava numa possível continuação de Verdades Secretas, Walcyr Carrasco, como um gato, deu um salto e derrubou Manuela Dias da faixa das 21h. A Globo, via assessoria, jura que a novata foi apenas adiada para o fim do ano que vem. Acreditar faz parte. 

Walcyr Carrasco, o furão, é danadinho. Ele virá depois de Aguinaldo Silva. Ou seja, herdará um público específico (o da classe C). Ele ainda estreará em um período de share alto (número de televisores ligados). Ou seja, tem tudo para bombar no Ibope e emplacar outra novela imediatamente, tombando Maria Helena Nascimento, que também sonha ser promovida. Hahahahahaha.

Que tal?

O grupo GloboSat deveria extinguir o Canal VIVA e disponibilizar as novelas no GloboPlay, assim como a Record faz no PlayPlus. 

A programação do VIVA é tão ruim que não faz sentido a sua existência. 

Desorganizada!

A direção da Record TV parece que anda desanimada com as produções de novelas bíblicas. O fiasco de Jesus desagradou os executivos. 

Recentemente, a emissora decidiu adiar a estreia de Gênesis, que está sendo escrita por Gustavo Reiz. Segundo consta, os bispos não curtiram o roteiro e mandaram fazer ajustes. É a igreja, mais uma vez, assim como aconteceu em Apocalipse, interferindo onde não deveria. O final desta novela já sabemos. Gênesis irá ao ar com o roteiro todo escrito e, provavelmente, com muitas censuras. E assim como Vivian de Oliveira, insatisfeito, Gustavo Reiz pedirá para sair. 

Nesse meio termo, Cristianne Fridman, que foi recontratada para escrever uma novela das sete, foi remanejada para escrever um “tapa buraco” entre Jesus e Gênesis. Trata-se de “Jezabel”, anunciada como macrossérie de 80 capítulos, que editada deve virar uns 100. 

Boa sorte aos envolvidos nestas próximas novelas bíblicas. Força! 

Agradou!

É incrível como Marcos Mion faz a diferença em A Fazenda. É muito bom o domínio dele na condução do reality show. Eu até hoje não entendo o motivo que levou a Record TV a acabar com o Legendários, que era infinitamente melhor que o péssimo Programa da Sabrina.

Foto: Divulgação/Edu Moraes/Record TV

Talentoso, Mion merece mais destaque. Espero que seja aproveitado no PlayPlus. Essa plataforma de multimídia da Record é muito boa. Nela é possível assistir, ao vivo, as programações locais de diversas afiliadas da emissora, bem como todas as novelas (à integra) já produzidas pelo canal. Há também uma parceria com a Disney Channel e ESPN Brasil. 

Muito bom!

É muito bom o formato do Fala Brasil. O telejornal da Record TV é dinâmico e tem ligação, ao vivo, com quase todas as afiliadas, principalmente nas regiões a emissora alcança a liderança, como Salvador, Belém, Goiânia... As apresentadoras são ótimas. As reportagens não são apelativas. O formato é excelente. Na minha opinião, pelo conjunto, é um dos melhores telejornais da TV aberta. 

É isto. Estão satisfeitos com os momentos finais de Segundo Sol? João Emanuel Carneiro merece uma terceira chance? As chamadas de O Sétimo Guardião despertam a atenção? Será que Aguinaldo Silva apresentará uma novela melhor que Segundo Sol? O que tem de errado com Espelho da Vida? O que Elizabeth Jhin precisará fazer para convencer o público a acreditar na história de sua novela? E O Tempo não Para terá fôlego até o fim de janeiro?

Comentem! Obrigado pela atenção, e até o nosso próximo encontro! ;)



Comentários (34) Postar Comentário

Allan Correia comentou:

Espelhos da Vida é realmente um porre... Falta ritmo, personagens interessantes! A protagonista não tem carisma, parece repetir as mesmas expressões toda hora e os demais seguem a mesma linha. Tentei assistir e desisti, quem aguenta trabalhar o dia inteiro e chegar em casa , ligar a tv, e se deparar com uma trama tão morna?
Se agora tá na casa dos 18 pontos, quero nem ver quando chegar o horário de verão...
Segundo Sol não é de todo ruim, não é de longe a melhor novela do autor mas é melhor que A Regra do Jogo! Não chega a ofender, dá pra assistir sem compromisso.
Por enquanto, A Força do Querer continua sendo a melhor novela dentre as últimas exibidas, inclusive, saudades!


Jeferson Cardoso respondeu:

Allan, de fato, A Força do Querer é fortemente a melhor. Eu, enfeitiçado, enlouquecido, abismado, a considerei melhor que Tieta. Ou seja, a melhor novela que já vi na vida. Rsrsrssrs


Guilherme comentou:

Que fase da Globo nas suas novelas!!! Vale a pena ver de novo flopando forte e Malhação idem (merecidamente). Repito que não acho Belíssima uma novela ruim. Gosto da trama no seu todo, mas pra hoje a novela é considerada apagada, insossa, sem brilho. Realmente, faltou um tchan pra trama e assim é impossível dar mais audiência. Se a próxima reprise for Beleza Pura, a audiência do Você decide é real. Malhação está super mal e merece porque a autora é muito fraca. Tem uma boa proposta a temporada atual, mas fracassa devido aos erros e limitações da Patrícia. Espelho da vida não é uma novela ruim, tem boa direção, bom elenco, mas peca na falta de dinamismo, ação e desenvolvimento dos personagens. Os núcleos paralelos pouco acrescentam pra trama. Se a Jhin não soltar a trama, a audiência vai só cair e vai se igualar à Boogie Oogie até. O tempo não para tem bom texto, mas apenas isso atualmente. A novela caiu muito em desenvolvimento e em algumas soluções do seu autor. Vários personagens decaíram e sumiram da trama sem motivos. Em se tratando de Mário Teixeira, isso não é nenhuma novidade. Já Segundo sol é o pior trabalho em termos inventivos do JEC. Esse núcleo da familia Ataide se transformou num circo e esse sequestro está patético. Uma pena que o JEC resolveu fazer uma novela only audiência e, mesmo assim, nem conseguiu tanta assim. Acho é bem feito para a falta de originalidade e excesso de lugar comum e clichês. Em relação ao Aguinaldo Silva, sou hater dele e considero esse autor um projeto de novelista. Respeito alguns trabalhos antigos dele, mas apenas isso. Vamos ver como será esse próximo trabalho dele, mais um ctrl c ctrl v de Tieta + A indomada. Se ele desenvolver a trama direito (algo raro), de repente a audiência cresce. Vamos ver!!!


Jeferson Cardoso respondeu:

Guilherme, concordo com você. Beleza Pura daria 10 e olhe lá. Eu não sou fã das novelas da Jhin, mas Espelho da Vida é muito boba. Aguinaldo Silva sabe como poucos apresentar bem seus personagens. Império, os quatro primeiros capítulos, foram formidáveis. Dentro da Globo, muitos dizem que a novela está linda e que Aguinaldo está inspirado. Vamos ver se veremos, de fato, isto no ar. Rsrsrs


Tite D'Avila comentou:

Segundo Sol, a novela seria a redenção de JEC após o fracasso de A Regra do Jogo virou balela, parece sendo escrita num rascunho .A única personagem que salvava era Laureta mais caiu na previsidade do roteiro. Malhação Vidas Brasileiras, tem alguns atores bons, o problema dessa temporada é autora Patrícia Moretzshon.
Sobre a reprise de Belíssima, essa novela nunca foi boa, só começa a deslanchar na metade pro fim.
Espelho da Vida, que novela chata, trama arrastadas, paralelas são as piores, única que se salva é a personagem da Alinne Moraes.
Sobre a próxima reprise no Vale a pena ver de novo, sou contra a reapresentação de Beleza Pura, está novela não foi sucesso na exibição original em 2008, aposto em Cordel Encantado, Cama de Gato até uma re reprise de Mulheres Apaixonadas tragaria o público de volta para a sessão . Abraço Jef


Jeferson Cardoso respondeu:

Obrigado Tite, concordo que uma novela de Manoel Carlos daria certo. Até mesmo Páginas da Vida, que é ótima até o capítulo 40...Ela fica fraca, lenta depois, mais acho que daria mais que Belíssima. Rsrss



vlad respondeu:

tragaria o publico??? para o fundo do ralo, deve ser....o melhor é traria o público.......


Eu comentou:

Novelas sem pé nem cabeça mas q todo mundo vê inclusive vc q tanto critica e no fundo faz o que todos fazem dar audiência p Globo.


Jeferson Cardoso respondeu:

Para comentar, tenho que assistir. Sou noveleiro, sou persistente. Espero pelos ajustes pontuais. Novela é uma aposta. Tem ótimas novelas que demoram para alcançarem ibope digno. Outras começam bombando de imediato. Nesta postagem, o questionamento é o fraco enredo (ou o desenrolar) das tramas atuais.


Bruno comentou:

João Emanuel Carneiro decepcionou demais. Acho que ele ficou tão revoltado com as críticas que decidiu destruir a novela de propósito para se vingar dos críticos exigentes kkkkkkkkkkkk
Espelho da Vida é igual Malhação. Tão ruim quanto.
Vale a Pena Ver de Novo é só intervalo comercial. Qualquer novela fracassará.
O Tempo não Para é boa, mas está ficando cansativa.
A Fazenda com Mion e os participantes barraqueiros está ótima!
Parabéns pela coluna, atualiza com mais frequência.

Eduardo comentou:

Aguinaldo Silva não merecia receber de uma novela ruim. Tomara que conquista bons índices em novembro e dezembro. Da metade janeiro até o fim acho que emplacará. Só não sei se vai ser igual Walcyr, saltar de 26 para 38,5 média geral kkkkkkkkkkkkk

Michelle comentou:

Elizabeth Jhin deveria escrever novela para o SBT, o texto é didático e repetitivo. Parece aquele autor de os mutantes da Record. Espero que O Sétimo Guardião seja boa. Estou mesmo animada é com Verão 90.

Cleber Da Silva Nascimento comentou:

Oi Jeff tudo bem você sempre vêm com os seus posts no final de cada mês , vamos ao que interessa
Espelho da vida concordo com tudo o que você falou ela cansativa arrastada e lenta nem parece a Elizabeth Jhinn de além do tempo.
O tempo não para e boa e agradável mais acho que tá perdendo o fôlego e termina com ganchos diferentes.
Segundo Sol começou boa e piorava a cada capítulo JEC tem que ser remanejado para a faixa das 19: horas .
O sétimo guardião não tô com grandes expectativas sei que vai resgatar o realismo fantástico a décadas que a Globo não produz , me incomoda é o texto caricato e infantil do Agnaldo Silva eu sei que você vai bajular a novela do seu mago no seu blog durante a novela não está confiante acredito.
Novela do Walcyr carrasco sem comentários detesto as histórias de quinta desse autor das nove lamento pela Manuela Dias troca uma história de uma carreira promissora por um circo tenha piedade.
Belíssima e merecido o fracasso em reprise essa história de beleza pura ser a próxima reprise no vapvdn só foi um comentário da Regiane Alves que publicou e depois apagou ,a Globo so vai confirmar a sucessora no início de janeiro e quatros novelas estão no páreo no vale a Pena ver de novo , América, Alma gêmea, Alto astral e chocolate com pimenta tiro chocolate com pimenta e devia colocar Ti-ti-ti ou Cordel encantado. Marcos Mion tá melhor que o Tiago Leifert na a fazenda.


Jeferson Cardoso respondeu:

Cleber, só vou elogiar Sétimo se eu de fato gostar. Império eu amei, mas tinha personagens que eu não curtia.


Lauro comentou:

Eu jurava que Espelho da Vida fosse uma NOVELA. Eu jurava que fosse FICÇÃO. Mas para o crítico e auror desse texto, a novela não tem pé nem cabeça porque "essas coisas não existem". Quanta bobagem você escreveu. Pelamor

Vitor Silva comentou:

O tipo de história que João Emanuel gosta de escrever é aquela de a favorita, um perfil denso,escuro , ele fez isso com a história central de a regra do jogo, agora ele tentou fazer um tipo de história que não tem nada haver com ele provavelmente deve ter virado um martírio pra ele escrever segundo sol, ele gosta de histórias pesadas, acho que ele deveria investir em séries, novela limita muito o tipo de roteirista que ele é.
Espelho da vida sem dúvidas é a pior novela da Elizabeth jhin , supera amor eterno amor em tudo que a de ruim.
A novela das sete parei de assistir,pra mim só prestou no início.
Pra mim as melhores novelas acho pouco provável que seja reprisado no vale a pena ver de novo, A favorita por exemplo, talvez só no viva mesmo, a história é "escura" demais pro horário.
Tô na expectativa com o sétimo guardião, mas pra mim não será melhor que Duas caras, que na minha opinião foi a única novela do Aguinaldo que prestou, pelo menos pra mim, foi a melhor

Veja também