O Planeta TV

Vitória foi mais um vítima da má gestão da Record

É incrível o descaso da emissora com os produtos de teledramaturgia.

Por: Jeferson Cardoso

Na próxima sexta-feira, 20/03, chega ao fim Vitória, mais uma novela vítima da péssima estratégia de programação da Record. A emissora, que sonhava ser líder (e que hoje conta os minutos que fica na vice-liderança), errou ao colocar Vitória para disputar com o carro-chefe da Globo, a novela das nove. Tudo bem, não é um folhetim redondo, digamos perfeito, mas que poderia ter sido tratado de outra forma.

Vitória foi lançada no período da Copa do Mundo e esquecida pela emissora após a estreia. É incrível o descaso da Record com os produtos de teledramaturgia.

Enfim, melhor falar da trama apresenta por Cristianne Fridman. É verdade que Vitória começou um pouco confusa; melodramática demais; com um casal de protagonistas nada convincente; e com a ausência de um antagonista. A autora apostou forte no núcleo de neonazista, que, no começo, funcionava como núcleo paralelo sem nenhuma relação com a história central. A grande maioria estranhou a narrativa, e a autora fez ajustes pontuais, definiu o antagonista Iago (Gabriel Gracindo); aproximou os casais Diana (Thaís Melchior) e Artur (Bruno Ferrari), e apostou no drama, abordagem que ela sabe fazer de forma brilhante.

Vitória se tornou um novelão, com drama, ação, romance, suspense, comédia. Uma pena que o horário de exibição e os erros apresentados inicialmente foram cruciais para o desempenho final.

Quanto aos números de audiência, Vitória termina com 6 pontos de média. Por conta do horário de exibição não esperava pelos dois dígitos, mas torci pelo sucesso. Infelizmente não pude acompanhá-la na íntegra, mas assisti boa parte. Gostaria de parabenizar o elenco: unido e esforçado. A direção - sob a responsabilidade de Edgard Miranda - também me surpreendeu. Do elenco destaco as maravilhosas Lucinha Lins e Beth Goulart, que protagonizaram cenas incríveis. Juliana Silveira fez um trabalho formidável. Gabriel Gracindo, Maytê Piragibe, Raymundo de Souza, Marcos Pitombo, Bruno Ferrari também merecem elogios.

No contexto geral, Vitória foi uma novela mediana. Não considero o melhor trabalho de Cristianne Fridman, mais ainda a considero um dos nomes mais promissores da dramaturgia brasileira. Os últimos dois meses de Vitória tem sido surpreendentes. Um capítulo melhor que o outro. É incrível o talento dessa autora.

Acompanharei a última semana na expectativa pelo final de Zuzu (Lucinha Lins), que sofre de Mal de Alzheimer.

O mais do mesmo?

O que esperar da próxima novela de Ricardo Linhares e Gilberto Braga? Eles apresentarão uma narrativa diferente de Paraíso Tropical e Insensato Coração? Duvido! Nenhum autor muda seu estilo, sua essência.  Eu, particularmente, gostei das novelas citadas, apesar de que Insensato Coração, em determinado momento, ter ficado arrastada.

Não me iludo mais com chamadas, e considero as de Babilônia muito fracas. É uma novela mal divulgada. Pouco se sabe da história. Divulgaram apenas a rixa entre as supostas vilãs e das histórias paralelas mostraram apenas Teresa, só porque é defendida por Fernanda Montenegro. Elenco é fundamental porque dá credibilidade, mas não é garantia de sucesso. Enquanto muitos apostam na rivalidade entre Beatriz (Gloria Pires) e Inês (Adriana Esteves), acredito que Bruno Gagliasso e Sophie Charlotte serão os destaques desta novela.

Me incomoda o fato de Babilônia repetir alguns temas de sua antecessora, como homofobia e romance gay. Acho que esse assunto está saturado, mesmo que seja abordado de forma diferente.  Na verdade, as novelas estão cada vez mais parecidas. Isso não é bom.

Não sou fã do universo de Gilberto Braga, mas gosto de suas novelas. Atualmente, acompanho O Dono do Mundo, no Canal Viva. Mesmo sem expectativas com Babilônia, acredito no sucesso. A novela recebeu o horário reerguido, em termos de audiência, e não pegará os períodos atípicos, como Carnaval, Natal e Ano Novo. Se apresentar uma história, no mínimo agradável, tem tudo para superar a média de Império, de 33 pontos. Obviamente, se fizer sucesso é mérito do trio de autores (Gilberto, Linhares e João Ximenes Braga).

Para a estreia, aposto em 34 pontos.

Acabou!

Gostei, e muito, do último capítulo de Império. Fiz parte do grupo que torcia pela morte do Comendador, mas não esperava que fosse tão dramática. Aguinaldo Silva foi corajoso, ousado e mexeu com todos [com os que gostaram e, principalmente, com aqueles que odiaram], apresentando uma novela de final atípico.

O autor, que sabe fazer marketing como ninguém, plantou a notícia de que havia escrito várias versões diferentes da morte de José Alfredo. Blefou e muitos acreditaram. Infelizmente, o autor e a direção deixaram vazar todo o final da novela uma semana antes do término. Isso, acredito, afetou na audiência do último capítulo. Eu, por exemplo, assisti ao encerramento com interesse, mas sem grandes expectativas.

Sete Vidas

A novela é boa, mas não me empolga. Um capítulo inteiro para um acontecimento. O texto é ótimo, mas não tenho paciência. Acompanhei a primeira semana, e só. Não continuarei, mas pretendo espiar algumas cenas de Regina Duarte. Por respeito aos profissionais, evitarei - o máximo - comentar sobre ela.

É isso. Gostaram do último capítulo de Império? Estão na expectativa de Babilônia? Qual a aposta para a audiência de estreia? Acompanharam e curtiram a novela da Record? Obrigado, e até a próxima!



Publicidade

Comentários (20) Postar Comentário

Tiago comentou:

Vitória foi uma novela maravilhosa, mais não considero melhor de novela de Cristiane Fridmam, infelizmente foi prejudicada pela péssima gestão da emissora. Sobre Império, adorei o último capítulo, a decisão de matar o comendador foi acertada, o mesmo foi um anti-herói. Sete Vida, tem que ter fé e marreta, a novela é muito lenta, um parto para as histórias desenvolverem. Babilônia, acredito no sucesso, pois vai pegar o horário em alta, muita vilania no horário nobre. Bom estou adorando Mil e Uma Noites, trama sensacional


Jeferson Cardoso respondeu:

Tiago, assisti a dois capítulos desta novela exibida pela Band. Gostei. Espiarei novamente e comento no próximo post. Rsrsrs


Victor Hugo comentou:

Boa noiteee Jeff!!!! Estou contando as horas por Babilônia!! E o final de Império foi realmente maravilhoso, principalmente as cenas na fábrica abandonada! E tipo, vc disse que não é muito fã do universo do Gilberto Braga, o que particularmente te incomoda nele? e vc prefere as novelas em que ele foi o único autor titular (celebridade, por exemplo), ou em parceria com o Ricardo Linhares? Abraços, até a próxima!!


Jeferson Cardoso respondeu:

Victor, sinto a falta da identidade de Gilberto Braga. As novelas parecem mais dos coautores. Entende? Rsrsrsr


Diogo comentou:

Império? Deixei de ver a muito tempo, por isso o final nem me interessa, pois ignorei total, se morreu, ou não, quem ficou com quem, pra mim não cheira e não fede! Babilônia vou assistir sim, acho que os temas são interessantes, e o problema do tema Gay não é a repetição, pois agora em toda novela terá, mas sim como a história é feita, como é desenvolvida, a forma como o Aguinaldo Silva colou esses gays na novela dele, uns beirando ao ridículo, muito caricatos, sem função, história fraca, foi criticada por muitos colunistas como Nilson Xavier e Maurício Stycer, isso tem que ser falado, Muito provavelmente Gilberto Braga fará uma coisa mais bonita, com mais respeito e seriedade. Sete Vidas é uma excelente novela, a história é cativante, realista, que mostra nossos dia a dia, uma novela curta que estou amando e a direção do Jayme me surpreendeu, não parece aquela direção de em família,são imagens lindas, uma história que entendemos, que nos faz sonhar, nos encantar, tem um frescor leve, um charme. Essa novela Sete Vidas tem qualidade, enredo, história!

edmo comentou:

imperio foi incrivel! babilonia,sete vidas efavela chique fai ser um novelao

junior comentou:

O Rei do Gado já tem 71 capítulos reprisados dos seus 209 totais, ou Seja, 1/3 já foi reprisado. Quais as possíveis substitutas?


Moisés César Reis respondeu:

Por amor e Laços de Família são as cotadas pela Globo para substituí-la.


Eduardo Brandão comentou:

Bom, O último capítulo de Império foi simplesmente extraordinário, amei a capacidade do autor sair do padrão felizes para sempre e ter apostado em algo comum para tds nós que é a morte, Aguinaldo felizmente conseguiu resgatar a vontade de assistir novelas. Estou ansioso por Babilônia acho que a estreia será de 35 pontos mas acho que as histórias paralelas terão pouco espaço na trama. Torço muito pelo sucesso.

Guilherme comentou:

Odiei o último capítulo de Império por vários motivos, não torcia pela morte do comendador, mas se tivesse sido feita numa cena mais realista e mais coerente com o que foi a novela eu teria aceito, mas odiei a forma que a cena se desenrolou e o excesso de drama das cenas que não combinaram com o que foi mostrado durante a novela. Ele aparecer como um fantasma só me decepcionou mais ainda, achei super fraco, fora os diálogos recheados de palavrões. Para fazer uma cena dramática não precisa botar esses termos. Odiei os furos da novela como o do José Pedro ser Fabricio Melgaço, várias coisas sem solução e explicação nenhuma, o sumiço da Daniele e da filha no final, além da falta de organização das cenas, o cara mata o próprio pai, depois só é mostrado no final do capítulo por 10 segundos não falou como a mãe que ele tanto amava reagiu, etc foi direto pra aquela cena sem graça do enterro e outras cenas sem importância. Enfim não engoli nada dessa novela e achei mais um final ridículo de uma novela do Aguinaldo Silva. Tenho certeza que Babilônia vai ser melhor até porque o Giba é mais autor do que o Aguinaldo Silva e tem um texto muito melhor. Não pude acompanhar Vitória infelizmente, mas admiro muito a Cris Fridman e espero que ela vá pra Globo algum dia que é o lugar que ela merece.

Gilmar JM comentou:

Não tenho muitas expectativas quanto à Babilônia. Também não gosto do universo do Gilberto. Há qualidade é claro, mas são textos muito duros, muito violentos, muito realistas, sem um respiro de humor que eu tanto preciso para acompanhar uma novela. Gostei do final de Império, só não gostei da morte do comendador. Muitos acham moderno, ousado, deve ser, mas eu prefiro finais felizes. Pelo menos nas novelas já que na vida nem sempre é. Acho que o Aguinaldo não teve coragem de escolher entre a Isis e a Marta. Eu não gostei dessa parte. Quanto a novela, foi boa, cumpriu seu papel e levantou sim o horário depois daquele desastre da novela anterior.

elisa comentou:

chega de comendador,oh coisa chata,vejo comentarios de sensacional,épico,maravilhosa ,em relação a Império,novela fraquissima,que só merece estes adjetivos,quando comparada com Em Família.Bem Vitória teve erros,mas me prendeu, do inicio ao fim>Ocapitulo de sexta foi incrivel,the best.Destaques alem dos citadosRaffaela Mandeli - Sabrina ,Andre di Mauro,Roberta Gualda.E Lucinha Lins ,esplendida,.Cris Fridman soube abordar o Alzheimer,diferente de Aguinaldo e a tal doença do pai da ruiva .Vitoria foi meu novelão.Quero agora uma serie de Cristiane Fridman ,na Record,ainda bem que ela vai renovar contrato.

Lucas comentou:

Babilonia:Vou esperar o capitulo no ar pra poder comentar,ja que a divulgação foi pessima,muito fraca,mal teve chamadas dela nos intervalos.
Império:Gostei do final,achei coerente com a historia,e Aguinaldo realmente inovou em um certo sentindo,foi um final dramatico,forte.Desde o começo eu achava que o Comendador iria morrer no final,combinava muito com a historia,e foi o que aconteceu,apesar de achar muito forte ele ser assassinado pelo proprio filho,foi tudo coerente com a historia.Rendeu cenas otimas e emocionantes,que mais uma vez serviu para elenco central brilhar.Zé Alfredo conseguiu encerrar sua saga de um forma classica,e sem duvida ficara na memoria do publico,tambem adorei o fato de João Lucas seu melhor filho,e um dos melhores personagens da novela,se tornar seu sucessor,e o novo imperador,proporcionou grandes cenas,e Daniel Rocha du show em todas elas,como as emocionantes cenas do sonho revelador de João Lucas e quando ele escala o Monte Roraima,ve a homenagem a seu pai,e se torna o novo imperador,dando inicio ao novo ciclo do Império,genial isso.Lilia Cabral que começou como vilã,acabou como a Mocinha da Novela,grande Protagonista,que personagem,a melhor da trama.Império foi uma novela de altos e baixos,mais tive um carinho especial por ela,gostei muito,pelo menos pra mim fara falta no horario nobre,principalmente seus personagens queridos e carismaticos:Maria Marta,Comendador,Cora,João Lucas,Du,Maria Clara,e ate o Teo Pereira kk.Palmas para o elenco central que brilhou do inicio ao fim,esses atores deram show:Lilia Cabral,Marjorie Estiano,Daniel Rocha,Andreia Horta,Josie Pessoa,Alexandre Nero e mais alguns.

Veja também

Publicidade