O Planeta TV

Autor de Império apresentou novela popular e de ritmo alucinante

O folhetim teve elenco afinado e ótima direção.

Por: Jeferson Cardoso

Podem falar o que quiser de Império, menos que faltaram antagonistas.  Cora pode não ter alcançado expectativas, mas Enrico e Maurílio cumprem muito bem o papel de malvados.

A personagem Cora, infelizmente, dentro da história de Império não deu certo. A cada semana a personagem tinha uma personalidade diferente. Para atender a caprichos de fãs, principalmente aqueles das redes sociais, o autor fez dela uma assassina e acabou matando um personagem, a princípio pequeno - mas que se tornou importante, o Jairo, e partir daí, Cora perdeu a força e o núcleo da família da vítima (Jurema e Reginaldo) ficou sem função.  

Não me incomodo pelo fato de Cora ter se tornado uma assassina, mas sim pelo fato das mortes não terem importância dentro da história. Até mesmo as mortes de Jurema e Reginaldo ficaram no vácuo. Enfim, Cora – sem antes pagar pelos crimes cometidos – morreu após ser baleada para salvar a vida de seu grande amor.

Cora pode não ter sido uma personagem interessante, mas foi brilhantemente defendida por Marjorie Estiano, uma das melhores atrizes de sua geração.

Império, assim como qualquer novela, tem seus altos e baixos. Pra mim, ela tem mais prós do que contras. Aguinaldo Silva falhou com Cora e em alguns núcleos paralelos, mas arrasou na trama central, bem como na agilidade, texto, narrativa, entre outros quesitos. Ficou devendo com a vilã, mas apresentou uma novela popular e de ritmo alucinante.

A pessoa pode até não gostar do estilo da novela, ou até mesmo do autor, mas dizer que Império foi lenta e arrastada é um afronto. O autor soube segurar a história no período eleitoral sem chegar na fase de enrolação,  a famosa barriga.

A saga do Comendador foi muito bem contada. Tão bem que o público aprovou, de imediato, um personagem que tinha tudo para ser rejeitado. José Alfredo não é santo: traiu o irmão; ficou rico com contrabando de pedras preciosas; traiu a esposa com uma ninfeta; rejeitou a filha; e fingiu a própria morte para fugir da polícia. Passa um filme na cabeça, parece que foi ontem! Aguinaldo Silva acertou na abordagem e fez com que o público aceitasse até mesmo a ninfeta Maria Isis.  

Maria Marta, de personalidade forte, rancorosa, também podia ter dado errado , mesmo com Lília Cabral dando show de interpretação. No começo da novela, a aristocrata decadente demonstrava ter uma personalidade de assassina, e até ordenou algumas mortes. Após a descoberta da relação do Comendador com a ninfeta, Aguinaldo ajustou o perfil da megera e a transformou em vítima. Fez com que o público sentisse pena dela e até torcesse para que ela tivesse uma noite de amor com o Comendador, o que acabou acontecendo. Atrelado a um texto incrível, Maria Marta é um dos melhores personagens escritos pelo autor.

Paralelo à Saga e família do Comendador, preciso destacar também a abordagem sobre a homofobia. Enrico, perfeitamente defendido por Joaquim Lopes, foi um personagem absurdamente incrível. Foi - para mim - o grande vilão da novela, e diria até que foi o personagem melhor desenvolvido, pois teve a mesma personalidade do início até sua redenção.

O que mais me fascina nas obras de Aguinaldo Silva é o humor sarcástico. Téo Pereira, Magnólia e Severo são os destaques. O jornalista serviu como uma crítica, não só aos profissionais, mas também ao comportamento humano em fazer fofocas. Já a dupla de trambiqueiros faz qualquer um cair na gargalhada. Aguinaldo percebeu a sintonia de Zezé Polessa e Tato Gabus Mendes e soube aproveitá-los, e muito bem. Divirto-me muito com esses três personagens.

Os últimos capítulos da novela têm sido surpreendentes, com destaques para as cenas de Enrico pedindo perdão para o pai; Silviano confrontando José Alfredo; homenagem (merecidíssima) a José Wilker; e as sequências da morte de Cora.

Perto do fim, restando apenas quatro semanas, e com a morte de Cora, Império deve focar no mistério que envolve o personagem que está por trás de Maurílio. O jornal O Extra revelou que Silviano é o pai do vilão, mas garante: não é Fabrício Melgaço. Afinal, quem é Fabrício Melgaço, o grande inimigo(a) do Comendador?. Com as mudanças de última hora, mudei de opinião. As minhas apostas são, na ordem: Maria Marta, Antoninho, Fernando (acharam o corpo?) ou Téo Pereira. Voando mais alto, apostaria em Vicente.

Pode ser também um personagem que ainda não apareceu na novela. Não tem problema, desde que tenha uma explicação e motivo coerentes. Por ora, preocupo-me com a coerência, e espero que a verdadeira identidade seja revelada, sem deixar em aberto.           

No contexto geral, Império supera as minhas expectativas. É um dos melhores trabalhos de Aguinaldo Silva. Espero que tenha um final digno de novela. Para isso, não precisa ser surpreendente, apenas convincente. E não precisa convencer a todos (o que é impossível), apenas ter uma lógica (mínima que seja) dentro da história.

Rogério Gomes, Pedro Vasconcelos e André Felipe Binder também precisam ser citados. Esses diretores entenderam o universo de Aguinaldo Silva e deram prestigio à Império. O autor, que estava carente de uma boa direção, encontrou profissionais à sua altura.

Encerro com o samba-enredo do Comendador.

Santa Terezaaaaaa vai passsarrrrrrr
O Talismã a nos guiarrrrr
O diamante de segredos e mistériossssss
É o Comendador e seu ‪#‎Império
O/O/O/O/O/O/

Ponto final. Publique-se.

O mais do mesmo

Na próxima quarta, dia 25, Gugu fará sua estreia no horário nobre da Record. O programa, o mais do mesmo, apostará em quadros que fizeram sucesso no passado.

Não sou fã de Gugu como animador de programa de auditório, mas ele é ótimo à frente de reportagens e quadros assistencionalistas.

Gugu é aposta para o segundo lugar de audiência, mas pode ter dificuldade. Nos primeiros dias, o resultado deve ser favorável. O difícil será manter a atenção do telespectador por muito tempo. Como se trata de um programa de temporada, de três meses, talvez consiga.

Minha aposta para a estreia é de 10 a 12 pontos de média. Na próxima quarta, a Globo apostará no jogo entre Corinthians e São Paulo. O SBT vai de Programa do Ratinho.

Disputa pela audiência

A partir de março, a disputa pela audiência no horário nobre promete. O SBT escalou Carrossel para ofuscar Babilônia; e a Record colocará Os Dez Mandamentos no confronto com Chiquititas.

Tarde demais, tardíssimo! Record mudará pela "enésima" vez o horário da teledramaturgia. Hoje, com o SBT consolidado na faixa, dificilmente, conquistará a vice-liderança.  Acredito, no entanto, que o objetivo seja outro: tirar pontos do Jornal Nacional e diminuir a diferença de Chiquititas. Pensando assim, pode ser que dê certo. Mas TV é hábito, e o resultado pode não ser tão rápido.

Quanto a disputa entre Babilônia e Carrossel... Ainda não sei como analisar isso, mas penso que a trama infantil dará mais que os cinco pontos da reprise de Rebelde.

Duas estreias

Falando em Babilônia.... Faltando apenas 25 dias para a estreia, cadê a divulgação? A Globo, sob nova direção, começa repetindo os erros do passado.

Dia 9 de março, estreia Sete Vidas. Uma semana depois (dia 16), Babilônia. Nesse meio termo, a emissora também terá que aumentar a divulgação de Império.

Globo é uma emissora gigante e, obviamente, uma semana é o suficiente para boa divulgação. Acontece que Sete Vidas será “esquecida” com o lançamento da próxima novela das nove e com os momentos finais da atual.

Reprise inédita pra quê? Da-lhe re-re-re-re-reprise!

Não sou telespectador do Vale a Pena Ver de Novo (trabalho no horário da tarde), mas sou contra o uso abusivo de reprises. Tenho uma curiosidade. A Globo, devido o sucesso de O Rei do Gado, apostará só em re-re-re-re-re-reprises?  Vale mesmo a pena? Se sim, que venha Por Amor, A Viagem, Mulheres de Areia, Alma Gêmea... e que daqui  a 5 anos, comece a lista novamente.  #Deboche

A Globo, imitando o SBT, reprisa cinco minutos do capítulo anterior de O Rei do Gado. Cinco é pouco, deveria ser, no mínimo, uns dez minutos. Uma bobagem, para quem aprova re-re-re-reprise, meia hora seria aceitável.

A hora é essa!

Se a Globo realmente tem intenção de tirar a Sessão da Tarde do ar, esse é o momento certo. Precisa saber aproveitar o sucesso de O Rei do Gado. Daqui a pouco acaba, e pode ser que a próxima não tenha o mesmo êxito.

É preciso saber brincar

Não curti o episódio de estreia da nova temporada do Tá no Ar. Em alguns momentos, achei apelativo e senti a falta de humor. Exibido mais cedo, e recebendo bem do BBB, a audiência do humorístico deixou a desejar. Ainda é cedo para dizer que isso seja reflexo de rejeição. A desculpa, por ora, é de que são programas de público distintos. Se perder para o programa do Gugu, a conversa será outra.

Os títulos

Verdades Secretas (Walcyr Carrasco), Favela Chique (João Emanuel Carneiro), I Love Paraisopolis (Alcides Nogueira e Mário Teixeira), Encontro Marcado (Elizabeth Jhin), Poderosa (Rosane Svartman e Paulo Ham), Trem Bom (Maurício Gyboski) e Velho Chico (Benedito Ruy Barbosa) são os títulos provisórios das futuras novelas da Globo.

Voltou o buchicho de que Benedito Ruy Barbosa estaria escrevendo, em parceria com seu neto Bruno Barbosa, uma sinopse para as 21h. Não acredito. O autor foi remanejado para a faixa das seis, horário que suas novelas encaixam perfeitamente. A única certeza (para o segundo semestre de 2016) é a produção de Velho Chico, engavetada há anos, que terá a direção de Rogério Gomes.

Desinteresse

Não me apeguei a atual temporada do BBB. Desse mal me libertei. O reality não é ruim, apenas perdi o interesse por esse tipo de programa. Que chegue logo a segunda temporada de Master Chef.

Novelões

Fãs de Alto Astral e Vitória fiquem tranquilos. Esses novelões merecem um tópico à parte. Daniel Ortiz e Cristianne Fridman são autores surpreendentes. 

Alto Astral é a melhor novela das sete desde Cheias de Charme, e o lugar de Fridman é na Globo. Os elogios – melhor elaborados – continuam na próxima semana.

É isso. Império superou as expectativas? Quem é Fabrício Melgaço? Gostaram da nova temporada de Tá no ar? E quais as apostas para a estreia de Gugu?

Obrigado pela atenção. Boa semana, saúde, felicidades! Até o nosso próximo encontro.



Publicidade

Comentários (52) Postar Comentário

Hugo comentou:

O Grande problema de Império pra mim, foi os erros da direção e dá o tom da novela. Onde já se viu? Uma novela onde o protagonista é um nordestino a abertura ser em inglês? Devia ser uma música bem brasileira. O tom da novela devia ter sido mais alegre no núcleo de Santa Tereza, era tudo muito cinza aqui.


Jeferson Cardoso respondeu:

A direção só pecou no começo, pela ausência de trilha sonora instrumental nas cenas de drama e suspense. Depois que ajustaram, deixaram Império redondo. Rsrsrsr


Glauber Robert comentou:

e ae jeff td bem !! imperio tira o folego !!! estava meio insonsa alguns meses atras , mais agora aguinaldo acertou a mão !! para mim o fabricio melgaço é o vicente , ninguem sabe ninguem viu , de onde ele veio , para aonde ele foi , ele poderia ser sobrinho do comendador , filho do irmão , que tinha outra familia !! seria uma bomba !!! kkk esse ano vai ser maravilhoso as novelas !!! sete vidas que o diga !!! cris fridman amo ela é uma diva lembro de alguns trabalhos dela antes da record como a novela dona anja !! jeff quero vc de jurado no trofeu imprensa esse ano !!! kkk abraços


Jeferson Cardoso respondeu:

Pois é, Vicente ainda tem o sobrenome de Ferreira da Silva. Pode ser viagem, mas é um bom suspeito. Sônia Abrão não pode faltar no Troféu Imprensa. Ela ama Império!!!! Rsrsrs


Thiago Moreno comentou:

Mias uma vez querendo enfia goela abaixo de nós leitores que Império é um novelão, por favor neh. Imperio é uma das piores novelas do horario, a maioria dos comentarios é de pessoas cansada da novela, alias a historia é sem rumo, começou contando num ritmo exagerado a construção do Imperio e do comendador e depois a historia que era pra ser da filha, ser reconhecida virou um samba do criolo doido, vendo que não tinha mais historia pra contar em novembro, o autor resolve fazer uma morte falsa e desde entao é só enrolação. Maria Marta até agora não pagou pelo seus crimes, acobertou o filho que atropelou o irmã daquela pobre, que tambem nem chantageia mais a Maria Marta, enfim historias que não andam, parece agil mas sempre ta no mesmo lugar, Cora morrer não faz nenhuma diferença, alem dele conseguir acabar com a verdadeira mocinha que era MARIA CLARA que era adorada pelo publico, principalmente quando deu festa mesmo sendo abandonada no altar, pra não assinar o fracasso de sua mocinha (Cristina chata) fez a MARIA CLARA virar uma mimadinha sem noção, enfim novela pra ser esquecida. Agora só falta com todos os erros que teve no desfile a escola do comendador (homenageando um bandido) ir pras cabeças. Alias essa historinha de escola de samba re re re petindo pela quarta vez cansou neh. Em resumo, VAI TARDE IMPERIO!!! Faz UMA FALTA UMA BOA HISTORIA RURAL NO HORARIO CHEGAAAAAAA DE RJ E SP!!!!!


Jeferson Cardoso respondeu:

Demonstrou que não perde um capítulo! Rsrsrsrs


Fernando comentou:

Parei de ler a crítica de Império na metade, quando percebi o puxa-saquismo ao autor falando mais alto.

Edu comentou:

Na boa, não consigo curtir as tramas do Aguinaldo, gostava do seu estilo de realismo fantástico, mas como novela urbana, apenas gostei de Senhora do Destino, não adianta, não consigo me apegar, foi assim com Duas Caras, Fina Estampa e está sendo com Império...não me desce, que venha Babilônia do realmente mago Gilberto Braga!


Jeferson Cardoso respondeu:

Normal, o seu estilo é o de Gilberto, que é o seu Mago!


paulo comentou:

Obrg aguinaldo silva por esse novelao e alto astral e amehlor das 7 i love praisopolis
vai sofrer kkkkkkkkkk

paulo comentou:

Fabricio Melgaço eu apostoem drica moraes seria otimooooo ou msm o silviano

Dira comentou:

"atrelado a um texto incrível", "Téo Pereira melhor personagem", "Fazem cair na gargalhada" kkkkkkk agora quem caiu na gargalhada fui eu. Gostaria de saber que novela esse blogueiro assiste, porque essa das 9 não se encaixa em nenhum desses elogios. É um circo infantil mais ridículo que os textos do Walcyr Carrasco (e olha que eu gostava de Amor à Vida). Eu disse Walcyr Carrasco, me equivoquei, pq as novelas dele estão aquém das do Aguinaldo. Amor à vida me chamava a atenção, me prendia como telespectadora, essa novela não me desce com suas historinhas clichês, surreais, repetitivas, texto infantil, protagonistas e vilões sem sal, enfim há meses não vejo novelas das 9 e espero ansiosíssima por Babilônia, pq até hoje NUNCA uma novela do Gilberto Braga me afugentou da tv. Ao contrário de vc eu acho Tá no ar o melhor programa de humor da tv brasileira, humor de primeira linha, com estilo e qualidade. E é isso. Beijos!


Jeferson Cardoso respondeu:

Dira, assisto a novela que você não ver. Rsrsrsrs Também não me decepciono com Gilberto porque sei das propostas das novelas dele. Conheço bem o estilo dele. Vamos ver o que ele nos apresentará em Babilônia.


Max comentou:

Jeff na boa, não curti esse personagem do Maurílio, parece que o autor não conseguiu largar o tom do Manfred de Joia Rara, achei a escalação do autor um equívoco... Joia Rara manda bjs

E Alto Astral comparada a Cheias de Charme? Outro equívoco, nunca vi uma novela tão chata com esse personagens depravável da Claudia Rara... Chayenne manda bjs


Jeferson Cardoso respondeu:

Max, o Carmo é o tipo de ator de uma só expressão, mas ele está dando conta do recado. Alto Astral é um novelão, e não vejo necessidade de compará-la com Cheias de Charme. Quiz dizer apenas que Alto é tão boa quanto Cheias.


Lucas Souza comentou:

Jeff. Império deixou a desejar no meio. E acho q chegou a ter uma barriga. Mas é a melhor novela do AS desde Senhora do Destino. Fina Estampa foi TERRÍVEL! Babilônia vai dar a mesma média de Império, 31/32. Favela Chique n vai ser a Avenida Brasil 2, mas vai dar no mínimo 34 pontos de média geral. Ou emplacar nos 33. Mas vai ser muito boa! #OiOiOi2.0


Jeferson Cardoso respondeu:

Lucas, teve umas três semanas - na época do horário político, que o autor deu espaço para os núcleos paralelos, mas não ficou parada. Não considero isso como barriga, já que desenvolveu tramas paralelas. Também estou apostado em 32 para Babilônia.


Veja também

Publicidade