O Planeta TV

A Força do Querer, um fenômeno que conquistou todos os públicos

O último capítulo vai ser teste para cardíaco!!!

Por: Jeferson Cardoso

Juliana Paes e Elizangela em cena. Foto: Globo

Daqui a pouco, Globo exibe o último capítulo de uma das melhores produções já realizada pela emissora. Sou suspeito, amo, adoro, idolatro, aclamo, sou apaixonado por A Força do Querer. Inspiradíssima, Gloria Perez surpreendeu e superou as expectativas. Uma novela excepcional, do início ao fim. Parecia um sonho, mas foi uma realidade. Nunca pensei, depois de inúmeras frustrações, que um dia fosse me apegar a uma obra como esta.

Já vinha me preparando para a despedida. Pensei que não iria ficar sentido, mas não teve jeito. É com uma dor no peito, que me despeço logo mais de personagens épicos, de uma historia eletrizante, de uma obra prima.

É incrível como A Força do Querer cativou a todo o público. Mas o que mais impressionou foi a identificação com quase todas as personagens. A entrega dos atores, em cena, contribuiu, certamente, para que isso fosse possível. Os papéis mais complexos, tortos, esquivos, foram os que mais ganharam torcidas, como: as mentiras da Silvana; o egoísmo da Ritinha; o desvio de conduta de Bibi e Rubinho; o machismo de Zeca; os preconceitos de Eurico; os golpes de Irene; dentre outros.

Obviamente, o telespectador não estava torcendo pelas atitudes das personagens. Estava envolvido com histórias muito bem contadas e interpretadas. Alias quem nunca errou que atire a primeira pedra. Errar é humano. As abordagens apresentadas em A Força do Querer levaram à reflexão. A relação entre Joyce e Ivana/Ivan dividiu o público. Havia torcida tanto para a mãe quanto para a filha. Gloria Perez tocou na ferida, sem que alguma pudesse sofrer uma rejeição. No ar, foi lindo. Certamente, os temas ajudaram, e muito, as pessoas que sofrem com identificação de gênero, ou até mesmo as que temem em assumir sua sexualidade. E, claro, levaram os pais a compreenderem melhor seus filhos.

A Força do Querer, para mim, foi uma novela redonda. Os dois primeiros meses foram focados na Ritinha; depois Bibi dominou o cenário. Do meio para o fim, Juliana Paes foi o nome da novela. A atriz dispensa comentários, uma vez que esteve fantástica. Porém, meus elogios vão para Emílio Dantas. Esse rapaz é talentosíssimo. Lembro, detalhadamente, a construção do Rubinho, desde a primeira cena. Os olhares, a maneira de falar, o perfil imposto pelo ator. Um monstro em cena. Para alguns, a novela é da Bibi. Para mim, é do Rubinho!!!

Lília Cabral é outra atriz arrebatadora. A Silvana, pra mim, é uma das melhores personagens defendida por ela. Para alguns, posso estar exagerando, mas tenho a convicção que em nenhuma outra novela Lília passou tanta emoção/verdade em cena. Nas novelas de Maneco, ela protagonizava barracos (uma vez ou outra); em Império tinha ótimos diálogos, mas foi em A Força do Querer que ela pode, enfim, atingir o ápice de sua carreira. Não estou aqui tentando desmerecer, muito menos comparar os trabalhos anteriores da atriz. Apenas quero parabenizá-la e agradecê-la: LÍLIA CABRAL, você é uma profissional de primeira. Não existem adjetivos que possam definir o seu talento. Magnifica, fez por merece o primeiro nome nos créditos da novela. A Silvana, diferente de outros, teve destaque no início, meio e fim. Foi, de fato, a protagonista. 

Do elenco, não posso deixar de falar sobre Zezé Polessa com a sua divertida Edinalva: “o pau te acha”; Elizângela, também em seu melhor momento na TV, com cenas lindas, deixando o coração partido; Débora Falabella, mais uma vez, incrível. Desta vez, dando vida a uma psicopata. Uma frieza que dava medo. As sequências da morte da personagem foram demais, bem criativas.O surto psicótico foi muito bem bolado. Marcante!!!

Personagens destaques. Foto: Divulgação/Globo

Excepcional, A Força do Querer, assim como qualquer obra aberta, teve alguns deslizes. Gloria Perez criou uma personagem para Fafá de Belém, porém o tiro saiu pela culatra devido à atuação vergonhosa da mesma. Fiuk, que não é iniciante, não conseguiu convencer em cenas que exigiam emoção, sendo apelidado de Ruym. O ator, de fato, vacilou em alguns momentos, mas acredito que há piores, inclusive alguns estarão em O Outro Lado do Paraíso. Cibele e Claudio perderam função e sumiram. O tema plus size, que seria abordado através da Abigail ficou de lado. A ótima química entre Jeiza e Zeca fez com que a policial se envolvesse com Caio apenas na parte final da história. Esses detalhes, são apenas detalhes. Não prejudicaram a qualidade do enredo.

Cada capítulo de A Força do Querer foi marcante. Não teve um que não impressionava. Foi incrível a narrativa desta novela. Os ganchos foram fenomenais, magníficos. Nunca vi uma novela com tanta virada dentro dos capítulos, e em todos os capítulos. Tá aí, uma novela com jeito de série, mas com cara de novela. Gloria Perez, Rainha das 21, obrigado, muito obrigado por esses sete meses. A saudade fica, a vida segue! Que venha o próximo sonho, Rainha.

Por fim, quem diria que A Força do Querer elevaria em NOVE PONTOS a média de sua antecessora (a tenebrosa A Lei do Amor). Gloria Perez sai de cena com 36 pontos de média, empatando com Amor à Vida. E com os sonhados 50/51 pontos de pico. É inacreditável, porém merecidíssimo.

A sucessora

Não sei o que apostar para a estreia de O Outro Lado do Paraíso. Pouco se sabe sobre a novela. O que foi divulgado até agora (um breve resumo até o capítulo 20) não dá para ter uma noção. As chamadas são fracas e apresentam poucas imagens.  

Walcyr Carrasco é um ótimo dramaturgo, e espero que, assim como Gloria Perez, surpreenda. Ele terá oportunidade de segurar, e muito bem, parte do público de A Força do Querer. Atualmente, a concorrência é frágil e a Globo vive um bom momento. Claro, vai depender da história apresentada. Não será “qualquer coisa” que vai dar audiência. Vide Tempo de Amar, que está mais para depressão na faixa das seis. Coitada.

A minha aposta para o capítulo de estreia de O Outro Lado do Paraíso é de: 35 ou 36 pontos.

É isso. Fiquem de olho no último de A Força do Querer: vai ser teste para cardíaco!!! E façam as suas apostas para a estreia de O Outro Lado do Paraíso. Já eu farei minhas preces à Santa Clara para que seja uma novela de bons diálogos. #Deboche.

 Até o nosso próximo encontro. ;)



Publicidade

Comentários (16) Postar Comentário

Edu comentou:

Excelente crítica, A FORÇA DO QUERER merece mesmo todos os elogios do mundo,
Ha muito tempo não via uma trama com absolutamente tudo funcionando maravilhosamente bem, texto, direção, interpretações, enredo, narrativa, ganchos, essa novela foi fenômeno e pra mim muitoooooooo superior a AVENIDA BRASIL que se tirasse a trama central não sobrava nada que prestava, parabéns a Glória, que venham muitas outras obras primas como essa!

Daniel Alves comentou:

Gloria Perez RAINHA das RAINHAS.
Novelão que vai deixar saudades, chegar hoje nessa geração com esses números
é inacreditável.

Victor comentou:

Amei essa novela. Gloria Perez é maravilhosa, Rainha mesmo. Estou ansioso para o último capítulo. Vai ser marcante.

Ivan comentou:

Ótima novela, parabéns a todos

Igor comentou:

Tem algum desocupado dando deslike centenas de vezes nos comentários, esse aí deve ser fã de novela mequetrefe (não vou nem sitar o nome da tenebrosa emissora). A louça deve estar na pia. Me espanto cada vez mais, como tem gente IDIOTA.

Vinicius comentou:

A Força do Querer realmente foi uma excelente novela. Muito superior às anteriores. Acho que a Glória Perez foi muito feliz com a trama. Todos os núcleos se ligaram de alguma maneira. Isso foi mais um dos pontos positivos. Diferente de Avenida Brasil, que muitos núcleos eram totalmente separados. Fora que algumas partes não eram tão criveis assim. Em A Força do Querer teve emoção, reflexão, comédia. Um novelão. Pra mim, uma das melhores da década. Claro, também tem suas críticas, como, em qualquer trabalho. Glória Perez está de parabéns. É a única autora que escreve sozinha e entregou uma história redonda, com identidade e personalidade. Em relação aos comentários, não concordo que Lilia Cabral seja a protagonista. As protagonistas são as três, Bibi, Jeiza e Ritinha. Aí vem Joyce e Silvana. Em falar em Silvana, considero um ponto fraco da novela, do Eurico descobrir tudo no último capítulo. Seria interessante mostrar isso antes. Até para Silvana sofrer um pouco em decorrência do seu vício, mentiras, etc.

Guilherme comentou:

Em relação à Força do querer, realmente está entre as melhores novelas da década e pra mim já é a segunda melhor da Glória. Ainda considero O Clone superior porque pra mim teve uma abordagem melhor. Não gostei do desenvolvimento de alguns temas em A força do querer como a questão do vício em jogo. Acho que faltou pra novela um andamento melhor com alguns personagens. Gosto muito da atuação da Lília e ela arrasou de novo, mas a personagem foi mal desenvolvida. Então não considero a melhor dela. Pra mim a Marta segue sendo a melhor personagem dela de longe. As protagonistas arrasaram durante a trama e brilharam. Juliana Paes, espero, será escolhida a melhor atriz do ano merecidamente. Deu um show e mostrou um amadurecimento total e a grande atriz que virou. Parabéns pela Glória pelo trabalho depois da péssima Salve jorge. Aprendeu com os erros das novelas anteriores e fez um grande trabalho. Depois Jefferson quero saber o que vc achou da notícia da reprise do novelão Celebridade no Vale a pena.

Original comentou:

Sucesso!

Tite comentou:

A Força do Querer foi a melhor novela desde Avenida Brasil, história envolvente, personagens humanos, enredo claro e objetivo com poucos personagens. Glória Perez aprendeu com seus erros, saiu da zona de conforto. Que venha O outro Lado do Paraíso, que Walcyr Carrasco nos suprenda com uma trama emocionante, sem seus vícios e diálogos inteligentes

robson comentou:

A Força do Querer vai dominar o Melhores do Ano do Fausto.
Melhor Atriz:
Juliana Paes - Bibi (VENCEDORA)
Paolla Oliveira - Jeiza
Débora Falabella - Irene/Solange
Melhor Ator:
Emílio Dantas - Rubinho (VENCEDOR)
Rodrigo Lombardi - Caio
Algum outro de outra novela.
Melhor Atriz Coadjuvante:
Lilia Cabral - Silvana (VENCEDORA)
Elizângela - Aurora
Maria Fernanda Cândido - Joyce
Melhor Ator Coadjuvante:
Humberto Martins - Eurico (VENCEDOR)
Dan Stulbach - Eugênio
Tonico Pereira - Seu Abel
Fora a disputa no de ator revelação entre o Sabiá e o Nonato, e o de atriz já é de Carol Duarte.


Lucas respondeu:

Lilia Cabral se concorrer será como melhor atriz, digo se, pq a Isis Valverde pode pegar o lugar na trinca. Já Debora Falabella que vai para atriz coadjuvante, e terá minha torcida.



Armando Pinto respondeu:

O prêmio de melhor atriz certamente sairá para a nossa estrelissima Natália do Valle, que, mesmo não estando na novela, nos proporciona sempre um deleite para os olhos com a sua magnífica atuação.


Veja também

Publicidade