O Planeta TV

TV a Cabo investe mais em dramaturgia do que a TV Aberta

A nova lei da TV paga obriga emissoras a investirem em produtos nacionais.

Por: Victor Rezende - Email: [email protected]

Heitor Martinez e Paloma Duarte protagonizarão a série

Com a nova lei da TV paga, a qual determina que a TV fechada deve investir em produtos nacionais em sua programação no horário nobre, há um novo investimento em dramaturgia nunca antes visto neste setor.

A TV paga, inclusive, deve estar com mais porcentagem dramatúrgica do que a TV aberta com toda certeza. Com exceção da Globo, as outras emissoras não investem neste setor, já que é um segmento caro, que precisa de instalações, externas, produção apurada, textos bem escritos e diretores competentes.

Atualmente a Record possui, apenas, uma novela no ar – “Balacobaco”, que será substituída por “Dona Xepa” – e uma série nacional, “José do Egito”, exibida uma vez por semana, às quartas-feiras. No SBT, “Carrossel” e, posteriormente, “Chiquititas”.
Caso se analise canais como Multishow e GNT, a quantidade de seriados nacionais exibidos é infinitamente maior. Sem contar que canais como Fox estão buscando aliados na TV aberta para produzirem seriados. É o caso da série “Se eu Fosse Você”, que será realizada com Heitor Martinez e Paloma Duarte nos papeis principais.

Além disso, a migração de um elenco de qualidade para o segmento da TV fechada está  se tornando cada vez mais habitual. Não valorizados pela TV aberta, que insiste em manter a programação sem modificações expressivas e com o mesmo elenco de sempre, os novos seriados da TV paga estão com elencos de prestígio e sendo feitos com qualidade invejável.

“3 Teresas”, “Sessão de Terapia”, “Copa Hotel” e muitos outros são a prova disso. Em seu elenco, nomes conhecidos como Denise Fraga, Fernanda Young, Zé Carlos Machado, Selton Mello, Mariana Lima, Maria Fernanda Cândido, Mônica Martelli, Zezeh Barbosa, Miguel Thiré, Maria Ribeiro, Maria Luísa Mendonça e muitos outros.

Se a dramaturgia era a arma secreta da TV aberta, já não o é mais. Houve uma inversão de papeis, em que o jornalismo está disseminado nos canais abertos, junto a seriados “enlatados” comprados do exterior, enquanto os canais fechados exibem o nacional de qualidade. Mudança dos tempos. Como proceder?


Publicidade

Comentários (1) Postar Comentário

Caio comentou:

Mais do que A Globo investe ???????????? Duvido!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Publicidade

Veja também

Publicidade