O Planeta TV

Religião na TV! - Pode ou não pode?

Por: Nelson Gonçalves Junior E-mail para contato: [email protected]

Religião na TV! - Pode ou não pode?

E a primeira coluna do ano não vai ser sobre o Big Brother Brasil.Vamos dar mais um tempo para o programa se consolidar...esperar o primeiro comentário inteligente de algum participante. Se bem que isto pode demorar...

Mas enfim...esta semana comento sobre um tema extramente polêmico: Religião e Televisão, pode ou não pode?

Não pode. Mas pode.

É correto igrejas evangélicas anunciando a madrugada inteira em vários canais abertos? È certo a Record receber milhões da Universal como forma de patrocínio? É justo o claro boicote que a Globo faz aos evangélicos? E o horário nobre da Band, vendido ao RR Soares?

Se televisão é concessão pública, nenhum dos casos citados acima deveria ocorrer. Nada tenho contra nenhuma crença, e sei também ser utópico querer desvincular totalmente a Igreja desta história toda...seria o mesmo que querer a Política distante da televisão. Agora que é errado, é. Falta bom senso.

Ou tem espaço para todo mundo, ou não tem. Se pode para uma, tem que poder para todas. Se o Padre Marcelo transmite ao vivo suas missas todos os domingos pela Globo, o Bispo Marcelo Crivella também deveria fazer os mesmos com seus cultos....E assim em qualquer outro caso semelhante.

Apesar de ser algo velado, é nítido que cada emissora “veste a camisa” de uma determinada crença. O crescimento da Record fez com que esta situação fosse mais nítida, afinal temos praticamente um embate religioso, uma guerra santa entre Globo e Record.

E é neste ponto que a televisão se perde. A TV tem que representar o todo, as várias raças,etnias e religiões. A partir do momento que ela se limita a ser apenas uma parte do todo, ela está indo contra os princípios básicos da comunicação, inclusive o da idoneidade e imparcialidade. Ai fica a pergunta, quem está com a razão nesta história toda?

O Silvio Santos. Por ser dono da única emissora aberta em rede nacional que não veicula nenhum tipo de programação religiosa. O “velho” tio Silvio, judeu, com família protestante, mas que não está querendo saber se você é muçulmano, católico, budista ou evangélico. São todos telespectadores.

Não pode


Ninguém entendeu direito a saída de Gloria Maria do Fantástico. O desgaste é natural, e vem sendo enfrentando por outras estrelas da Plim Plim, como Ana Maria Braga e Faustão. O que não pode é a direção global pensar que com a entrada de Patrícia Poeta o programa voltará a ter bons índices no IBOPE.

Patrícia é ótima apresentadora. Carismática, simpática, bonita e talentosa. Mas se o conteúdo do programa continuar sendo o mesmo, nada muda. O Fantástico sempre foi uma revista eletrônica pioneira, inovadora. Hoje representa apenas que o domingo está chegando ao final. E agora vão querer botar a culpa da fraca audiência no Zeca Camargo...


Publicidade

Comentários (1) Postar Comentário

estilac comentou:

Uma concessão publica que serve para concentrar ainda mais a riqueza no eixo
Rio-São Paulo, as pessoas ficam privadas de saber o que acontece em seus estados através da TV, pois são obrigadas a ficar assistindo Datena falando que as marginais do rio tiêtê estão engarrafadas, ou os Ratinhos da vida ou as novelas enaltecendo as maravilhas do Rio de janeiro...

Publicidade

Veja também

Publicidade