O Planeta TV

Especial Pecado Mortal, a nova superprodução da Record

Saiba tudo sobre a novela de Carlos Lombardi; trama terá pegada policial e drama.

Por: Assessoria da Rede Record

Novela de: Carlos Lombardi
Escrita com: Emílio Boechat e Nélio Abbade
Direção de: Alexandre Boury, Viviane Jundi, Hamsa Wood, Armê Manente
Direção geral: Alexandre Avancini
Direção de teledramartugia: Anderson Souza

Carlos Lombardi ao lado do diretor geral Alexandre Avancini. Foto: Divulgação

A novela Pecado Mortal marca a estreia do consagrado autor Carlos Lombardi na Rede Record. A direção geral é de Alexandre Avancini, que já assinou oito sucessos na teledramaturgia da emissora.

Lombardi é paulistano e um dos mais famosos escritores de novela do Brasil. Sua estreia como dramaturgo aconteceu em 1979, na TV Tupi onde escreveu a novela "Como Salvar Meu Casamento". Em 1981 assinou com a Globo, como colaborador de Silvio de Abreu e Cassiano Gabus Mendes. Dois anos depois já assinava sua primeira novela solo, "Vereda Tropical", bastante elogiada pela crítica. Ele é conhecido por textos ágeis e divertidos e já mostrou seu estilo em folhetins como "Bebê a Bordo", "Uga Uga", "Kubanacan", entre outros. Além disso, é apaixonado por histórias em quadrinhos e futebol. Após 31 anos na TV Globo, o autor estreia na Record na próxima quarta-feira, 27/09.

O autor concedeu uma entrevista exclusiva ao Portal O Planeta TV. Confira trechos do bate-papo:

"Meu foco não foi sair da Globo";
"Ambos são (Silvio é, Cassiano infelizmente nos deixou) ótimos autores e foram muito generosos comigo";
Bang Bang: "Foi um trabalho dos mais difíceis e pesados da minha vida";
"Buscamos o Ibope de uma maneira saudável, sem obsessão".

Clique aqui para conferir na íntegra a entrevista com Carlos Lombardi.

A década de 70    

Esta é uma fase de um momento muito especial na história do Rio de Janeiro e de uma nova onda que mudou o perfil da criminalidade no Brasil. Fala da “inocência” perdida quando o consumo de drogas se alastra pela sociedade alterando a estrutura de poder e os valores da “bandidagem”. Se antes os donos do pedaço eram os chefões do jogo do bicho, agora eles disputam cada palmo de território como os novos reis do crime, os traficantes. Foi no final do chamado milagre brasileiro, época de crescimento da economia e promessa de um amanhã melhor que a cocaína, que antes era um barato exclusivo dos ricos, se espalha pela classe média em um novo cenário que mudou a cara da noite ao combinar luz, brilho e musica dançante: a discoteca.

Liberdade sexual

Carla Cabral interpretar Laura, uma stripper. Foto: Divulgação

Também foi o momento do sexo sem limites. Surgiam transas de uma noite só e a conquista não era mais privilégio dos homens, já que as mulheres também saíam para caçar. Ao mesmo tempo, a virgindade ainda era um tabu. No final dos anos 70 lutava-se pela lei do divórcio e protestava-se contra o fechamento do Congresso. Foram anos felizes para muita gente, os últimos antes da Aids colocar um freio nos embalos alucinados de sábado à noite, naquela atmosfera onde muitos acreditavam que ninguém era de ninguém.

Com tudo isso, as pessoas continuavam casando, se reproduzindo, se endividando, constituindo famílias. E, às vezes, essas famílias viravam sinônimo de riqueza e poder. Um sobrenome podia significar muita coisa, principalmente no mundo do crime.

A Família Vêneto

É nesse contexto que acompanhamos a vida da família Vêneto. Quando Michele Vêneto (fala-se Mi-ké-le) (Henrique Guimarães/Luiz Guilherme) veio para o Brasil fugindo de problemas com a polícia e das dificuldades financeiras da Europa em guerra, os bicheiros ainda eram senhores das áreas carentes. Era um poder patriarcal onde o bicheiro era ao mesmo tempo benfeitor da comunidade, dono da escola de samba e árbitro da justiça local. Havia temor e o respeito pela figura do bicheiro, mas não existia o clima de terror que o domínio posterior dos traficantes impôs. Muito do que ainda se vê hoje foi consolidado naquela época.

Michele acabou gostando do calor, das mulheres bonitas e foi ficando. Depois de ser leão de chácara de uma boate na Lapa, se tornou chefe da segurança do bicheiro Cebolão (Gracindo Jr.). Acabou herdando o posto numa mistura de sorte com a ajuda decisiva de sua mulher Ana (Maytê Piragibe / Jussara Freire), uma mulher determinada a ter o que quer, custe o que custar. Donana, como Ana ficou conhecida, nunca foi de esperar pela sorte. Sua vida inteira foi mirar um objetivo e correr atrás. Mas quando ela perde o filho que espera de Michele, percebe que seu casamento pode estar por um fio.

Só que, ao mesmo tempo, Donana descobre que seu marido tem uma amante, Stella (Marcela Barrozo/Betty Lago), e que a moça também está grávida dele. Na verdade, nem Michele sabia que estava prestes a ter um segundo filho de Stella. Com medo da violência dos bicheiros, Stella nunca deixou que Michele soubesse que já é pai de Otávio, um garoto de dois anos que ela habilmente escondeu.

Donana não conta para Michele que perdeu a criança e ameaça Stella, convencendo-a de que o único jeito de seu filho Otávio e da criança que ela está esperando sobreviverem é se forem criados por Donana e Michele. Por isso, em 1941, enquanto o bicheiro Cebolão (Gracindo Jr.) morre e Michele Vêneto assume o poder no Morro do Pinguim e, consequentemente, o comando do jogo do bicho na zona sul do Rio de Janeiro, Stella dá a luz a Marco Antônio. Temendo pela própria vida e pela vida dos filhos, Stella entrega Otávio e Marco Antônio para Donana criar.

Donana some para o interior fingindo que foi ter a criança na casa de parentes. Quando volta, faz Michele acreditar que Marco Antônio é o filho legítimo deles e que Otávio é um menino abandonado no morro que ela pegou pra criar.  Stella foge deixando tudo para trás, sem imaginar que, para evitar problemas, Donana mandou seu irmão Getúlio (Gustavo Leão/Mário Gomes) dar cabo de sua vida. Com Stella morta, a farsa de Donana jamais seria revelada.

Esse segredo ficou muito bem guardado até 1977, quando Michele e Donana estão comemorando 38 anos de casados. Agora eles têm quatro filhos: Otávio (Felipe Cardoso), que acredita ser adotivo, Marco Antonio, o segundo filho de Stella que Donana apresentou como sendo dela própria, e os filhos legítimos do casal, Juliano (Henrique Guimarães) e Lívia (Tatyane Goulart). Todos, exceto Marco Antônio, moram com os pais.

O preferido, Marco Antônio, fugiu porque não queria herdar a vida de crimes e contravenções de seu pai Michele. Já Otávio quer ser o braço direito do pai, mas é estourado demais para o comando e leva uma vida infeliz preso a um casamento de conveniência com Catarina (Daniela Galli), sobrinha do principal rival de Michele, o bicheiro Omar Ashcar (Ricardo Petraglia), de Niterói. Otávio desconta sua frustração em Tônia (Gabriela Moreyra), a filha de Joana (Aline Borges), cozinheira dos Vêneto e casada com Bernardo (Gero Pestalozzi), o mecânico que ninguém sabe direito que apito toca. Só se sabe que Bernardo luta bem demais para quem nunca teve treino militar. Tônia está de olho no padrasto. Otávio não percebe porque, na verdade, está interessado em Laura (Carla Cabral), a nova moradora do morro, mãe de Gui (Luis Augusto Formal), que jura para o filho que o pai dele está morto. Gui não acredita. O que importa é que tanta pressão não faz bem para Otávio, que acaba explodindo e batendo em Catarina Ashcar, o que acirra ainda mais os ânimos entre as duas famílias.

Do outro lado, Danilo Aschar (Gustavo Machado) tem um problema maior que os Vêneto: Lili (Laíze Câmara), a mulher de seu tio Omar, a passista que deu o golpe do baú no velho bicheiro, que quer tomar tudo o que Danilo conquistou.

O equilíbrio de forças entre os Vêneto e os Ashcar é a maior preocupação de Michele e Donana quando um acontecimento muda o panorama de uma hora para outra: Stella, que todos pensavam que estava morta, volta. E ela não é mais a menina assustada que fugiu com medo de morrer. Agora é uma mulher forte, rica e quer seus filhos de volta.

O retorno de Stella

Stella fez a vida em São Paulo. Estudou, acabou se tornando modelo de uma requintada casa de modas. Vive bem com o dinheiro que o falecido marido dono de cartório lhe deixou.

Ela quer conhecer os filhos que entregou. Não que tenha a ilusão de que eles vão correr para os braços dela, mas quer pelo menos que eles saibam quem ela é. Sabe que não se reescreve uma vida inteira de um dia para o outro. Mas acha que é possível tentar esclarecer a verdade e construir algum tipo de relação.

Só que, pra isso, ela vai ter que passar por cima de Donana.

Depois de desistir de mandar matar Stella pela segunda vez, Donana arma uma arapuca para ela, fazendo-a acreditar que Marco Antonio está morto. Quando Stella força Donana a apresentá-la para Otávio, ele a rejeita completamente. Stella se desespera. Teme nunca conseguir recuperar os filhos. Teme ser morta por Donana.

Vêneto x Ashcar

A disputa entre Michele Vêneto e Omar Ashcar por dinheiro e poder é antiga. Mas um ingrediente pesa na balança quando esse conflito se estende à nova geração, representada por Otávio e Danilo. O código de honra do jogo do bicho não vale para o tráfico de drogas.

O que muda é que, se antes essa guerra e violência era silenciosa e velada, ela está ficando cada vez mais ostensiva e sanguinária. Para defenderem seus impérios, eles precisam manipular políticos, subornar policiais, comprar testemunhas, defender seus territórios à bala.

Entre os bicheiros, Michele é o maior. Mas os Ashcar não estão dispostos a deixar a situação como está. Enquanto eles tentam abocanhar pedacinho por pedacinho da fatia dos Vêneto, Michele procura um traidor que jurou de morte: Ricardo Rocha.

Ricardo Rocha delatou Michele e forneceu provas que permitiram que a promotoria pública abrisse um grande processo contra ele. Exposto e fragilizado, Michele está cada vez mais à mercê do ataque dos Ashcar. Encontrar Ricardo Rocha é a maneira mais eficiente de estancar essa sangria.

Carlão e Patrícia – o hippie e a promotora

No olho deste furacão está um casal de opostos: Carlão (Fernando Pavão), o hippie, e Patrícia (Simone Spoladore), a jovem promotora de justiça. Patrícia é a promotora envolvida tanto no processo contra Michele quanto em um que ela está montando contra os Aschar. Carlão tem outras prioridades. Ele mantém sozinho uma escolinha infantil onde é ao mesmo tempo professor, pedreiro, encanador, marceneiro, mecânico e motorista.

Se ela sempre foi respeitada pela profissão, ele enfrenta o preconceito por ser só mais um cabeludo, daqueles que só serviam para protestar contra o fim do famoso Píer de Ipanema. Com o tempo, Carlão se torna a figura mais popular da praia de Ipanema e Leblon, organizando os campeonatos de futebol da garotada. Chegam até a pedir que ele se candidate a vereador.

Carlão e Patrícia se apaixonam perdidamente no verão de 66 para 67. Casam e têm dois filhos: Rodolfo (Luis Felipe Mello), o menor, mais frágil e carinhoso, e Rafaela (Pietra Goa), a mais velha, inteligente e precoce.

Tudo vai bem até que Carlão é acusado de abusar de um aluno da escolinha. A manchete do jornal o transforma no vilão número um da sociedade carioca: o Tarado do Jardim da Infância.

Leva um tempo até Carlão e Patrícia perceberem que foram vítimas de uma armação. As fotos encontradas e usadas como prova contra ele foram feitas num sábado em que a escolinha é assaltada. Enquanto Carlão persegue os assaltantes, alguém entra na escolinha e forja as imagens comprometedoras.

Mas não é fácil para Carlão provar sua inocência. Isso porque ele também guarda um segredo: sua identidade é falsa. Carlão não é seu nome e ele também se esconde do passado. Mentiu para Patrícia esses anos todos.

A situação piora conforme vai ficando claro que Dorotéia Aschar (Paloma Duarte), a irmã de Danilo que parece ser a gangster mais fria e calculista da família, tem a ver com tudo isso. É possível que Carlão seja um amor que Dorotéia não consegue esquecer e de quem ela quer se vingar. Será que os Ashcar estão tentando destruir Carlão para atingir Patrícia que quer mover um processo contra eles? Ou será que Carlão é Ricardo Rocha, o homem que está sendo caçado por Michele Vêneto por tê-lo denunciado?

udo se complica porque quem conduz essa investigação é o corrupto detetive Picasso (Vitor Hugo).

Picasso, um tira acima da lei

Picasso lidera uma equipe que ganhou o apelido de “artistas da polícia”, e conta com os detetives Van Gogh (Heitor Martinez), Monet (Renato Livera) e Caravaggio (Miguel Nader). Ele é o mais forte candidato a novo delegado e sustenta a fama de melhor policial do Rio de Janeiro, o que faz questão de deixar claro nas entrevistas que dá para a imprensa e TV. O que Picasso não diz é o quanto ele transita no limite do que é ou não é ilegal. Mas a corregedora Das Dores (Denise Del Vecchio) está na marcação dele.

A conduta de Picasso na investigação do caso do Tarado do Jardim da Infância deixa rastros. Que estranha ligação tem o melhor policial do Rio de Janeiro com o perigoso Veludo (Guilherme Winter), empregado de Danilo Aschar? E porque Picasso tem tanta sede em ver Carlão atrás das grades? Definitivamente, a acusação de pedofilia mexe com o detetive, só que é difícil não perceber que Picasso oculta uma agenda própria.

Não são só esses os segredos nos corredores da delegacia. Quando Otávio Vêneto invade a casa dos Aschar, por exemplo, o reencontro de Caravaggio com Starsky (Carlos Bonow) mostra que eles já trabalharam juntos, já foram amigos, mas se afastaram por um motivo sério. Será que é por causa de Teresão (Tarciana Saad), que todo mundo diz que tem pinta de machona, apesar de ela ser casadíssima com um tira grandão e morrer de ciúme do marido?

E porque será que Ramiro (Marcos Pitombo) e Baldochi (Rafael Sardão), dois malandros com pinta de otário, parecem sempre aparecer no lugar errado, na hora errada?

A vida da corregedora Das Dores, que tem de monitorar todas as ações dessa turma, não é menos complicada. Ela também tem um ponto fraco: seus sobrinhos pilantras de Minas Gerais: os primos Pedro (Iran Malfitano) e Paulo Noronha (Claudio Heinrich), golpistas que acabaram de chegar ao Rio de Janeiro dispostos a se dar bem e que logo vão aplicando seus golpes até virarem donos do lugar mais badalado da cidade: a discoteca Stars Like Dust.

O som da discoteca

É na Stars Like Dust que a vida de todas essas pessoas se cruza.

É também onde vamos conhecer Anjo (Daniel Del Sarto), o caixa de banco casado e pai de duas meninas, que vira barman da discoteca e se perde numa vida de excessos. Isso porque tudo o que Anjo quer é pegar emprestado o fusca do seu Jurandir (Fabio Villa Verde), o alfaiate mais procurado de Marechal Hermes, para se acabar na noite Ipanema toda sexta-feira. Ele é apaixonado por Laura, mãe de Gui, que trabalha como enfermeira de dia e stripper à noite, e que não quer nem ouvir falar do ex-marido, que pode estar muito mais perto que ela pensa.

Lá também é o lugar onde Marcinha (Mel Lisboa), que foi expulsa de casa pela mãe quando engravidou do namorado, se transforma em Eva, a acompanhante de luxo mais cobiçada do Rio de Janeiro.

Todos vão ser decisivos no desenrolar dos fatos que envolvem Stella, os Vêneto, os Ashcar, Carlão, Patrícia, a turma da delegacia e, lógico, toda a sociedade zona sul. Sociedade que inclui a sedutora Leila (Juliana Didone), filha de Ilana (Bianca Byington) e Vergueiro (Eduardo Lago), o falido advogado de Michele Vêneto. Vergueiro vive às voltas com a necessidade de sempre arranjar o dinheiro que sua ex-mulher gasta e seu sonho é casar uma de suas filhas com Otávio, o mais provável herdeiro do império dos Vêneto. Só que a irmã de Leila, Maria Clara (Juliana Didone), também está na jogada. Quem vence essa queda de braços?

Nessa briga vai sobrar até pra Romeu (Bernardo Velasco), o filho de Ilana de um relacionamento misterioso do passado, mas que Vergueiro criou como se fosse seu filho. Romeu é apaixonado por Silvinha (Lua Blanco), a linda sobrinha de Stella, que encanta com sua pureza. Com tanto olho comprido em cima da moça, esse romance pode não ser um conto de fadas.

Pecados Mortais

O tempo vai dizer se a velha geração da contravenção vai ser destruída pela nova turma do crime organizado, representada por Danilo e Dorotéia Aschar. Vai mostrar o que aconteceria se hoje Marco Antônio Vêneto estivesse dentro do sistema legal perseguindo os bicheiros.

E será que Patrícia vai perdoar Carlão se ele realmente cometeu crimes no passado? Pode uma mulher que trabalha com a Justiça aceitar isso por um grande amor? Ou será que Carlão vai voltar pra Dorotéia e se envolver novamente com a vida bandida?

Muitas perguntas têm que ser respondidas. Será que Laura, uma mulher que fugiu de um casamento com um bandido, pode recuperar a capacidade de amar?

E Stella? Vai conseguir consertar o que ela considera o maior erro que uma mãe pode cometer na vida?

As respostas estão nos próximos capítulos.

Os personagens

MICHELLE VÊNETO (Luiz Guilherme/ Henrique Guimarães) – Bicheiro que comanda o Morro do Pinguim há mais de 30 anos. Patriarca do clã principal. Italiano de nascimento, desceu do navio por engano no Rio de Janeiro a caminho de Santos, mas se adaptou à cidade. Galã na juventude, Michelle é passional, mas sua autoridade vem de nunca se exaltar. Apegado ao seu poder, é ambíguo, já que toma atitudes dignas de um vilão enquanto luta por sua família.

ANA VÊNETO. DONANA (Jussara Freire/ Maytê Piragibe) – Cheia de energia, determinada, é a matriarca de sua família. Capaz de qualquer coisa pelos filhos. No fundo é uma peste. Vive diferentes relações com seus quatro filhos, até parece gostar mais dos adotivos do que dos legítimos. Mas seu preferido é nitidamente Otávio, que deseja ver como herdeiro dos negócios de Michelle. Por isso, Marco Antônio se torna um problema para ela quando volta. Donana é capaz de tudo pra atingir seus objetivos.

STELLA NOLASCO (Betty Lago/ Marcela Barrozo) – Ainda na juventude se envolveu com Michelle, de quem teve dois filhos, Otávio e Marco Antonio – que, temendo pela própria vida e pelo futuro dos meninos, entregou para Donana criar. De menina pobre e medrosa, tornou-se uma elegante mulher do mundo. Endurecida pela vida, volta para recuperar o que perdeu. Sua frieza, porém, é apenas aparente. Quando volta, sua vida pode estar em risco novamente.

OTÁVIO VÊNETO (Felipe Cardoso) – O filho mais velho de Michelle. Sempre ouviu falar que foi adotado, mas sabia que havia algo errado na história. Otávio cresceu dividido entre o amor e a inveja que sente do irmão Marco Antonio. Na ausência dele, Otávio seria o candidato natural para ser o sucessor de Michelle, não fosse seu temperamento explosivo. Mulherengo, agride a mulher Catarina, com quem casou para selar um pacto com os Ashcar, inimigos dos Vêneto.

MARCO ANTONIO VÊNETO (ator não escalado) – O segundo filho de Michelle com Stella. Desde que descobriu o que o pai realmente fazia para ganhar a vida, se revoltou e saiu de casa. Odeia o sistema semiditatorial e a violência do jogo do bicho. Marco é dono de um sorriso franco, daquelas pessoas que despertam a confiança por sua simpatia. Talvez não se conheça tão bem quanto pensa e não seja tão bondoso quanto acredita ser.

JULIANO VÊNETO (Henrique Guimarães) –  Terceiro filho de Michelle e Donana, primeiro legítimo. Juliano é um eterno menino do Rio, surfista desencanado e mulherengo, não serve para ser chefe da contravenção. Mas não critica o pai, aceita o mundo como ele é. É o mais afetivo dos irmãos.

LIVIA VÊNETO (Tatyane Goulart) – Filha caçula de Michelle e Donana. Adorada pelos irmãos e considerada a princesinha do pai, tem sérios problemas de relacionamento com a mãe. Sabe que não pode ser muito doce em uma família até onde as mulheres são muito fortes, mas gosta de brincar com o fogo. É passível de ser arrastada para qualquer coisa só para provar que é forte.

CATARINA ASHCAR (Daniela Galli) – Esposa de Otávio, com quem casou para selar uma espécie de acordo de paz entre famílias rivais.  Parece fadada a ser sozinha. Não se dá bem com seus irmãos e nem se sente à vontade no meio da família Vêneto. É obcecada em dar um filho para o marido, pois acredita que isso salvaria seu casamento. O medo a faz ser agressiva e um pouco amarga. No fundo, é uma mulher que não encontrou seu lugar no mundo.

GETÚLIO AMADO (Mário Gomes/ Gustavo Leão) – É irmão de Donana. Morre de medo dela. É aquele cara que nunca deu certo em nada e virou um office boy de luxo para a irmã e para o cunhado. Alcoólatra, ele sonha um dia se livrar dos dois, mas sabe que isso não vai acontecer.  Arrasta asa para Norma Shirley, a irmã de Stella.

NORMA SHIRLEY DE ALMEIDA (Sônia Lima)– Animada, dessas que sempre recorta receitas de revistas, copia figurinos e adora fotonovelas.  Ingênua, sempre fala demais ou dá aquele “fora”. Idolatra a irmã Stella, mas também tem um pouco de medo dela, por considerá-la muito exigente. Enfermeira, gosta de uma boa fofoca, mas tem bom coração.

SILVIA DE ALMEIDA (Lua Blanco) – Filha de Norma. É uma menina conservadora, quer se aventurar mais, mas tem medo. Viverá com Romeu o amor proibido entre o riquinho e a menina da favela. Silvia é vaidosa, sem exageros. Admira o porte e a postura da tia Stella. Quer uma vida que vá mais longe que a da mãe – de quem gosta muito, mas não tem como modelo.

LAURA ESCOBAR (Carla Cabral) – Tem cara de poucos amigos, mas sua atitude é pura auto-defesa. Leva uma vida dupla que não esconde, mas também não faz questão de divulgar. É enfermeira de dia e striper a noite, tudo para garantir o sustento do filho Gui, que cria sozinha. Separou do pai do menino por ele ser bandido. Por isso tem dificuldade em amar novamente.

GUILHERME ESCOBAR (Luis Augusto Formal) – Um menino que só quer ser igual a qualquer outro. Vive o conflito de querer saber quem é o pai, mas sabe que o assunto é território proibido. Sabe ser carinhoso, mas em alguns momentos tem atitudes de um homem adulto, já que é o único que está lá para proteger a mãe.

BERNARDO AVELAR (Gero Pestalozzi) – Misterioso, ninguém sabe de onde veio ou porque conhece tanto artes marciais. Logo se envolve com Joana e enfrenta o preconceito de ser um branco casado com uma negra.  Vai sofrer com o assédio de Tônia e a rejeição de Djalma, seus enteados.

JOANA DA COSTA (Aline Borges) – Viúva, possui dois filhos já crescidos. Trabalha como cozinheira para os Vêneto. Na casa dos patrões, é discreta. Se apaixona por Bernardo. Mas a rejeição dos filhos ao relacionamento é um conflito para ela. Quanto mais do passado de Bernardo vier à tona, mais seu amor vai parecer impossível.

ANTÔNIA (Gabriela Moreyra) – Passista, sabe que tem um belo corpo, por isso adora subir e descer o morro com seu gingado para exercer o seu poder sobre os homens. Gosta de brincar com o fogo. Amiga de Silvinha, vai se envolver no jogo dos grandes tenentes do jogo do bicho.

DJALMA (André Luiz Miranda) – Filho de Joana. Tem uma paixão recolhida por Silvinha, mas nunca tem coragem de se declarar. Perna de pau e ruim de samba, mas insiste nos dois. Implica com Bernardo, o cara que passa a viver com sua mãe.

HORÁCIO CARVALHO/ VEGETAL (Ricardo Vandré) – Tem esse apelido porque corre um boato a respeito de sua inteligência, comparável a de uma samambaia. Orgulhoso por ser um dos soldados da família Vêneto, adora sua ligação com Otávio, de quem é cúmplice nas escapadas femininas. É apaixonado por Silvinha e pode ser perigoso quando contrariado.

JEFERSON CARNEIRO / MINERAL (André Ramiro) – Soldado do jogo do bicho logo abaixo de Vegetal, ganha esse apelido por extensão. Gosta de falar grosso com os moradores do morro para mostrar quem é a autoridade. Acredita ser plenamente capaz de ocupar o posto de Vegetal e não medirá esforços para alcançar seu objetivo. Tem uma relação conturbada com Tônia, de quem acredita ser namorado.

DANILO ASHCAR (Gustavo Machado) – Sobrinho de Omar Ashcar, antigo bicheiro de Niterói, assumiu o posto de segundo em comando, sob circunstâncias questionáveis. Veste-se como um homem de negócios durante o dia e um playboy abastado à noite. Seu maior interesse é derrubar os Vêneto e dominar o Morro do Pinguim, ampliando seus negócios pela zona sul do Rio. Mas enfrenta a perigosa concorrência de Lili, segunda esposa de Omar.

DOROTÉIA (Paloma Duarte) – O verdadeiro cérebro da família Ashcar, rivais dos Vêneto. Articulada, impiedosa e sanguinária quando acha que precisa impor respeito, ela exerce seu poder sobre o irmão, Danilo (Gustavo Machado). A relação entre os irmãos é complexa. Fogosa e voluntariosa, gosta de seduzir empregados, mas logo se cansa dos amantes.

VELUDO (Guilherme Winter) – Um homem perigoso. Psicopata que tem prazer em matar e torturar. É o executor do trabalho sujo de Danilo, o bichinho de estimação de Dorotéia. Seu passado é nebuloso. Desenvolve uma atração doentia pela promotora Patrícia.

RAMIRO RODRIGUES (Marcos Pitombo) – É evidente que Ramiro é alguém muito mais complicado que um mero rato de praia, que quer se dar bem com o mínimo de esforço. Grudado nos primos Pedro e Paulo Noronha, começará a se aproximar dos Ashcar. Possui um objetivo forte para envolver-se com os bicheiros do Rio, mas é difícil saber qual é.

JOSÉ VERGUEIRO (Eduardo Lago) – Advogado da família Vêneto, faz qualquer coisa para manter seu lugar ao sol. Está sempre precisando de dinheiro graças a seu vício em corrida de cavalos e os gastos da ex-mulher Ilana. Ambicioso e determinado, ética nunca foi seu forte. Quer garantir seu status fazendo a filha Leila se casar com Otávio Vêneto.

ILANA VERGUEIRO (Bianca Byington) – Classuda, de família tradicional, pintora e psicóloga frustrada. Mãe de Leila, Maria Clara e Romeu, fruto de uma relação confusa do passado. Entende-se melhor com Maria Clara, já que não sabe como controlar Leila. Tem atritos constantes com seu ex-marido de quem depende financeiramente, porque não gosta de vê-lo usando as filhas para atingir seus objetivos.

LEILA VERGUEIRO (Juliana Didone) – Um furacão de mulher, dessas que ninguém deixa de notar quando entra em um restaurante. Gosta de desafios, de seduzir homens difíceis e até mesmo impossíveis. Leila é debochada e não gosta de figuras de autoridade. Gosta da irmã Maria Clara, mas tem pouca paciência com ela, já que esta parece mais um clichê do que uma pessoa. Cúmplice do pai, tem uma relação difícil com a mãe, Ilana.

MARIA CLARA (Juliana Didone) – Irmã de Leila, é mais doce. Apesar de certa amargura, é a romântica da família. Discreta, veste-se bem, não gosta de chocar ninguém, mas também não é uma menina fora de seu tempo. Não é tão ousada quanto a irmã e a relação das duas vai se complicar quando disputarem o mesmo homem.

ROMEU (Bernardo Velasco) – Filho de Ilana, garotão da zona sul. Romeu não é atirado como Leila nem é caseiro como Maria Clara. Não é filho de Vergueiro, apesar de ser tratado como tal. Aprendeu a se virar sozinho já que não tem o mesmo pai que as irmãs. Vai se apaixonar por Silvinha, a bonitinha da favela, e vai ter que se fortalecer e lutar muito contra todos os impedimentos.

MARCINHA FIGUEIREDO (Mel Lisboa) –  Ao engravidar de um namorado, é humilhada e expulsa de casa pela mãe. Com isso, morre Marcinha e nasce Eva, uma mulher fatal treinada por Stella para ser uma peça-chave equilíbrio de forças entre os poderosos.

FERNANDA (Andréa Avancini) – Mãe de Marcinha, divorciada, amarga em relação ao ex-marido. Pouco compreensiva com a filha, acaba expulsando-a de casa. Trabalha como assistente da corregedora Das Dores.

DOUTORA DAS DORES (Denise Del Vecchio) – Chefe da corregedoria da polícia, dura e inflexível.  Desconfia do caráter de Picasso, um policial que se auto intitula o melhor tira da cidade. Mas ela tem um “calcanhar de Aquiles”. São seus sobrinhos Pedro e Paulo Noronha, dois malandros que vieram de Minas dispostos a se dar bem no Rio de Janeiro.

PAULO NORONHA (Cláudio Heinrich) – Sobrinho com jeito de príncipe da corregedora Das Dores. Se veste bem e nunca perde a chance de ser muito educado com as mulheres. Divide com seu primo Pedro a vocação para gângster que os leva a se intrometerem no submundo da cidade. Golpista, gosta de tudo que é bom e também do que não presta.

PEDRO NORONHA (Iran Malfitano) – Primo e cúmplice de Paulo Noronha, só que menos elegante. Pedro quer ser inesquecível. Extrovertido, fala alto, gosta de chamar atenção e se vestir como personagens de filmes americanos que assiste. Corajoso ao máximo, frequentemente se torna violento, quase suicida.

VINÍCIUS VIEIRA, O DELEGADO PICASSO (Vitor Hugo) – Picasso é o apelido que ele mesmo inventou. Seus métodos são espetaculares e pouco escrupulosos. Adora riscos, disfarces e aparecer nos jornais. Sorridente, é um dos piores seres humanos que já pisaram no planeta. Gosta de ostentar em roupas, carros e relógios. Não gosta de ser contrariado nem perdoa quem conhece suas fraquezas. Aos poucos entendemos sua obsessão em caçar Carlão.

REGINALDO SOARES, O MONET (Renato Livera) – Prático e objetivo, é a melhor mira da polícia do Rio. Quando quer, parece o cara mais simpático do mundo, de um jeito comedido de bom moço e genro ideal.  Frio, provavelmente é o mais discreto e elegante integrante da equipe de Picasso, de quem é cúmplice.

TADEU WERNEK, O VAN GOGH (Heitor Martinez) – Ao contrário de Monet, às vezes, é capaz de sentir algum remorso pelas negociatas das quais participa. Moderno e descolado. Outro tira do time de “artistas” de Picasso, mas entra em rota de colisão com ele.

JOSÉ MARIA, O CARAVAGGIO (Miguel Nader) – Quarto membro da equipe de Picasso. É o mais comum do grupo. No fundo, é um pacato cidadão com os filhos e a mulher. Corrupto, recebe propina dos Vêneto. No fundo, só quer salvar a própria pele.

URANA TORRES (Roberta Santiago) – Policial negra que entra na equipe de Picasso depois de uma reestruturação. Não gosta do novo chefe, mas faz um trabalho importante infiltrada no submundo do tráfico e da prostituição.

MARCELO FIRENZE, STARSKY (Carlos Bonow) – Tira de Niterói, honesto, é uma pedra no sapato de Picasso. Foi amigo e parceiro de Caravaggio no passado, mas algo grave os afastou. Incorruptível, é um estorvo nas negociatas da turma do jogo do bicho com a polícia.

TERESA (Tarciana Saad) – Taxista, logo se torna motorista e amiga de Stella. Sua aparência masculinizada esconde uma mulher bonita que morre de ciúme do marido Starsky, já que não acredita que um homem forte e bonito como ele possa ser fiel.

XUXÚ (Nanda Ziegler) – Stripper. É uma moça com um belo corpo que acabou se perdendo nas drogas e na prostituição. Apesar de fazer o tipo ingênua, sabe muito bem qual é seu lugar na cadeia alimentar da voraz vida noturna. Xuxú não é má, mas também não é nenhuma santa. Seu caráter é bastante flexível. É abusada por Picasso, com quem mantém relação doentia.

HELENA (Mariah Rocha) – Assistente de Patrícia na promotoria, o trabalho é a grande prioridade em sua vida. Mesmo assim, acaba vivendo um grande amor com Ramiro, mas a relação pode não se sustentar por causa dos segredos que ele esconde.

BALDOCHI (Rafael Sardão) – Braço direito de Ramiro, dependendo do ponto de vista pode sempre estar no lugar errado na hora errada, ou no lugar certo, na hora certa. É tão misterioso quanto o parceiro, difícil saber que apito toca.

ADRIANO D’ÂNGELO, ANJO (Daniel Del Sarto) – Tem mulher e filhos no subúrbio, mas nunca levou nada a sério. Trabalha no banco de dia pra poder ser acabar na farra na noite da zona sul. Acaba virando barman na discoteca Stars Like Dust, o que o leva a uma vida de excessos e autodestruição. Perdidamente apaixonado por Laura.

BRUNA (Livia Rossy) – Esposa de Anjo. Finge que não percebe a vida dupla que o marido leva porque não tem coragem de colocá-lo contra a parede. É completamente apaixonada por Anjo e não acha possível viver longe dele.  Em algum ponto, vai questionar esse amor.

JURANDIR CARVALHO (Fabio Villa Verde) – Alfaiate de primeira, apaixonado por cinema, seu apelido é Lana Turner. Homossexual discreto, eventualmente algum comportamento entrega sua preferência. Mal consegue disfarçar sua atração por Anjo, que às vezes se aproveita disso.

PATRÍCIA SALGADO (Simone Spoladore) – Esposa de Carlão. Jovem e determinada promotora. É pragmática e batalhadora demais para viver no mundo dos sonhos. Ao contrário do marido hippie, preza uma vida mais sofisticada. Apaixonada pelo trabalho, sua atuação na promotoria lhe garante inimigos perigosos. Tem um senso de justiça que só não é maior que o amor por seu marido e filhos, mas seu casamento balança quando uma verdade vem à tona.

CARLÃO (Fernando Pavão) – Marido de Patrícia. Carlão é conhecido pelos vizinhos como um cara divertido e boa praça. É um hippie fortão, mas não é radical em nada. É o faz tudo na escolinha infantil que ele montou e toca sozinho. Seu mundo desmorona depois de uma acusação grave e provar sua inocência pode não ser a solução dos seus problemas. 

RODOLFO (Luiz Felipe Mello) – O filho menor de Carlão e Patrícia, mais frágil e carinhoso que a irmã, mal entende a reviravolta na vida dos pais.

RAFAELA (Pietra Goa) – A mais velha de Carlão e Patrícia, inteligente e precoce. É quem mais vai dar forças para o pai superar os obstáculos.

ROSA (Luciana Braga) – Velha amiga e sócia de Carlão na escolinha infantil.  Muito ligada ao casal, sempre presente, ajuda muito quando eles enfrentam dificuldades, principalmente no que tange os cuidados com as crianças.

LAERTE (Ricardo Duque) – Ex-namorado e atual chefe de Patrícia na promotoria. Não se conforma por ela ter casado com um cara que considera um troglodita. Por isso, sempre que possível, procura azedar a relação do casal.

OMAR (Ricardo Petraglia) – Poderoso bicheiro libanês de Niterói, tio de Catarina, Dorotéia e Danilo. Era o único obstáculo entre Danilo e o comando do jogo do bicho em Niterói até que se casou com a passista Lili, décadas mais jovem que ele, o que altera o equilíbrio da família.

LILI (Laíze Câmara) – Passista da escola de samba, mulher de Omar Aschar, obviamente casou com ele para dar o golpe do baú. Se faz de tonta, mas é ambiciosa e quer tirar o comando das mãos de Danilo e Dorotéia.

Participação especial:

CEBOLÃO (Gracindo Jr.) – Chefe do jogo do bicho e do Morro do Pinguim em 1941, de quem Michelle era chefe de segurança.  Morre de forma suspeita no começo da trama o que faz com que Michelle assuma, de forma não menos suspeita, o comando dos negócios deste poderoso chefão.

JUNIOR (Cláudio Gabriel) – Filho de Cebolão, tenta apressar a morte do pai para ficar com tudo o que é dele, provocando a tragédia que alçou Michelle ao poder em 1941.

A chamada de elenco

O Portal capturou algumas imagens da chamada de elenco. Confira:

Veja também, em vídeo, a divulgação:

"Pecado Mortal" estreia na quarta-feira, dia 25 de setembro, às 22h30. Na Record!



Publicidade

Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também

Publicidade