O Planeta TV

Saiba a audiência da novela "Era Uma Vez...", atualmente em cartaz no Canal VIVA

A novela foi estrelada por Herson Capri e Drica Moraes.

por Redação, em 11/01/2021

Foto: Divulgação/Globo

"Era Uma Vez...", escrita por Walther Negrão e dirigida por e Rogério Gomes, Jorge Fernando, Marcelo Travesso e Fabrício Mamberti, teve uma difícil missão no passado. Em 1998, a obra foi a substituta de "Anjo Mau". No quesito audiência apurada na Grande São Paulo, a novela adulta, adaptada por Maria Adelaide Amaral cravou 32 pontos de audiência, já a trama infantil anotou 29,6 pontos.

Em 2007, "Era Uma Vez.." foi reprisada no Vale a Pena Ver de Novo e foi até bem, com 18 pontos de média geral. Porém, a novela de 160 capítulos foi compactada e exibida em 69 capítulos.

Conheça a história de "Era Uma Vez...":

A trama traça um retrato do cotidiano de três gerações para mostrar que não existe um tempo ideal para amar e ser feliz. O viúvo Álvaro (Herson Capri) mora com seus quatro filhos – Glorinha (Luiza Curvo), Zé Maria (Alexandre Lemos), Marizé (Alessandra Aguiar) e Fafá (Pedro Agum) – no sítio de seu pai, Pepe (Elias Gleizer), em Nova Esperança, cidade fictícia em Santa Catarina. Ele é apaixonado por Bruna (Andréa Beltrão), advogada da fábrica de chocolate de Xistus (Cláudio Marzo), uma moça mimada que não suporta dividir a atenção do namorado com seus filhos. Mas, para sua surpresa, chega à cidade a doce Madalena (Drica Moraes), que será a governanta da casa de Xistus, avô materno das crianças. Bem informada, simpática e simples, ela logo cai nas graças dos filhos de Álvaro e nas dele, que, inclusive, apaixona-se por ela. Xistus também se apaixona por Madalena e une forças com Bruna para lutar contra o amor entre a governanta e Álvaro. Madalena chega a Nova Esperança com seu grande amigo Maneco Dionísio (Antonio Calloni), e os dois compartilham um segredo: a nova governanta de Xistus foge desesperadamente do seu ex-marido, o possessivo, poderoso e perverso Danilo Borges (Tuca Andrada). Mas ele acaba descobrindo seu paradeiro em Nova Esperança graças a uma denúncia de Bruna - que investiga o passado de Madalena e o atrai para a cidade, determinada a tirá-la da vida de Álvaro - e, a partir daí, muitos conflitos se sucedem. Em sua fuga para se livrar do ex-marido, Madalena acaba sequestrada pelo vilão, e Álvaro vai atrás dela, enquanto Bruna decide raptar Fafá, o filho mais novo do viúvo. Enquanto isso, os filhos de Álvaro são disputados pelos dois avôs, completamente diferentes entre si.

Xistus é um empresário rígido, sisudo e amparado em valores tradicionais. Já Pepe é um avô bonachão, que prega a liberdade acima de tudo e planta o melhor arroz da região, em seu bucólico sítio. No final da história, Bruna termina louca, internada em um hospício, enquanto Danilo continua a aterrorizar e perseguir Madalena. Com a detetive Heloísa (Suzy Rêgo) à caça dele, Danilo toma Madalena como refém até levar um tiro de Heloísa e morrer no hospital. É revelado que Bruna provocou a morte de Débora, a primeira esposa de Álvaro. Madalena e Álvaro se casam, e ela fica grávida. Depois de muitas brigas pelos netos ao longo de toda a trama, Xistus e Pepe também se entendem. Xistus ainda termina a novela com um novo amor: a própria Heloísa.

"Era Uma Vez" marcou a primeira protagonista de Drica Moraes em uma novela da TV Globo. "Ter feito a novela foi um presente enorme dado pelo Jorge Fernando. Era uma personagem doce, amorosa, bondosa e delicada. Tive muito prazer em interpretá-la. Acho que falta isso nos dias de hoje, a gente aprendeu a gostar dos bandidos e vilões e a desprezar os personagens bondosos e generosos. Tenho muito orgulho de ter participado e trabalhado com um elenco tão maravilhoso", afirma Drica.

Herson Capri, par romântico de Drica na novela, reforça a atualidade da trama. "Depois de 20 anos o público vai perceber que as questões centrais continuam muito atuais porque trazem o amor e o afeto como o eixo condutor da história. ‘Era Uma Vez’ é uma novela de família feita para a família. Tem alguma coisa de 'Noviça Rebelde', com uma governanta apaixonante que as crianças adoram e uma quase madrasta não tão querida. E também é uma história de amor. Foram gravações muito agradáveis e eu ainda tive o prazer de montar cavalos de corrida na pista em alta velocidade, que foi uma experiência única", relembra.

Antonio Calloni, que viveu o andarilho Maneco Dionísio na trama, acredita que a estreia da novela chega em um momento oportuno. "O Maneco representa tudo o que o Brasil precisa, que é generosidade, fraternidade e força. Ele tem essas três características. É super bem humorado, muito engraçado, um cara totalmente do bem. As pessoas comentaram muito isso na época. Foi um personagem muito bem quisto, um astral maravilhoso. Foi uma imensa felicidade ter feito esse personagem", diz.

"Era Uma Vez..." vai ao ar de segunda a sábado, a partir das 12h30, com reapresentação à 1h15.


Publicidade

Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!
Publicidade

Veja também

Publicidade