O Planeta TV

Brida: A última novela da TV Manchete

Emissora tentava resgatar o prestigio e a audiência com a trama baseada na obra de Paulo Coelho

Por: Emerson Ghaspar

 

Depois do grande sucesso de Xica da Silva em 1996 e de ver a audiência cair para 7 pontos com Mandacaru no ano seguinte, Walter Avancini, a frente da direção de teledramaturgia da Rede Manchete , resolveu investir em Brida, livro escrito por Paulo Coelho que havia vendido milhões ao redor do mundo para tentar contornar a audiência da emissora, que já estava mal financeiramente.

A história começava na Irlanda do século 13 onde Brida (Carolina Kasting) e suas três amigas: Inês (Manuela Dias), Guta (Wanessa Bonelli) e Andrea (Fabiana Amorim) fogem de serem queimadas na fogueira por bruxaria, através de uma estranha magia. Com isso elas atrapalham os planos do bruxo Vargas (Rubens de Falco), que espera pelo momento em que poderá se vingar e derrotá-las.

Nos dias atuais, Brida é filha de Fradique (Othon Bastos) e está noiva de Lorens (Leonardo Vieira), mas não sabe que Vargas é o braço direito de seu pai e que vai manipulá-lo para poder atingi-la. Mas não é somente Fradique que Vargas manipula, ele enfeitiça Priscila (Guilhermina Guinle), amiga de Brida, secretamente apaixonada por Lorens para separar o casal. A partir disso, os poderes de Brida começam a se manifestar, mas ela não tem controle sobre eles, até a chegada de Mariano (Augusto Xavier), um bruxo que irá disputar o coração dela com Lorens.

Foto: Divulgação/TV Manchete

Com uma grande crise financeira, a Rede Manchete resolveu investir na novela Brida na expectativa de aumentar sua audiência e tentar reverter os problemas financeiros que tinha. O livro já era um grande sucesso e a emissora planejava exportar a novela para todo o mundo. Na ocasião, em matéria para o jornal Folha de São Paulo, o diretor Walter Avancini afirmou acreditar no sucesso da novela e disse: “É claro que estou contando com o sucesso do Paulo. Não consigo imaginar alguma coisa que tenha o nome dele e não dê certo". Apesar de toda expectativa em cima da obra, a novela não agradou o público e dava 2 pontos de média, quando a meta para o horário era 10.

A trama estreou as 19h e a partir de 14/09 mudou para as 22h20, mas o público não foi alterado. Walter Avancini então afastou o autor Jayme Camargo e justificou: “O Jayme estava dando um olhar muito masculino à trama. Estava explorando muito as ações externas dos personagens. Quero uma história mais intimista, mais feminina. Não estava gostando desde o início". A partir de então a trama ficou a cargo de Sonia Mota e Angélica Lopes. Para reverter à queda na audiência, Avancini trouxe para a novela atores já conhecidos do público da Manchete, entre eles Carla Regina e Victor Wagner, que então fazia sua quarta novela seguida na emissora.

As atrizes Tereza Seiblitz e Drica Moraes haviam sido sondadas para o papel principal, mas acabaram não aceitando. Christine Fernandes já era dada como certo como a protagonista, mas desistiu devido às cenas de nudez. Carolina Kasting que iria viver Inês ficou com o papel. A autora Manuela Dias que escreveu sucessos como Ligações Perigosas e Justiça, participou como atriz da trama. O apresentador de telejornais Augusto Xavier participou como Mariano, mas não voltou a atuar.

A novela teve cenas gravadas na Irlanda. Entre as locações, um castelo em Limerick.

Foto: Divulgação/TV Manchete

A Rede Manchete tinha um contrato de risco com os patrocinadores. Se a novela desse 5 pontos aí sim haveria patrocínio. Apesar de utilizar de erotismo, a novela só conseguiu dar 2 pontos. Sem ter como pagar a equipe técnica e o elenco, os funcionários acabaram entrando em greve. Para justificar o final inesperado, a emissora colocou uma narração com imagens já gravadas dos personagens, dando um fim a trama. Na ocasião, não se sabia se haveria novela na semana seguinte. Na segunda-feira seguinte, a emissora voltou a reexibir seu maior sucesso: Pantanal.

Baseado na obra de Paulo Coelho, Brida foi escrita por Jayme Camargo, Sonia Mota e Angélica Lopes, com colaboração de Ana Fadigas e Samy Wurman. A direção ficou a cargo de Wálter Avancini, Sérgio Mattar, Lizâneas Azevedo e Luís Antônio Pillar. Com 54 capítulos, Brida teve um grande investimento por parte da Rede Manchete, o que acabou por acabar com os recursos financeiros da emissora, tornando-se a novela fraca que encerrou toda uma linguagem dramatúrgica própria da emissora. Não merece ser vista, mas merece ser recontada. Fica a dica.



Comentários (1) Postar Comentário

vlad comentou:

A Manchete ja havia feita besteira com Amazonia...que tambem dava 2 pontos.......só que esta foi até o final...era 1992....

Veja também