O Planeta TV

Um Novo Tempo: Globo pode mudar tradicional tema de final de ano

Colunista afirma que crítica de Faustão chamou atenção da emissora.

por Redação, em 12/03/2018

Faustão demonstra insatisfação. Foto: TV Globo

Ontem (11), Faustão voltou a criticar o tradicional tema de fim de ano da Globo. "Por isso eu encho o saco de falar: eu não canto mais essa p*** de ‘hoje é um novo dia…’. Aqui na Globo eu não canto mais, não é novo dia p*** nenhuma. O dia que tiver, eu volto aqui. Não tenho cara de pau para cantar isso”, disse o apresentador em seu programa, após reclamar da realidade brasileira (violência, corrupção, caos na saúde pública...). 

Segundo Keila Jimenez (R7), a insistência de Fausto Silva nesse assunto teria chamado a atenção da Globo, que estaria cogitando abrir mão de "Um Novo Tempo", composição de Marcos Valle, Paulo Sérgio Valle e Nelson Motta usada na programação de final de ano da emissora desde 1971.

A Globo não se pronunciou sobre o assunto.



Comentários (6) Postar Comentário

Noveleiro comentou:

Ninguém merece essa música.Todo ano a mesma palhaçada.

carlos comentou:

Se formos analisar tudo pelo lado ruim, não devemos sequer comemorar a virada de ano, pois é obvio que algo ruim no ano que entra vai acontecer, um amigo - parente ou nós mesmos estamos sujeitos a perder o emprego, falecer... enfim. A música só é uma esperança de melhora no ano que nasce.


Bru respondeu:

Concordo. E se fosse assim não teria motivo de comemorar ano novo , já que cada ano que passa tudo piora.


João comentou:

Talvez faria mais sentido se a música fosse: "hoje é um novo assalto, de um novo escândalo, que começou. Nesses novos dias, os deslizamentos, serão de todos, é só correr". Não gosto muito do Faustão, mas concordo plenamente com essa posição dele. Agora só falta ele repartir os 5 milhões mensais que fatura na Globo com quem não tem nada.

Geraldo comentou:

O que a música "peca" é pelo "novo tempo" e o Brasil realmente estagnou. Se a música a Globo apresenta desde 1971, é daquela década (70) muitas obras de Infra-Estrutura, como a Ponte Rio Niterói. Sabemos muito bem como são feitas as obras, atualmente: que o diga o Viaduto em Belo Horizonte. Quanto ao Faustão, lamento que depois de haver elogiado ele, pela diversidade de estilos musicais no Ding Dong, nos últimos dois domingos ele tem cedido bem à Midia, para sorte da Record, quando vi que as duas últimas músicas que ele apresentaria seria mesmice, a Record apresentava cães e gatos em suas bagunças nos apartamentos; pelo menos deu de descansar meus ouvidos :)

André Ouacht-Èrnatti comentou:

Não é porque este safenado falou uma verdade (a realidade brasileira) que anula a música-tema da Globo. A tradição é a marca da emissora e a música é um dos vínculos de fidelidade entre a Globo e o público. Vai ter coisa ruim o tempo todo, mas nada anula a existência de "Um novo tempo". Já está na memória e refazer do zero é besteira.

Paulo comentou:

Olha, se o Faustão fosse realmente se preocupar com questões importantes da vida nacional (eu sei que, na vida fora das câmeras, ele é um cara generoso e ajuda muita gente), se ele fosse levar a ferro e fogo um exame crítico de consciência ele até deixaria de trabalhar pra Rede Globo. Outra coisa: o quadro Ding Dong é bem bacana, mas as intervenções do Faustão a todo momento falando de política e pedindo para os convidados opinarem a mesma cantilena de sempre já está chato demais.

Veja também