O Planeta TV

"Não é um programa que eu goste", diz Gentili sobre o Conversa com Bial

No Porchat, apresentador também falou sobre Tatá Werneck.

por Redação, em 11/10/2017

Foto: Divulgação/Record TV

Entrevistado de ontem (10) do Programa do Porchat, Danilo Gentili divulgou seu filme (O Pior Aluno da Escola), participou de brincadeiras e deu sua opinião sobre outros talk shows da TV.

O apresentador  revelou que já assistiu todos os programas do gênero, mas disse que, ultimamente, não assiste nem o The Noite. "Sabe o que eu tenho feito na hora do programa? A gente (elenco e equipe do The Noite) sai da gravação do programa, eu chego em casa e mando mensagem no WhatsApp, a gente tem o grupo 'Jason, sexta-feira 13': "vamos jogar?'. E a gente fica, eu, o diretor do programa, os roteiristas, o Leo Lins, jogando vídeo game na madrugada", disse ele, que logo falou sobre o Conversa com Bial: "Eu, particularmente, gosto de me divertir a essa hora da noite, então, não é um programa que eu goste. Eu fui trabalhar e vi notícia no rádio, cheguei lá na hora do almoço e estão falando de notícia, aí tem jornalista falando, o outro lá 'cagando' regra, aí chega meia-noite, eu quero me divertir, aí tem mais coisa séria? Eu não gosto. Mas considero que seja um acerto dele fazer o que ele está fazendo, porque já tem a gente fazendo entretenimento", disse ele a Fábio Porchat.

Sobre o Lady Night, do Multishow, os dois não pouparam elogios à apresentadora. "A Tatá (Werneck) tá muito divertida. Ela é demais, acho sensacional", disse Gentili. "E ela é muito doida, né? Ela pergunta coisas que eu fico pensando: se eu e Danilo, se a gente perguntasse aquilo para aqueles caras, a gente estava ferrado!", comentou Porchat. "Se perguntar metade daquilo, já se ferrou", completou o apresentador do SBT.

Frequentemente envolvido em polêmicas por suas declarações e atitudes, Gentili voltou a falar sobre o politicamente correto: "A gente vive tempos em que parece que é um problema você desagradar alguém. Todo o mundo tem que ser agradado. Ninguém pode se sentir ofendido. Eu já acho o contrário, acho que ninguém tem o direito de passar por essa Terra sem ser ofendido".

No final do programa, Porchat e Gentili simularam uma luta na Guerra dos Talk Shows. No meio da brincadeira, Marília Gabriela surgiu no telão acusando-os de imaturos e promovendo a paz entre os concorrentes. 





Comentários (5) Postar Comentário

Valéria comentou:

Soneca com Bial rivaliza com o Programa Raul Gil o título de sonífero mais eficiente da TV brasileira.


Marcelo Castro Paraguassu respondeu:

realmente o programa do Bial é tão chato, quando não consigo dormir ponho lá pra pegar no sono rapido


hugonapow comentou:

CLARO! O PROGRAMA DO PEDRO BIAL NÃO É ESCROTO IGUAL O SEU. ALI É CULTURA, IMBECIL!


Bartosz respondeu:

Bitolado patético, tão ridículo quanto o insuportável Bial.


Marcelo Castro Paraguassu comentou:

Programa do Bial é sim um programa chato e sem nenhuma novidade e as atrações não traz na maioria nenhuma novidade... quem sofre de insonia é um excelente programa pra pegar no sono rápido

Vinicius Garcia comentou:

O Programa do Pedro Bial é bastante intelectual. Realmente, a pessoa intelectual em si, para algumas pessoas é insuportável, pois fala muita coisa que dá sono(para mim mesmo não). Vocês querem que o Pedro Bial chame a Mel Maia(menor de idade) e solicite que a mesma tome vodka, ou fique colocando álcool na caneca dos convidados? Não é do programa que vocês não gostam, é da emissora em si, ou do próprio apresentador. É um programa , parecido com o de Jô soares. A diferença de um para o outro é que, Jô Soares chamava os artistas para falar da vida pessoal. O Pedro Bial chama eles para falar dos assuntos que acontece nos dias atuais. Vocês querem o quê, afinal? Se acha tão ruim, vão lá no site da emissora e manda sugestões. Para criticar é um monte, mas para elogiar são poucos. Vocês tem que comparar um programa com o outro para depois criticar. 'Já pararam para pensar: 'Qual a diferença de um para o outro?'''' ''Porque um é mais chato, e o outro não?'' . Vamos aprender a comparar e separar as coisas?

Paulo comentou:

Eu ainda acho que a Globo deveria ter mantido o Programa do Jô. O Jô, embora já um pouco desgastado, era o único talk show em que conseguia conciliar o humor com momentos de papo sério. Além disso, Jô possuía o dom de conduzir entrevistas com anônimos e fazer com que ainda assim fosse atrativa ao telespectador.
É claro que há diferenças entre os programas de talk show que estão no ar. O mais chato, sem dúvidas, é do PorchatO. A princípio, não curti muito o Conversa com Bial, achei uma coisa meio Encontro com Fátima Bernardes do fim de noite. Porém, algumas entrevistas eu achei bacana. O Gentili é livre para ter a opinião dele, óbvio, mas o único talk show em que há conversa de fato e se busca ao menos ouvir o entrevistado é o do Bial. Nos outros, o entrevistador procura se aparecer em cima do entrevistado. Aliás, no The Noite, o humor mesmo fica por conta da trupe do programa, porque o Gentili ultimamente está bem chato também.

Veja também