O Planeta TV

Superstar 2x03 – Audições, Parte 3

Uma análise do último programa, exibido no domingo (26).

Por: Admin

Jurados se empolgam durante apresentação no SuperStar (Foto: Isabella Pinheiro/GShow)

Infelizmente queridos, por eu não ter visto o programa no domingo a noite por motivos de força maior (colunista também é filho de Deus e tem contratempos), excepcionalmente essa semana teremos uma análise bem mais seca do nosso reality musical favorito do momento (ou não , né?!)

9) Menina Faceira – Te Dar Um Beijo (Michel Teló) – 43% (NINGUÉM VOTOU ‘SIM’)

Como vocês verão mais a frente com Talagaço, não sou nem um pouco musicalmente preconceituoso, mas MEODEUSDOCÉU, QUE COISA MAIS BREGA! Desde os vocais da mulher até a pop-breguização de uma música bastante razoável do Michel Teló. É um tipo de música que faz sucesso concentradamente em locais específicos e uma sonoridade que a primeira vista estranha de algo que a gente já conhece, como Tiaguinho e Sandy disseram (querendo me copiar descaradamente hehe). Mais uma vez, Sandy foi MARAVILHOSA ao cobrar originalidade do grupo que é descaradamente comum. Não deu mesmo.

8) Supercrow – Piece Of My Heart (Jannis Joplin) – 68% (TODOS VOTARAM ‘SIM’, sabe Deus porquê)

Primeiramente, essa música é tão batida, que até eu to cansado de cantar no karaokê. Mas, mais óbvio que isso foi a nítida afetação com que o vocalista levou a canção. Essa performance foi o que eu chamo de caricatura musical, com uma música que não fez nenhum favor a eles musicalmente e levada de maneira a se apoiar nos piores aspectos estereótipos para cantores do tipo. Agora, ou Fernanda Lima é mais sem noção do que eu imaginei até aqui ou ela realmente é uma atriz de primeira (ou seja, é o primeiro caso!). Como já dizia nosso jurado-mor: “Queria ver vocês cantando outro material”; e na nossa jurada maravilha em ascenção: “trabalhem com a afinação”. E com isso, nada mais a dizer.

Obs: Para emocionar, comecem escolhendo uma música melhor.

7) Devir - Rude / Não Chore Mais (MAGIC! /Gilberto Gil) – 90% (TODOS OS 3 VOTARAM ‘SIM’)

A banda Devir conquistou a maior marca da noite com 90% de aprovação (Foto: Isabella Pinheiro / Divuulgação/ TV Globo)

Mais uma mostra do poder do reggae no Brasil, e eu simplesmente adoro. Acho que o reggae é um dos gêneros musicais mais subestimados do Brasil (e porque não do mundo?). Por isso fico muitíssimo feliz de ver esse gênero musical tão querido por mi representado no Superstar. Agora, passadas as partes boas, vamos às críticas. Para mim, ficou muito claro que o grupo foi aprovado mais pelo seu estilo musical do que méritos performáticos. A voz dela é maravilhosa, como bem disse Paulo Ricardo, mas se manteve em uma zona de pouco brilho e que pode (e provavelmente será) ser muito mais bem trabalhada, explorando agudos e falsetes, que possuem um tom áspero que eu amo. Por hora, Devir fica na promessa.

6) Yegor  Y Los Bandoleros  - Corazón Espinado (Maná) – 80% (TODOS VOTARAM ‘SIM’)

Pelo visto, essa é a noite dos clichês! Piece of My Heart, Corazón Espinado… Mas devo dizer que o clima criado por Yegor Y Los Bandoleros foi absurdamente mais crível que os do seus colegas de clichezencia (neologismos,a gente vê por aqui), Supercrow. Por vezes pensei que o fato de eles não terem cantado uma autoral denotava a falta de identidade do grupo (e isso me passa pela cabeça toda vez que alguém canta uma música já conhecida). Qual a minha surpresa ao ver Paulo Ricardo associando YyLB A Supercrow pela música escolhida! E essa conexão mental com os jurados, como fica? Bem, vou ficar aqui sentadinho esperando eles me convencerem musicalmente que não são apenas um grupo de covers.

5) Radio Radar - Times Like These (Foo Fighters) – 70% (TODOS VOTARAM ‘SIM)

É aquele rock internacional que estilisticamente a gente adora, mas que não empolga tanto porque tem brasileiro que não consegue empolgar cantando em inglês, por mais que tente. Foi uma performance muitíssimo bem executada e apesar das minhas reservas com o vocalista, foi empolgante, mas acredito que tenha sido mais em relação à música do que qualquer outra coisa. Como muito bem disse Sandy, eles mostraram bastante segurança e por isso, acredito que fizeram por merecer a vaga garantida. Mas só por curiosidade, quero ouvi-los cantando em português, pois acredito que ele será uma performance incrível!

4) Talagaço – Deixa Ele Beber (Autoral) – 59% (Tiaguinho votou “sim”)

Me julguem a vontade, mas curti essa vibe forró sertanejo, que eu cresci escutando (nem sempre por vontade própria) e que respeito. Dentro do gênero, é uma baita música e que certamente já seria sucesso se gravada por uma banda mais reconhecida. Toda a vibe, a atmosfera criada foi muito condizente com o estilo deles, e vou usar a palavra de Tiaguinho: “radiofônica”. Ao contrário de Sandy adorei bastante a apresentação deles, mas entendo as restrições do Brasil como um todo a esse tipo de música. Agora Paulo Ricardo(sempre ele), deu uma explicação mais interessante a respeito da votação. Realmente, a música apesar de boa, é melodicamente e liricamente clichê e concordo que falta originalidade ao grupo, mas se eles pretendem construir realmente a identidade musical que descreveram no VT, eles precisam de mais um tempo para amadurecer.

3) Lucas e Orelha – Presságio (Autoral) – 86% (TODOS VOTARAM ‘SIM’)

A primeira impressão que tive deles foi que tanto vocalmente quanto musicalmente eles são bons, mas ainda tem bastante espaço para amadurecimento e crescimento. Não foi nem um pouco injusto eles avançarem na competição, principalmente tendo em vista toda a comercialidade deles, mas nada me tirou a ideia de que faltou maturidade. E foi quando Paulo Ricardo (contem quantas vezes tive que escrever esse nome aqui) disse “Claudinho e Buchecha” que me toquei que ambos eram uma versão jovem dos dois. E concordo muitíssimo com Sandy também quando disse que eles eram nitidamente influenciados pelo soul, pelo R&B e tinham um jeito pop e jovem de envolver o público, o que sempre conta pontos a favor! Prevejo um grande futuro para eles no programa.

2) SCAMBO – Depois de Ver (Autoral) – 84% (TODOS VOTARAM ‘SIM’)

Chega a ser incrível como achei comercial essa música comercial. Juro que consigo ouvir na rádio. Achei que havia um excesso de letra, o que muitas vezes não casava com o tempo, mas isso foi problema secundário depois que eu já estava até imaginando como se daria o clipe dessa música (sim, eu fui longe assim). Vocalmente, não vi nada demais, como muitos grupos desse ano, mas assim como Fernanda Lima, eles me ganharam pela musicalidade extremamente original, e com potencial para preencher um espaço vazio no mercado atual. Incrível como Tiaguinho praticamente disse a mesma coisa que eu. Mas Paulo Ricardo, apontou (muitíssimo corretamente) para a fusão de gêneros (coisa que eu amo por natureza) e ainda apontou alguns problemas que mais ou menos passam a mesma ideia. Agora, Sandy simplesmente me surpreendeu completamente ao pontuar que o estilo alternativo deles pediu um pouco linearidade, algo que eu sempre noto, mas deixei passar dessa vez. EITA BANCADA BOA ESSA! No mais, acredito que indo longe ou não no programa, eles podem fazer muito sucesso Brasil afora.

1) Serial Funkers  - A Batida do Coração (ORIGINAL, MAS NÃO AUTORAL) – 82% (TODOS VOTARAM ‘SIM’)

Serial Funkers fechando a noite da terceira Audição do SuperStar (Foto: Isabella Pinheiro/TV Globo)

Gente, como pode um nome de banda tão bacana e um nome de música tão comum, tão qualquer coisa. Bem, ficou bem claro que o funk deles é mais parecido do funk americano do que do brasileiro, o que não é nem um pouco ruim. Tivemos aqui um tipo musical relativamente escasso no Brasil sendo magistralmente defendido por um vozeirão daqueles, que me ganhou pelos falsetes (sempre eles). Foi linear? Foi, claro, mas muito longe disso me incomodar. Principalmente, porque tinha tanta coisa boa no palco para nos concentrar. Gostei que PR nos remeteu a Tim Maia, o que é realmente quem eu imaginei ao vê-los no palco.

Obs: Muitíssimo curioso pra ver o samba tomar conta deles daqui pra frente.

Bem galera, foi isso. Foi a noite de audições mais morna até agora, mas não descarto a possibilidade de um dos grupos aí de cima tomarem conta do jogo mais a frente! Interessante como essa noite se destacou mais pela originalidade do que pela excelência dos grupos. Mas eu não poderia me despedir sem dar crédito a quem merece: SANDY CONCORRENDO SERIAMENTE COM PAULO RICARDO PARA VER QUEM DÁ OS MELHORES FEEDBACKS.

Se semana passada eu disse que a cantora do eterno “Vamo Pular” era o elo fraco da bancada, esse posto passou a ser de Tiaguinho com uma larga distância. Sandy, além de ter se mostrado a fofa da bancada, também mostra ter conhecimento de vida e de carreira suficientes para ocupar a cadeira que ocupa. Sabe criticar com jeitinho, e mais ainda dar sugestões pra lá de pertinentes. Se continuar assim, vou ter que dedicar um post inteiro só para ela (o post só de Paulo Ricardo já está encomendado, relaxem!)

Bem pessoal, a partir da próxima semana, a coluna será atualizada todas as segundas-feiras. Espero vê-los aqui acompanhando essa delícia de temporada que o Superstar vem construindo! Até mais!



Publicidade

Comentários (5) Postar Comentário

dinho comentou:

sinto muito jovem mas vc de colunista não vejo futuro, se a TV globo passar exame de DNA vc diz que é espetacular!


Daniel Melo respondeu:

Posso até 'não ter futuro' como colunista, mas isso não muda a minha opinião de que essa temporada está muito boa! Meus textos aqui são essencialmente pessoais e em nenhum momento imponho como verdade única. E mais, quem me acompanha aqui desde os tempos de The Voice, sabe que eu não deixo de criticar quando acho que devo. Posso estar julgando o Superstar por parâmetros mais baixos que os do ano passado? Com certeza! Mas eu prefiro assistir um programa exaltando aquilo que me agrada do que sair procurando defeitos em todo lugar como você provavelmente faz!


Tadeut comentou:

Cara como assim Supercrow lacrou e fez uma ótima apresentação q eu gostei não é fácil cantar Janis Joplin. Sei q é sua opinião mas percebi q vc não gosta de cantores q gritam desde a época do the voice quando vc falava mal da Twyla e do Gabriel Silva q eram as melhores vozas da temporada.


Daniel Melo respondeu:

E aí cara?! Adoro uma boa gritaria, mas desde que seja com afinação! Minha discriminação é com quem usa essa gritaria só por usar, de maneira que fica incômoda demais (como era com Twyla e Gabriel Silva). Adoro artistas que entendem que estilo é mais importante do que notas altas. Abraços, volte sempre


Gabriel Welch comentou:

Fala Daniel. Seu texto tá ó... UMA BELEZURA. Muito bom.
O nível das bandas ainda me preocupa e MUITO, está bem mais abaixo que ano passado, mas tá tudo fluindo tão bem que às vezes até esqueço disso.
O programa foi bom, mas muitas bandas não me agradaram. Gostei muito do Devir, ao contrário de você, acho que eles podem e devem trazer muita coisa boa e já mataram o que matou Yute Lions ano passado: ter que cantar algo do Bob Marley. Gostei de Scambo também, mas preciso ouvir mais deles. No mais, achei o resto bem meia boca.
Agora vamos dar mérito a quem merece: O QUE É ESSA BANCADA, BRASIL? Odeio Thiaguinho, mas em momento algum ele me irrita, até porque toda vez que ele é acionado não paga mico, e ele parece bem humilde, então, isso é um ponto BEM POSITIVO. Tô num amor profundo com PR, que também é humilde e faz críticas ESPETACULARES. E Sandy, bicha você é destruidora MESMO. Simpática, carismática, dá dicas técnicas e vem calando a boca dos haters TUDO.
Creio que esse último dia de audições será mais corrido (com mais bandas) pois só têm três bandas na repescagem.
Na minha opinião, os times estão assim: Sandy >> Thiaguinho >> PR, mas existe um equilíbrio bem grande. Das bandas classificadas, gosto de Leash, Trio Sinhá Flor, Kita, Devir e Supercombo nessa ordem.


Daniel Melo respondeu:

Não descarto a possibilidade de Devir ser um doa grandes nomes da temporada, até porque já chegaram com a maior votação até agora. Apenas acho que fizeram uma audição sem brilho! Quero muito torcer por eles, mas esse algo a mais que falta não deixa, pelo menos por agora!


Luh comentou:

Parabéns pelo post, excelentes comentários!
Torcendo por Scambo, fazem parte da minha adolescência. Procure no youtube, tem muita coisa boa! Achei que eles poderiam ter trazido um canção mais empolgante ou a versão deles de Carcará que é incrível. Tomara que eles fiquem por bastante tempo pra mostrar o trabalho delicioso deles. Pedro Pondé é um compositor excelente!
Amei a voz suave da cantora do Devir, no entanto apesar da música ser bem atual e do pout pourri, achei que faltou alguma coisa, sei lá. Não me arrebatou, não entendi a porcentagem, ainda que torcendo pra eles passarem. Quero ver mais!
Como me surpreendi com os meninos Lucas e Orelha! São bem comerciais, afinadinhos e traz um som leve e gostoso de ouvi. Se bem direcionados podem fazer sucesso no mercado.Torcendo pelos meninos!
Caramba que voz a do cara do Supercrow, não? Mas concordo com você, não me empolgou, não levantou a galera, não emocionou. Tudo muito técnico, bem distante do público. Podiam ter trazido algo original, mas fizeram mais do mesmo!
Yegor é bem teatral (hahahaha). O timbre dele, além de lindo, é bem característico das bandas com essa pegada (parece com a do cantor do Maná, Juanes), meio anasalada, e acho que falta no mercado uma banda assim. Feliz por eles terem passado, Campim Cubano tb fez parte da minha adolescência. A audição 3 foi pura nostalgia.
Serial Funkers se continuarem assim vão me fazer dançar que nem a Sandy (hahaha)!

noah comentou:

gente ,esse blog é sobre realitys certo?então porquê vcs não fazem comentarios sobre cozinha sobre pressão e master chef,esse programas são realitys certo? ou sô por quê são sobre culinaria vcs não consideram realitys?

Veja também

Publicidade