O Planeta TV

“Hoje é um novo dia...”

Por: Jonathan Pereira E-mail para contato: [email protected]

“Hoje é um novo dia...”

Assim como peru, champanhe, especial de Xuxa e Roberto Carlos, a vinheta de final de ano da Globo é tradição em dezembro. A música tema, “Um Novo Tempo” é a marca desse período, ganhando novas roupagens com o passar dos anos. Escrita por Nelson Motta, ela já foi tocada em praticamente todos os ritmos.

A emissora costuma reunir seu elenco para cantar ou mandar uma mensagem. A primeira foi exibida em 1971, em preto e branco, e mostrava os atores sob uma lente, antes de se unirem Em 1976, os atores apareciam em um grande arraial, com confetes e balões. De 1981 para 1982, as estrelas foram para a roça interagir com meio rural, colhendo frutas e ajudando a tosquiar o rebanho, por exemplo.

Por pelo menos duas vezes os funcionários que trabalham atrás das câmeras foram homenageados. Em1980, eles eram apresentados pelo próprios atores e apresentadores de forma bem humorada e divertida. Dez ans depois, formaram um enorme coral.

Ao completar 25 anos, a Globo colocou todos os famosos do cast para vestir roupas coloridas que, em conjunto, lembravam o logo da emissora. A música deu lugar a outra, que era o slogan de então: “Não tem pra ninguém, a Globo 90 é nota 100″.

Fátima Bernardes sapateou, Chico Anysio cantou tango e Xuxa se vestiu de“Nega Maluca”, na vinheta da virada 1991/92, para aderir ao slogan “Tente, invente, faça um 92 diferente”.

Em 1994, nos 30 anos da emissora, os artistas vestidos de branco ficaram sentados em uma extensa mesa de jantar, com o então presidente das Organizações Globo, Roberto Marinho, e sua esposa, Lily. Já em 1995, para aproximá-lodo público, o elenco foi filmado em situações do dia a dia, como recebendo uma carta, caminhando ou comendo.

O mundo vai evoluindo, e o encontro dos famosos em 1998 foi “virtual”. Pequenas janelas mostravam-nos em cenários diferentes, cantando jo jingle. No fim, essas janelas formavam o mundo, que vira o símbolo global. Em 2001, ano do atentando às Torres Gêmeas mos EUA em 11 de setembro, eles ergueram taças de champanhe, pedindo paz.

A Globo abriu espaço para as religiões mandarem seu recado pedindo paz em 1985. As crianças também foram utilizadas várias vezes, associadas ao futuro e a esperança. Em 1979, os artistas eram mostrados brincando com os pequenos. Em uma mensagem mais Cult, Renato Aragão, Ney Latorraca e outros atores apresentaram, em 1982, as obras Meninos de Brodowski, de Portinari.

Já em 1986, crianças de todas as partes do país eram levadas através de vários meios de transporte para Brasília, subindo a rampa do Palácio do Planalto. Foi provavelmente a mensagem mais politizada de todas, pois dizia que a Constituição (que seria aprovada dois anos depois), estava sendo formada para as novas gerações, as “donas do país” de verdade. No fim, uma visão panorâmica de um mapa do Brasil formado só por crianças.

A transformação de filhos em pais foram abordadas em 1996. O comercial começava com fotos reais dos artistas quando crianças e, com recursos de computador, viravam adultos. Na passagem de 1997 para 1998, com o boom de grávidas, as atrizes que foram mães traziam seus filhos no colo, ao som do trecho “O futuro já começou”.

A vinheta de 2007 transformou o elenco da emissora em desenho animado, construindo o símbolo do canal, com cenas engraçadas. Foi talvez a melhor desta década. O tema deve ser tocado ainda por muitos anos. O desafio é não cair na repetição, coisa difícil para algo que há 38 anos vai ao ar. Ficou curioso? Não lembra? Vale a pena entrar no Youtube e dar uma olhada. Feliz 2010!




Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também