O Planeta TV

"Embarque nesse Carrossel..."

Por: Jonathan Pereira E-mail para contato: [email protected]

"Embarque nesse Carrossel..."

"Entre duendes e fadas a terra encantada espera por nós / Abra o seu coração na mesma canção, em uma só voz/ Entra, vem no picadeiro pintar essa cara com tinta e pó / Deixa a criança escondida esquecida esquecer que ela é avó/ Embarque nesse Carrossel, onde o mundo é o faz de conta, a terra é quase o céu". Durante um ano, milhões de crianças em todo o país aguardavam ansiosamente por essa música todas as noites em frente à TV. Era a novela Carrossel, um dos maiores sucessos da história do SBT.

A novela infantil mexicana, produzida pela Televisa, foi uma verdadeira febre. Quem foi criança em 1991 acompanhou atento os alunos da professora Helena na Escola Mundial. Em um horário em que os pequenos nada tinham para assistir (20 horas), a audiência do SBT foi às alturas (mais de 20 pontos), incomodando o Jornal Nacional e a tradicional novela das 8 (O Dono do Mundo). A repercussão foi tamanha que, ao vir ao Brasil, a intérprete da professora Helena, Gabriela Rivero, desceu a rampa do Congresso Nacional com o então presidente Fernando Collor.

A principal razão do sucesso foi retratar com fidelidade e simplicidade o cotidiano de crianças em idade escolar. As brincadeiras, o dia-a-dia deles era praticamente idêntico ao dos que estudavam naquele início de década. Os personagens representavam o que se podia encontrar em qualquer escola do mundo: o(a) gordinho (a), o bagunceiro, o CDF, os riquinhos, os bem pobres. Todos sob a tutela da doce professora Helena, que não se limitava a dar aula e se envolvia nos problemas dos alunos, indo à casa deles conversar com os pais. Sempre compreensiva e disposta a ajudar, era a professora que toda criança gostaria de ter.

Além disso, a história era ágil: os problemas surgiam e eram resolvidos na mesma semana (muitas vezes em dois dias). Aos sábados, era exibido um compacto da semana, com um ritmo ainda mais frenético. Cada aluno tinha seu momento de destaque, na escola ou fora dela. Os problemas enfrentados no lar eram comuns a qualquer família, como separações, maus-tratos, alcoolismo e desemprego. Impossível não se identificar.

As crianças não ligavam para as críticas dos adultos, que atentavam para o cenário e o figurino precários e a choradeira demasiada. O que elas queriam era ver na TV pessoas como elas, que passavam pelos mesmos problemas que os seus.

Para refrescar a memória, a rica Maria Joaquina Villaseñor maltratava o ingênuo Cirilo por ele ser negro. Mesmo assim, ele gostava dela e insistia em conquistá-la. Seu concorrente era o riquinho Jorge Delsalto. Freqüentemente Cirilo era humilhado pelos dois, com frases explícitas de preconceito racial ditas naturalmente, como infelizmente acontece na vida real.

O menino pobre Mário Ayala, muito maltratado pela madrasta, também recebeu destaque. Ele tinha um cachorro, Rabito, que certa vez sumiu, mobilizando seus amigos e até a professora para encontrá-lo.

A romântica Laura era vítima de piadas, por ser gorda. Os gordinhos da época eram chamados de Jaime Palillo (muitos até gostavam), um carismático garoto que o pai considerava burro. O outro gordinho da trama, Adriano, mal aparecia na versão exibida por aqui.

Marcela sofria com a separação dos pais e o loirinho David, com a doença da avó. Havia ainda Valéria, Daniel, os irmãos Paulo e Marcelina, entre outros, todos com um drama pelo qual passar. As cenas melodramáticas faziam o público chorar junto com os personagens. Atrelado a uma música triste, as lágrimas corriam soltas dentro e fora da tela.

Os poucos funcionários da escola que apareciam eram o porteiro Firmino e a severa diretora, Dona Oliva. Todos os dias, após a música de abertura a professora Helena fazia a chamada. Entre as cenas disponíveis na internet, está o acidente que a professora
Helena sofreu na estrada
. Há ainda uma imperdível entrevista (em espanhol) com parte do elenco, 15
anos depois
.

O SBT voltou a exibir Carrossel várias vezes à tarde, mas pouquíssimas até o fim. Depois disso foi feita uma continuação (ou remake disfarçado), 'Carrossel das Américas' - ainda com Gabriela Rivero como a professora Helena - , e 'Viva às Crianças - Carrossel 2'. Nenhuma, no entanto, chegou perto do sucesso da original. E agora Sílvio Santos mandou preparar a versão brasileira de Carrossel. É cedo para dizer se as crianças atuais vão gostar.





Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também