O Planeta TV

A Força do Querer: Ritinha procura Zeca na prisão, e os dois se beijam

Saiba como será o reencontro no capítulo desta quinta (17).

por Redação, em 17/08/2017

Foto: Divulgação/Globo

Apavorada com a possibilidade de ser processada por bigamia, Ritinha (Isis Valverde) consegue ir até o presídio onde está Zeca (Marco Pigossi) com a ajuda de Bibi (Juliana Paes). A presença dela surpreende o caminhoneiro, que acredita ser Jeiza (Paolla Oliveira) quando vê uma mulher se aproximando. “Me salva, Zeca!”, implora a sereia, antes de dizer qualquer coisa. Ele pergunta como ela foi parar lá, mas Ritinha continua pedindo por ela. “Tu vais me salvar, não vais? Zeca, tua advogada  falou para a Marilda que tu vais me botar na cadeia, por conta de ter me casado no papel com o Ruy, estando casada contigo!”, explica. 

Zeca não se compadece e Ritinha alega que não sabia que era crime se casar duas vezes no papel. “Eu que não vou empatar minha vida, ficar sem poder me casar de novo por causa de ti! Mandei ela tocar o processo mesmo! Mandei! Tu vais te lascar!”, diz o caminhoneiro, com sua bravura peculiar. 
   
A sereia continua implorando e Zeca começa a relembrar tudo o que aconteceu entre os dois até a fatídica festa de casamento, que o levou a atirar em um homem. O desabafo é grande. “Tu tens noção do que tu fizeste com a minha vida, Ritinha? Tens? Nem que eu não quisesse sair de Parazinho, não tinha mais nem cara de ficar lá, depois da vergonha que passei perante todo mundo!”, extravasa, depois de relembrar todos os fatos. “Me perdoa Zeca! Me perdoa! Eu nunca quis fazer mal nenhum para ti!”, continua apelando Ritinha. 

Sentindo que Zeca continua firme, ela começa o seu “canto da sereia”. “Tu achas que eu não gosto de ti? Tu achas que eu não me lembro, que eu não dou valor a tudo que a gente viveu lá em Parazinho? Achas?”, diz, e continua. “Tu vais ter coragem de me fazer tanto mal? Zeca... sou eu, Zeca! Ritinha...! A mesma Ritinha que te esperava voltar de viagem dentro do rio, nadando com os botos... ficava te chamando para entrar na água...”. 

Ele se mostra nostálgico e ela continua com sua lábia. “A mesma Ritinha que dançava pra ti nas noite de carimbó...que se embolava contigo tarde da noite na beira do rio....sou eu, Zeca... Ritinha...”. Ele fica confuso e ela parte de vez para o bote. “Tu não me esqueceste não. Nem eu te esqueci!”, diz, chegando mais perto, quando ele não resiste a um beijo bem quente. 

Depois, Zeca volta a si, mas promete que não vai decidir nada em relação ao processo enquanto estiver preso.     
As cenas estão previstas para irem ao ar a partir desta quinta-feira, dia 17. A Força do Querer é uma novela de Gloria Perez, com direção artística de Rogério Gomes. 





Comentários (3) Postar Comentário

Cibele comentou:

#zecaeRitinhajuntos!

Lara com Z comentou:

Desde do inicio minha torcida e Zeca e Ritinha.Não só pela historia eletrizante e cheia de emoção que existe entre os dois,mas também a química fatal do casal na novela.Quando coloca os dois na mesma cena e inevitável o amor que transborda no ar.Com essa reviravolta que vai acontecer agora na novela,acho difícil o publico não se render pelos dois,principalmente porque a agora terá Jeiza e Caio e Ruy vingativo com ares de vilão,o que vai afundar de vez as chances dele ter um final com Ritinha...acredito muito na final Ruy e Cibele!


Televisivo respondeu:

A Glória Perez é tão mestra, que ela pensa no todo da obra. No fim de tudo, a trajetória do Ruy, vai ser a mesma que a Cibele. Um par de chifres e um filho que não é dele. O cara vai do céu ao inferno, e aí sim...é super justificável ele pirar e se tornar uma espécie de antagonista.


Geraldo comentou:

Se deste encontro Não surgir mais um "Ruyzinho" Não será nada. Agora o que será que a Glória vai apresentar como justificativa para o Ruy continuar rejeitando a Cibele e "investir" num casamento que dá a entender que ele sabe Não ser amado: Não abriu o envelope sobre resultado de paternidade mesmo sabendo que o suposto material dele é antigo (e convenhamos surreal, coletado em conversa de "árvore genealógica") e, que a Ritinha não sai da Vila que o Zeca mora.

Veja também