O Planeta TV

Fantástico: Um domingo de muitas novidades

Revista eletrônica da Globo estreia nova abertura com os quatro elementos da natureza.

por Redação, em 09/03/2017

Foto: Divulgação/Globo

O próximo domingo, dia 12, será marcado por muitas estreias no Fantástico. Duas novas séries, a volta do ‘Repórter Secreto’ com denúncias de corrupção e descaso com a população, além de uma nova abertura que resgata a força e a beleza da dança. “Há 2.263 domingos nos propomos a ser um programa que tem como marca a inovação. Uma revista eletrônica que sintetiza um pouco de tudo que a Globo oferece para o público: informação com furos de reportagem, entretenimento, emoção. Essas novidades que vamos estrear no próximo domingo e ao longo dos próximos meses refletem um pouco dessa filosofia”, explica o diretor do programa, Luiz Nascimento.

Na nova série de quatro episódios ‘Quem sou eu?’, Renata Ceribelli se propõe a contar histórias de transgêneros em diferentes fases da vida, ressaltando a diferença entre identidade de gênero e orientação sexual. O que a ciência já consegue explicar? “A desinformação e o desconhecimento sobre o assunto geram muito preconceito e muito sofrimento para quem passa por essa situação”, afirma a repórter. “Escolhemos contar essas histórias fazendo um paralelo com a fábula de ‘Alice no País das Maravilhas’. A nossa Alice que parte em uma jornada de autoconhecimento representa todas as pessoas que sentem que nasceram no corpo errado e estão em busca de sua identidade”.

No episódio de estreia, Renata Ceribelli mostra que a questão vem desde a infância e apresenta casos de crianças que, já muito cedo, sentem que nasceram no corpo errado. É o caso da Melissa, de 11 anos, que nasceu Miguel. Mel sempre se viu como menina. “Pra mim, eu estava fantasiada de menino até 9 anos. Nove anos com uma fantasia quente e pinicante”. No segundo episódio são retratados adolescentes, com todas as questões e dúvidas dessa fase. O terceiro foca em jovens adultos e discute as implicações da cirurgia de redesignação sexual. Para finalizar, a série fala de relacionamentos e mostra a formação das famílias. 

A outra estreia de domingo é a série ‘Olha quem fala’. Poliana Abritta reúne um time de especialistas para ajudar pessoas que têm pânico de falar em público e que perdem oportunidades importantes na carreira e na vida por conta deste bloqueio. Em quatro episódios, o consultor de carreiras Max Gheringer e o professor de expressão verbal Reinaldo Polito, referência no Brasil em oratória, dão dicas não apenas a João, Luzia e Wilson, os três personagens da série, mas a todos que precisam usar esse recurso, sobretudo profissionalmente. Em casa, o público será convidado a encarar os desafios propostos para treinar junto com os participantes e superar os seus limites. “Uma pesquisa norte-americana revela que 41% dos entrevistados têm mais medo de falar em público do que de morrer. É um dado impressionante. As pessoas geralmente não são treinadas para isso”, afirma Poliana. 

Poliana Abritta. Foto: Globo/João Cotta

Reinaldo Polito, que já escreveu 29 livros sobre o assunto, garante que há técnicas capazes de fazer a mais tímida das pessoas se sentir segura ao falar em público. “Mesmo com o avanço das tecnologias, a conversa no olho a olho, pessoalmente, sempre será fundamental para uma carreira minimamente bem sucedida. E a grande maioria das pessoas que tem receio e vergonha de falar em público poderia ser treinada. Eu mesmo só fiz a minha primeira apresentação pública aos 31 anos. Até então achava que não era capaz, considerava uma tortura”, revela Max Gheringer. 

O domingo marca também a volta do ‘Repórter Secreto’, um dos quadros mais populares do Fantástico. “Desde que estreamos o quadro, há dois anos, já recebemos mais de 100 mil denúncias de quase todos os municípios brasileiros. O nosso repórter secreto Eduardo Faustini já percorreu 50 mil quilômetros para dar voz à indignação e ao sofrimento do povo, e as nossas reportagens levaram mais de 100 pessoas à prisão por corrupção e desvio de dinheiro público”, conta o apresentador Tadeu Schmidt. No episódio de estreia da nova temporada, Faustini vai à Foz do Iguaçu, no Paraná, mostrar o sucateamento da saúde pública por conta de uma organização criminosa que tentou um golpe de quatro bilhões de reais. As fraudes com dinheiro público da cidade somam 60 milhões de reais.

Embalando as novidades do programa, esse domingo o Fantástico estreia nova abertura, em que os quatro elementos da natureza e a força do movimento, representado pela dança, ganham destaque. Resgatando o balé, traço importante das aberturas do programa, a coreografia do novo trabalho reúne o clássico e o urbano. Em meio a passos soltos inspirados na dança de rua, os quatro elementos da natureza – fogo, ar, água e terra – se revelam por computação gráfica, “explodindo” visualmente nos passos dos bailarinos. A trilha, outro marco das aberturas do Fantástico, ganha um arranjo mais forte para acompanhar as novidades da peça. Assim, a nova abertura do programa reforça sua origem e a ideia de que as transformações da natureza movimentam a vida e o mundo.

“A abertura do ‘Fantástico’ é, na verdade, um manifesto. É um produto que comunica as características do programa e também da marca Globo”, explica Sergio Valente, diretor de Comunicação da Globo. “Cada vez que pensamos em uma nova abertura para o programa, nos desafiamos a imprimir algo que nos ajude a responder à pergunta: o que é fantástico? O fogo, o ar, a água e a terra são a base de tudo o que há de mais fantástico no mundo. Resgatamos também a dança, mas queríamos algo novo. Encontramos o trabalho incrível da Companhia Urbana de Dança, que representa a diversidade e o talento mais puro do brasileiro, e misturamos com bailarinas clássicas para criar essa coisa nova, causar esse impacto que a coreografia da abertura traz”. 

O Fantástico vai ao ar aos domingos, após o Domingão do Faustão.



Publicidade

Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também

Publicidade