O Planeta TV

Crítico, eu?

A relação desgastada entre a programação televisiva e eu.

Por: Emerson Ghaspar - Contato: [email protected]

Publicidade

Ei, saudações caros leitores que estão dispostos a me agüentar e ler esse segundo post que escrevo para essa coluna: “Pagando pra ver”. Resolvi escrever para essa coluna porque acho que assim como eu, você também deve estar cansado de tanta porcaria que passa na TV atualmente, que nem pagando (percebeu o trocadilho infame!) você toparia assistir, ou quem sabe, pagando bem podemos chegar a um acordo.

Brincadeiras a parte, não esperava que meu editor fosse publicar o texto anterior, mas já que ele aceitou, vou tentar publicar esse e se vocês estão lendo é sinal de que consegui. Minha intenção é essa, me tornar amigo de vocês a ponto de que mandem links pra curtir no Facebook ou encham minha caixa de email. Estou disposto a isso. Enfim, estou pensando se devo transformar essa coluna em semanal ou quinzenal, e vocês, o que acham? Essa será nossa primeira interação...

Um e-mail de um leitor na semana passada, disse que sou um invejoso e um alienado que adora cultura americana. Não é bem assim, acredito que como eu, vocês esperam por algo novo  e instigante. Se isso faz de mim um chato, paciência. Isso quer dizer que meu analista vai tirar uma boa grana de mim, afinal alguém tem que lucrar nessa história.

Vocês realmente acreditam que a TV hoje em dia é original e nos tratam com inteligência? Vamos a programação segunda a sexta das emissoras (ou pelo menos a maioria delas).

Manhã. Você acorda e já tem um noticiário apresentando as barbaridades que aconteceu enquanto você dormia. É tiroteio, chacina e tanto sangue que daria para repor todos os bancos de sangue do país. Em seguida passamos, para programas de culinária, debates e revistas eletrônicas que nos fazem querer voltar para cama urgente. É tanto assunto que as vezes é o mesmo, só muda o programa e o dia da semana. Tirando SBT, Band e TV Cultura, que ainda tem sua programação matutina voltada para o publico infanto juvenil, as opções se baseiam a isso: telejornais seguidos de revistas eletrônicas (chatas por sinal). Em nenhum momento estou desmerecendo seus profissionais, mas se reinventar faz toda a diferença.

Tarde. É o buraco negro da programação. Não tem nada pra colocar? Coloca reprise. As novelas do SBT já reprisaram tanto que o povo já sabe o que vai acontecer e já postam no twitter a fala do personagem antes dele abrir a boca. “Maria do Bairro” é mais brasileira do que mexicana de tanto que já passou e ainda dá audiência. Nas outras emissoras não é diferente, a “Sessão da Tarde” vive passando filmes que não chamam atenção e só tem audiência porque o canal vive ligado nas clinicas dentárias e lojas de eletrodomésticos. Seguindo o tema “revista eletrônica”, ela se estende em produções na RedeTV! e Record, que tentam cativar um publico cada vez mais ausente. Esse é o horário mais preocupante, nada dura, nada fica e com a audiência cada vez mais instável é provavelmente que amanhã esteja sendo reprisada uma coisa diferente de hoje. Mas detalhe: “Chaves”, “Todo Mundo Odeia o Chris” e a 158742685 temporada da “Malhação”, tem lugar cativo na grade.

Noite. O aclamado horário nobre (nobre? Vamos rir, kkkkk) se estende por atrações que mesclam um pouco da tarde com atrações novas.  Os telejornais que nos acorda, agora se tornam mais popularescos, mais tragédias estão de volta a TV a partir das 17h, em pelo menos 3 emissoras.Já a Globo a partir das 18h começa a exibir suas novelas, intercalados por telejornais, em produções hora criativa, ora chatas, que nos dá sono. Novelas, são destaques nas três maiores emissoras e costumam ser o carro chefe.  Talvez o horário nobre seja o menos instável, mas é o pote de ouro das emissoras e uma reformulada às vezes se faz necessário. Vale lembrar que Silvio Santos exibiu a “Casa dos Artistas” e estourou a moda dos realitys no Brasil.

O final da noite é marcado por telejornais, entrevistas, filmes e séries que agradam o público que as assiste e talvez seja o mais inovador ao apresentar programas como “Amor e Sexo”, Agora é Tarde”, entre outros.

Fui muito crítico em minhas considerações? Talvez, mas você está totalmente feliz com o que vê na TV?  Discorda, ou apóia?

Na semana que vem uma critica construtiva, para provar que nossa TV tem obras inteligentes e merecedoras de nossa atenção. Parece missão impossível, mas não é.


Deixe o seu comentário


Publicidade


Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Publicidade

Veja também

Publicidade