O Planeta TV

"É esdrúxulo um mafioso em Paraisópolis", diz Lima Duarte

Ator critica a novela das sete e revela que Dom Peppino vai sumir mais uma vez.

por Sergio Gustavo, em 14/10/2015
Publicidade

Lima Duarte como Dom Peppino (Foto: Raphael Dias/GShow)

Depois de uma participação especial logo no início de I Love Paraisópolis, Lima Duarte foi chamado de volta para o momento de renovação da história, segundo disseram os autores da novela. Interpretando um mafioso italiano em uma novela nada apegada à verossimilhanças, Lima fez críticas à trama de Alcides Nogueira e Mário Teixeira. "É esdrúxulo um mafioso em Paraisópolis", disse o ator. "Eu não esperava voltar para a novela, mas precisavam de um vilão e me chamaram. Parece que o pessoal de Paraisópolis não tem maldade", disse Lima, de forma irônica, ao jornalista Daniel Castro (Notícias da TV).

Apesar das ressalvas, Lima não está insatisfeito e se diz feliz por poder "trabalhar muito". Quanto à história, o veterano compreende que os autores usam um pouco de "realismo fantástico", gênero que ele frequentou em novelas como Fera Ferida (1993), atualmente reprisada pelo canal Viva.

O ator revelou que Dom Peppino deixa I Love Paraisópolis mais uma vez: "Ele vai sumir e depois voltar, uma confusão". O sumiço se deu no capítulo desta terça-feira, 13.

Essa não é a primeira vez que Lima faz críticas a uma novela da qual participa. Em 2006, por exemplo, o ator reclamou da publicidade de comida para gatos que tinha que fazer em Belíssima. "Não gosto, é meio aviltante, não? Contraria seu personagem, tem de pegar direito, virar o rótulo para a câmera. E fica lá a garota do merchandising dizendo como fazer a cena. Pergunto: 'não é o diretor que manda?'. E os diretores ficam quietos".

Na mesma entrevista à Folha de S.Paulo, Lima também criticou o sotaque de Tony Ramos na novela de Silvio de Abreu. "Há horas em que não dá para brincar com sotaque, como nas cenas com a Bia (Fernanda Montenegro). Procuro ficar denso para não cair no que, na minha opinião, caiu o Tony Ramos. Fica aquele sotaque entre o personagem e o público enchendo o saco, e o ator não atenta ao drama, que é o que interessa. Acho muito chato (o Tony dizer Zúlia no lugar de Júlia, personagem de Glória Pires). Adoro o Tony, mas procurei não cair nisso."


Deixe o seu comentário


Publicidade


Comentários (6) Postar Comentário

Televisivo comentou:

Lima, meu caro, o que não é esdrúxulo atualmente na maior parte de nossa teledramaturgia? Encara a sua personagem e vai, ficar falando mal da obra enquanto atua na mesma é tão esdrúxulo quanto. Excelente ator, mas anda rabugento demais atualmente.

Regina comentou:

Devia dar graças a Deus de estar trabalhando.

murilo comentou:

também pensei nisso dias destes :" coisa mais sem nexo " rsrs alias essa novela tá bem chatinha! nem to assistindo mais, no começo assistia agora muito de vez em quando!

Fábio comentou:

Concordo em gênero, número e grau c o Lima.
E o Lima Duarte pode! Esse Ator fez a TV brasileira. Já atuou, já dirigiu, encantou o público.
É uma pena não ter nomes como ele, Regina Duarte, Glória Menezes, Tarcízio e Francisco Cuoco brilhando mais no horário nobre. Esses grandes mereciam mais respeito!


Max Lima respondeu:

É uma pena mesmo que a Globo esqueça dos seus grandes mestres que poderiam estar salvando as novelas atuais pra darem lugar a uma meia dúzia de modelos que só mostram os dentes e talento que é bom nada...


Math comentou:

Corrigindo: I Love Paraisópolis é esdrúxula. Caio Castro, Maria Casadevall e Tatá Weneck carregam esta bomba nas costas.

Jhonatan comentou:

Ele pode até ser um monstro da televisão, trabalha muito bem e isso é inegável, mas que cara chato! Só sabe reclamar.


Publicidade

Veja também

Publicidade