O Planeta TV

Religião na TV! - Pode ou não pode?

Por: Nelson Gonçalves Junior E-mail para contato: [email protected]

Religião na TV! - Pode ou não pode?

E a primeira coluna do ano não vai ser sobre o Big Brother Brasil.Vamos dar mais um tempo para o programa se consolidar...esperar o primeiro comentário inteligente de algum participante. Se bem que isto pode demorar...

Mas enfim...esta semana comento sobre um tema extramente polêmico: Religião e Televisão, pode ou não pode?

Não pode. Mas pode.

É correto igrejas evangélicas anunciando a madrugada inteira em vários canais abertos? È certo a Record receber milhões da Universal como forma de patrocínio? É justo o claro boicote que a Globo faz aos evangélicos? E o horário nobre da Band, vendido ao RR Soares?

Se televisão é concessão pública, nenhum dos casos citados acima deveria ocorrer. Nada tenho contra nenhuma crença, e sei também ser utópico querer desvincular totalmente a Igreja desta história toda...seria o mesmo que querer a Política distante da televisão. Agora que é errado, é. Falta bom senso.

Ou tem espaço para todo mundo, ou não tem. Se pode para uma, tem que poder para todas. Se o Padre Marcelo transmite ao vivo suas missas todos os domingos pela Globo, o Bispo Marcelo Crivella também deveria fazer os mesmos com seus cultos....E assim em qualquer outro caso semelhante.

Apesar de ser algo velado, é nítido que cada emissora “veste a camisa” de uma determinada crença. O crescimento da Record fez com que esta situação fosse mais nítida, afinal temos praticamente um embate religioso, uma guerra santa entre Globo e Record.

E é neste ponto que a televisão se perde. A TV tem que representar o todo, as várias raças,etnias e religiões. A partir do momento que ela se limita a ser apenas uma parte do todo, ela está indo contra os princípios básicos da comunicação, inclusive o da idoneidade e imparcialidade. Ai fica a pergunta, quem está com a razão nesta história toda?

O Silvio Santos. Por ser dono da única emissora aberta em rede nacional que não veicula nenhum tipo de programação religiosa. O “velho” tio Silvio, judeu, com família protestante, mas que não está querendo saber se você é muçulmano, católico, budista ou evangélico. São todos telespectadores.

Não pode


Ninguém entendeu direito a saída de Gloria Maria do Fantástico. O desgaste é natural, e vem sendo enfrentando por outras estrelas da Plim Plim, como Ana Maria Braga e Faustão. O que não pode é a direção global pensar que com a entrada de Patrícia Poeta o programa voltará a ter bons índices no IBOPE.

Patrícia é ótima apresentadora. Carismática, simpática, bonita e talentosa. Mas se o conteúdo do programa continuar sendo o mesmo, nada muda. O Fantástico sempre foi uma revista eletrônica pioneira, inovadora. Hoje representa apenas que o domingo está chegando ao final. E agora vão querer botar a culpa da fraca audiência no Zeca Camargo...




Comentários (1) Postar Comentário

estilac comentou:

Uma concessão publica que serve para concentrar ainda mais a riqueza no eixo
Rio-São Paulo, as pessoas ficam privadas de saber o que acontece em seus estados através da TV, pois são obrigadas a ficar assistindo Datena falando que as marginais do rio tiêtê estão engarrafadas, ou os Ratinhos da vida ou as novelas enaltecendo as maravilhas do Rio de janeiro...

Veja também