O Planeta TV

JILÓ DE LATA: Os Piores de 2015 – 3° Edição

2015 foi bem melhor que o ano anterior em se tratando de nossa televisão, mas mesmo assim temos um lugar cativo para os Piores do Ano.

Por: Emerson Ghaspar - Contato: emerson.ghaspar@hotmail.com

Esqueça do vestido que pode ser branco, azul ou até dourado, 2015 não foi nem um pouco duvidoso em relação as produções televisivas. Repleto do mais do mesmo, as emissoras apostaram no que já tinha para manter a audiência e as novelas quanto mais apostaram no tradicional folhetim, mais retorno tiveram (tão tradicional que Os Dez Mandamentos foi elevada por alguns como melhor novela do ano), mas aqui nós escolhemos os piores e jogamos na cara seu trabalho decepcionante. Confira agora os indicados e os ganhadores do prêmio Jiló de Lata – 3° edição.

PIOR NOVELA: Babilônia, Os Dez Mandamentos e I Love Paraisópolis

POR QUE FOI INDICADO

Cansados de uma novela cada vez mais rocambolesca (Império), mas que dava audiência, alguns viram em Babilônia a promessa de uma novela emocionante com o melhor da grife Gilberto Braga. Conclusão: quebraram a cara. Levada em fogo morno quase parando, a trama das 9 foi ajustada para atender alguns e perdeu sua essência. No fim era um Frankstein dos piores, sem emoção, torcida, humor, sem nada. Era quase um tofu de tão insossa. Alegou-se que a trama era muito realista ao falar de corrupção, de violência, mas o que pegou mesmo foi o povo reclamando do beijo entre Teresa e Estela que repercutiu a trama toda. No último capítulo, onde o público esperava uma reviravolta ou uma redenção, nada aconteceu.

Enquanto Babilônia era considerada uma novela violenta, Os Dez Mandamentos chegou aos poucos roubando a audiência da trama da Globo. Dizendo ser voltada para toda a família, Os Dez Mandamentos tinha um texto caricato, quase didático, que só foi melhorar a partir do meio da trama. Como se não bastasse isso, a cenografia era outro pronto fraco da trama, onde era evidente que era falso, sem falar no caso do extintor. Mas o que pesou mesmo foi o texto regular interpretado por atores fracos e inseguros: Guilherme Winter, Camila Rodrigues e Sérgio Marone já podem ir para a Televisa, mexicanização total. Por isso que a novela já tá bombando no Chile.

Imagine uma novela engraçada, sim muito engraçada. Já falei que é engraçada? I Love Paraisópolis começou com uma premissa muito interessante, com jovens indo a luta pelos seus ideais, mas foi até o segundo mês. A trama de Alcides Nogueira a partir de então começou a ser um amontoado de esquetes, sem andar para lugar algum. A solução foi juntar Mari e Benjamin e Grego e Margot já que Maria Casadevall e Caio Castro tinham mais química e seus personagens eram mais simpáticos. Com casais definidos, a trama ficou sem vilão. A aposta foi trazer um vilão made in NY com sotaque italiano: Dom Pepino. Sem trama central forte, a opção foi apostar nos núcleos paralelos de humor e foi isso que salvou a trama.

VENCEDOR: BABILÔNIA

Um texto ruim, atuações ruins e até falta de alguns elementos nós entendemos, agora uma trama que não tem nada disso fica difícil. Babilônia tinha um texto ruim, que não extraiu o melhor do elenco de peso que tinha e falta o principal: qualquer tipo de emoção. Não torcemos por ninguém, não rimos, nada. Quem viu, com certeza, não encontrou nada melhor na TV aberta.

PIOR ATOR: Marcos Palmeira (por Aderbal Pimenta de Babilônia), Maurício Destri (por Benjamin de I Love Paraisópolis) e Sérgio Marone (por Ramsés em Os Dez Mandamentos)

Marcos Palmeira tinha nas mãos um personagem que poderia render e muito. O prefeito Aderbal Pimenta era corrupto, amoral e se escondia atrás da religião e da família tradicional brasileira para cometer seus crimes, mas o ator parecia estar pouco à vontade e fez mais do mesmo, deixando o personagem no piloto automático, sendo caricato e chato. Detalhe: era o único personagem masculino da trama por quem se poderia ter alguma simpatia por que o restante só por Deus.

Maurício Destri estreou como protagonista de uma trama depois de ter feito Sangue Bom e Cordel Encantando, mas o ator não soube aproveitar a oportunidade. Benjamin estava sempre com a mesma cara, na alegria, na tristeza e só sabia resolver as coisas no braço ou na ameaça. Lembra da Sandy em Estrela Guia? Era igualzinho.

Sabe o Faraó perverso que aprisiona o povo de Deus que Moisés quer libertar? Esqueça, ele só existe na sua cabeça. O Ramsés vivido por Sérgio Marone era caricato, chato e pedante pra caramba. Apesar de ser um personagem forte, afinal era o vilão, Sérgio Marone imprimiu um tom operístico que não cabia na trama, que até um iniciante faria melhor. Cheio de caras e bocas, o ator mostrou que ainda não amadureceu para papéis grandes. Até a Record percebeu isso e vai dar um programa pra ele, vai ver que assim ele mostra algum talento, por que atuando…

VENCEDOR: SÉRGIO MARONE

Tenho que explicar o porque? O ator tem sempre personagens interessantes nas mãos, mas insiste em fazer sempre o mesmo. Acho que todos são o Vitor da Malhação 2003, com caras e bocas, que não convencem ninguém.

PIOR ATRIZ: Vanessa Giácomo, Camila Rodrigues e Bruna Marquezine

Toda heroína tem que ser um pouco lenta e demora para entender o que se passa ao seu redor, mas Tóia chega ao cúmulo disso. Além disso, a atriz imprimiu um ar correto demais a mocinha de A Regra do Jogo. Chata e sem perfil, Vanessa Giácomo, que vinha de outros trabalhos ascendentes, não consegue nos fazer torcer pela amada de Romero, sem falar que a atriz parece ter engatado em um piloto automático: Tóia está sempre desconfiada, mas com a mesma cara de boa.

Camila Rodrigues nunca foi uma boa atriz. Depois de papéis pequenos na Globo, a atriz chegou a Record e fez dois trabalhos bíblicos antes de se tornar protagonista de Os Dez Mandamentos. Mesmo assim, a atriz fez de sua Nefertari, uma rainha egípcia, um personagem chato e que em nada acrescentou a trama, apesar de momentos memoráveis, sendo ofuscada por Yunet, vivida por Adriana Garambone, essa sim, uma atriz que tinha o personagem na palma da mão.

Depois de dar a vida a Luiza de Em Família, que era bem chatinha, Bruna Marquezine ganhou o papel de uma mocinha alto astral que batalha honestamente pra conseguir seus objetivos. Varios motivos pra torcer né? Não, Marizete era justa e honesta, mas Bruna passou mais da metade da trama de Alcides Nogueira com a cara emburrada, gritando e disposta a conseguir as coisas no grito. Não foi a toa que Margot de Maria Casadevall ganhou mais destaque em sua luta para converter Grego em um homem bom.

VENCEDOR: CAMILA RODRIGUES

Alguém tinha dúvida? Apesar de uma Tóia insossa e de uma Marizete enfezada, o posto de rainha do Egito exigia pelo menos um esforço a mais para fazer uma personagem com tantas nuances. Apesar de Camila ter participado de Rei Davi e José do Egito, parece que ela não pegou o jeito bíblico de fazer as coisas. Quem sabe né, depois de A Terra Prometida ela consiga algo realmente bom.

PIOR ATOR/ATRIZ COADJUVANTE: Carmo Della Vechia, Tainá Muller e Tatá Werneck

O que Manfred de Jóia Rara, Maurílio de Império e César de A Regra do Jogo tem em comum? Carmo Della Vechia em perfeito estado de canastrão. O ator que vinha fazendo progressos e personagens memoráveis como em A Cura e Cordel Encantado, voltou a fazer o mesmo personagem sem nuances e suas cenas deixam muito a desejar.

Já Tainá Muller que sempre demonstra talento, como Cris de Babilônia, deixou a desejar. A atriz tinha tudo para fazer uma vilã cativante com a grife de Gilberto Braga, mas não, seu personagem se tornou chato, mas tão chato que poderia fazer uma dupla com Regina, as duas eram insuportáveis. Infelizmente a atriz não teve sorte com esse personagem.

Alguém entendeu 50% o que Danda disse em I Love Paraisópolis? Tatá que foi cotada para viver Marizete fez de seu personagem algo chato e maçante, que não tinha história, alias como toda trama. Mesmo assim, a atriz poderia ter feito mais, assim como fez com Valdirene de Amor à Vida, que não era lá essas coisas, mas que terminou bem. A dicção foi o que mais prejudicou.

VENCEDOR: TATÁ WERNECK

Um personagem sem expressão vá lá, mas um que você dificilmente entende, principalmente sendo uma das protagonistas não tem desculpa. Em nenhum momento a atriz se esforçou em dar vida realmente ao personagem, que ficou no piloto automático o tempo todo. Chato, sem graça e desnecessário.

PIOR PROGRAMA: Gugu, Encrenca e Tomara Que Caia

Gugu voltou a TV depois de um tempo afastado, mas trouxe mais do mesmo, apelando no drama e nas histórias policiais. Um misto de Domingo Show e Cidade Alerta, o programa só tinha ibope quando apelava para crimes. Suzane Von Richthofen e outros criminosos deram o ar da graça. Faltou alguém?

Um programa de humor tão apelativo quanto Pânico na Band e que usa e abusa de vídeos caseiro do Whats App, pode dar audiência em plena batalha dominical? Pode, mesmo sem ter conteúdo próprio. O programa da RedeTV! É exatamente isso. Nada de novo, só conteúdo alheio.

É humor, é programa? Nada disso, Tomara Que Caia foi um programa de pseudos comediantes, que se revezavam em um jogo conforme a audiência, que não era o principal, já que perdeu várias e várias vezes pro Programa Silvio Santos. O problema é que não era engraçado. Não deu outra saiu do ar e já foi tarde.

VENCEDOR: ENCRENCA

Como pode um programa sem conteúdo pode ainda estar no ar? Mesmo os programas ruins tem algo a oferecer, mesmo de maneira questionável, já um programa sem carisma e que pega video da rede só merece isso mesmo, ser o pior programa de 2015.

PERSONAGEM MAIS CHATO: Regina de Babilônia, Melissa de Além do Tempo e Miguel de Sete Vidas

Regina era pobre e lutava para descobrir o assassino de seu pai, mas era chaaaaataaaa pra caramba. Justiça e Pleiba (dito aos berros) fizeram parte de seu vocabulário durante sua ascensão, mas mesmo assim a personagem era maniqueísta, forçada e insuportável. Não foi a toa que o público correu dela.

Melissa é mimadinha, irritadiça e sonsa. Na vida passada e nessa faz de tudo por Felipe, mas ele nem tchum. Pior pra nós, que somos obrigados a ver seus chiliques e palavras mal intencionadas sairem de sua boca cor de uva paixão.

Miguel fugiu porque não queria nada com Lígia, depois por causa dos filhos, depois volta e faz de vítima querendo a atenção de todos. Por favor, nos poupe de ver um personagem tão chato e infantil. Sem falar que qualquer coisinha era pegar aquele barquinho e tchau.

VENCEDOR: REGINA DE BABILÔNIA

Não tinha pra ninguém mesmo. Regina ganhou por ser insuportável, que nem bebendo todas as cervejas de sua barraca na praia para ouvi-la falar. Pra você ver o nível da pessoa, ficou rica e nem assim mandou rebocar as paredes da casa da mãe. Ela e a filha são a dupla mais insuportável da novela e do ano.

MEUS OLHOS ESTÃO ARDENDO DEPOIS DE VER ISSO: Cristiano Araújo durante 2 meses no A Tarde é Sua, Repórter entrevista Homem Morto e Cenografia da Record

Que A Tarde é Sua tem como foco falar de outras emissoras isso já e de praxe, mas ficar dois meses falando da morte do cantor Cristiano Araújo foi demais. O cantor apareceu em nuvens e de outras inúmeras formas. O programa falou o que pode e o que não pode do cantor. O interessante foi que o público acompanhou e teve audiência.

Um assalto realizado por menores, troca de tiros, um policial meio gago e um repórter que tenta entrevistar um ladrão morto. Parece coisa de filme, mas foi isso que a afiliada da TV Record exibiu durante o horário do almoço. Evidente que virou meme.

A cenografia da Record também foi algo a beira do mal gosto esse ano. O cenário da Xuxa amplo e largo que não serve pra nada e os cenários de Os Dez Mandamentos parece que foram feitos com madeira prensada. Não foi a toa que tinha um extintor no set da novela de Vivian Oliveira.

VENCEDOR: CRISTIANO ARAÚJO NO A TARDE É SUA

Quando a alma do cantor pensava que descansaria, lá vinha Sônia Abrão falar do cantor. Informar é uma coisa, agora ficar falando até conseguir o máximo que pode em questão de audiência ai já é demais. Sônia é uma excelente profissional, mas esse tema foi extenso demais.

O que você acha? Concorda ou discorda? Deixe sua opinião e espalhe pra geral.

Até a próxima edição do Jiló de Lata.

@EmersonGhaspar





Comentários (16) Postar Comentário

Tomas comentou:

RIDÍCULO..... A NOVELA OS DEZ MANDAMENTOS FICARÁ NA HISTORIA DAS GRANDES NOVELAS BRASILEIRAS E MARCARÁ ÉPOCA. SÉRGIO MARRONE ESTAVA DIVINO, E SEM DÚVIDAS FOI UM DOS MAIORES PERSONAGEN DO ANO.


Nicolli respondeu:

Desculpe, mas dizer que Os Dez Mandamentos ficará na história como uma das grandes novelas da teledramaturgia é pretensão. É fato que será lembrada, mas não por mérito seu, mas sim por demérito da concorrente que apresentou um produto ainda pior no horário.



Rubens respondeu:

Ridículo são aqueles que acham Os Dez Mandamentos a oitava maravilha do planeta e insistem em não enxergar as deficiências da novela. A "lavagem cerebral" promovida pela Record fica cada vez mais evidente...



Vinícius respondeu:

Os Dez Mandamentos é ridícula, não perdi nem um segundo com essa porcaria. A Record não sabe fazer novela e ponto. Isso nunca mudará. Concordo que a Record faz uma lavagem cerebral nas pessoas, ainda mais por que é uma novela bíblica, e as pessoas acreditam que "vão pro céu" assistindo essa merda. Essas mesmas pessoas que falam mal das novelas da Globo, que dizem que a Globo não é de Deus, hahaha não sabem o que é uma novela de qualidade, se bem que ultimamente a Globo vem deixando a desejar, mas... (saudade de Amor à Vida). Ai eu te pergunto: vocês sabem o que a Record fez pra ter sucesso com essa porcaria? Não né... E o desgraçado charlatão do Edir Macedo... melhor nem comentar, odeio pastores.



Bernardo respondeu:

Kkkk, o pior foi que Sergio Marone é o melhor personagem do ano. Ninguém merece.


Markus comentou:

Oba, Tatá Werneck mereceu. Passou vergonha.

celio comentou:

Concordo com Os dez mandamentos!!É uma novela tosca!!Deus me livre!!

Caio comentou:

ridícula essa coluna. sei que não era pra ser engraçado, mas ficou chato e com nível de sarcasmo elevado

marcelo comentou:

Não gostei, nada a ver!

Milton comentou:

Que isso rapaz. Ainda bem que não estamos na Coréia do Norte, onde o Kim ao seu belo prazer julga e condena. Na minha opinião Sérgio Marone e Camila Rodrigues foram os responsáveis por alguns dos melhores momentos da televisão brasileira em 2015. Aconselho voce a se redimir e aplaudir de pé , esses grandes atores no cinema, pois o filme Os Dez Mandamentos está bombando, rs..


Ironizando o Fanatismo respondeu:

Com as afiliadas e os templos da IURD operando o milagre da multiplicação dos ingressos cortesia, qualquer filme estaria bombando.



Bernardo respondeu:

Melhores momentos da televisão brasileira de 2015. Oi? Kkkkkkk


Guh comentou:

Mano que indicações ridículas, que isso!

Eddie Manoel comentou:

Nossa, nunca li nada tão ridículo. Kkk, super amadora. Enfim, quem votou para os piores de 2015? Porquê até os críticos iniciantes apresentariam argumentos melhores. Estão tentando fazer as emissoras passar vergonha mas o troféu gilo vai para essa matéria.


Rafael respondeu:

kkk já eu gostei, concordo com quase tudo que Emerson escolheu. Sem puxassaquismo, adoro.


Kurek comentou:

Se esse colunistazinho queria chamar a atenção conseguiu. Camila Rodrigues pior que Bruna Neymarquezine, essa menina só está com essa bola toda por causa do Neymar, ela atuando é um chuchu. Os demais não vou nem comentar, não vale a pena.


Bernardo respondeu:

Você que tem uma mente alienada. Camila Rodrigues eu nem acho tão ridícula mas é a pior das três. Vc tá falando besteira, Bruna nem namora mais o Neymar.


Rodrigo comentou:

Não vi nenhum capítulo de Os Dez Mandamentos, pois não curto novelas religiosas. O fenômeno de audiência da novela da Record, infelizmente, nos sinaliza uma prévia do que poderá se tornar a TV aberta no futuro, já que algumas emissoras estão cada vez mais cedendo seus horários para as igrejas. Por isso, não dá pra comemorar o sucesso de uma novela bíblica nesse contexto, e principalmente por ter sido levada ao ar por uma emissora ligada a uma igreja evangélica.
Babilônia foi realmente a pior do ano passado e fez valer o ditado "a emenda ficou pior do que o soneto" após as mudanças que descaracterizaram completamente a trama. Não acho que o conservadorismo tenha prejudicado a novela. Os autores é que precisam assumir que a trama era fraca mesmo. O fiasco não me surpreendeu, pois Gilberto Braga sempre declara em suas palestras que não gosta de escrever novelas e só o faz por dinheiro. Há muitos anos, suas novelas estão burocráticas demais. Se ele continuar, então precisa urgentemente se reinventar e, de preferência, trabalhar com outros diretores e sair um pouco dessa mesmice que é a parceria com Dennis Carvalho.

Veja também