O Planeta TV

Caminhos da Vida

Por: Nelson Gonçalves Junior E-mail para contato: [email protected]

Caminhos da Vida

“Vidas Opostas” foi a aposta (até então) mais ousada da TV Record em relação à dramaturgia, que atingiu índices suficientes para garantir a liderança no IBOPE por inúmeras e incontáveis vezes, chegando a números impressionantes em seu último capitulo: média de 25 pontos, com pico de 29 e 44 minutos na liderança. Fato que transformou a novela no maior sucesso da emissora da Barra Funda, superando até mesmo “Prova de Amor”, que encerrou sua trama em Julho de 2006 com 23 pontos de média.

Curioso notar que os grandes destaques do folhetim foram vilões: o bandido Jackson (Heitor Martinez no melhor momento da carreira) e o delegado Nogueira (Marcelo Serrado em mais uma ótima atuação) se sobressaíram em “Vidas Opostas”. Mas cá entre nós, nada mais justo para uma história que primou por explorar a violência e as cenas de ação. De qualquer forma, foi um sucesso. De público, faturamento e crítica, servindo para consolidar de uma vez por todas a dramaturgia da Record.

E a ousadia não parou por ai. Depois da estréia de “Caminhos do Coração”, a primeira impressão que ficou foi...impressionante (perdoem-me a redundância, mas foi pra enfatizar). A audiência correspondeu, e a Record já teve seu melhor início com uma novela, ao atingir 20 pontos de média na estréia.

Mas independente dos números, o que realmente interessa é a qualidade da trama, seja em relação ao texto ou a técnica. As cenas de ação e os efeitos especiais estão bem feitos, a escolha do elenco foi acertada, como por exemplo, no retorno do grande Walmor Chagas como o médico Sócrates, personagem central que morre logo no início da história. Aliás, a aparição dele se deu apenas nos primeiros capítulos, entretanto já nos fez sentir saudades deste grande ator. (Ele poderia voltar como defunto mais pra frente ou em uma nova novela, né?).

Além disso, é importante ressaltar que o autor Tiago Santiago já provou que manterá sua linha didática de sempre explicar os assuntos da trama, de uma forma que mesmo quem nunca assistiu à novela, já a entenda em poucos instantes. Isso deixa o texto cansativo, mas é nítido que esta tática funciona muito bem junto ao público.

E mais: “Caminhos do Coração” tem um roteiro bem amarrado, repleto de mistérios e uma abordagem muito agradável e simples em relação aos mutantes. O sucesso parece inevitável, e nos mostra que ousar também pode funcionar, basta tentar.

ENQUANTO ISSO...

Na Globo, “Paraíso Tropical” parece ter encontrado o seu caminho. Apesar de ser uma das mais baixas audiências de novela das oito dos últimos anos, a trama vem recuperando prestígio. Tudo bem que se não fosse por Camila Pitanga, Alessandra Negrini e as roupas íntimas de Débora Secco, muita gente não assistiria...


PIMP MY RIDE

A MTV lançou a versão brasileira do “Pimp my Ride”. Que nada mais é do que o “Lata Velha”, do Luciano Hulk. Ou seja, eles transformam seu carro em carroagem, o famoso “tuning” entre os entendidos no assunto. Nada de muito criativo no programa que mereça algum destaque aqui, há não ser a apresentação de Jimmy, vocalista da banda Matanza. Ele é engraçado e autêntico, características que faltam em muitos apresentadores de televisão.


FALANDO NISSO...

A performance de Íris Stenafelli à frente do “TV Fama” continua lamentável...quem consegue assistir por mais de 3 segundos é um herói.


SEM SURPRESAS

A série “Dona de Casa Desesperadas” é tecnicamente perfeita. Só que com texto americano, gravada na Argentina, transmitida para o Brasil e com dublagem (mal feita e inexplicável) de atores argentinos para o português, ninguém vai poder reclamar caso o público rejeite a história.





Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também