O Planeta TV

TV Globo exibe nesta quinta a grande final do "Mestre do Sabor"

O programa será exibido ao vivo.

por Redação, em 21/07/2021
Publicidade

Foto: Divulgação/TV Globo

Foram 11 semanas de competição até agora, que trouxeram uma pitada “daquelas” de emoção, um punhado de tensão e uma infinidade de sabores à terceira temporada do ‘Mestre do Sabor’. Nesta quinta-feira (22), 12º programa da edição, os apresentadores Claude Troisgrois, Batista e Monique Alfradique se unem ao mestres Kátia Barbosa, Leo Paixão e Rafa Costa e Silva para a grande final, que será ao vivo, com os chefs Cadu Moura, Danilo Takigawa, Pedro Barbosa e Rodrigo Guimarães.

Diretamente dos Estúdios Globo no Rio de Janeiro, os quatro chefs chegam com o mesmo objetivo: vencer, ganhando R$250 mil e o título de ‘Mestre do Sabor’. Somente um sairá vencedor, mas é consenso entre os finalistas que todos já ganharam muito até aqui. “Minha vida já mudou e parece um sonho que estou vivendo a cada dia. O reconhecimento na rua é algo que me dá prazer. O Mestre do Sabor foi uma porta para transformar minha vida imaginária na minha vida real. Tudo que eu sonhei, que almejei, de querer ser reconhecido, de fazer algo para o outro, me entregar para o outro do jeito que faço, estou vivendo ali”, diz o pernambucano que vive há quase 10 anos na Bahia, Cadu Moura.

Para Danilo Takigawa, chef de Curitiba (PR), participar do reality é um presente. “Participar do Mestre do Sabor para mim tem muitos significados porque tive vários desafios, desde me expor em rede nacional, cozinhar sem saber a prova do dia e com tempo curtíssimo, conhecer pessoas maravilhosas de diversas regiões do Brasil. Então, o sentimento que fica é gratidão por essa oportunidade maravilhosa”. Pedro Barbosa concorda com o colega. O chef de São Paulo revisitou a infância ao entrar na competição. “Estar aqui para mim significa a realização de sonhos. Eu acreditei desde que eu era Pedrinho, moleque, que estaria na TV um dia e isso aconteceu. E foi um dos momentos mais lindos da minha vida porque acredito que foi muito respeitoso. Todo mundo tratou em primeiro lugar o amor pela profissão. Não teve conflito. Teve ajuda, esforço e realização. Está sendo incrível até agora”.

Rodrigo Guimarães, chef que representa a cidade do Rio de Janeiro na final, também acredita que os quatro já são vencedores por chegarem até aqui. “Estar na final me faz passar um filme na cabeça de tudo que já enfrentei nesses anos como cozinheiro. Todas as dificuldades e persistências que tive fazem todo sentido. Chegar na final e dividir os holofotes com outros chefs tão competentes e geniais me faz acreditar que já sou vencedor”, comenta.

Veja, abaixo, mais detalhes dos bastidores do ‘Mestre do Sabor’ nestas entrevistas com os finalistas:

ENTREVISTA CADU MOURA (TIME LEO)

Como foi participar da terceira temporada de 'Mestre do Sabor'?

Para mim, é a realização de um sonho. Eu sempre me vi na televisão, sempre quis muito isso na minha vida. O Mestre do Sabor me possibilitou realizar esse sonho como um sonho real e não algo vazio. Levei minha história, fui num momento em que estava preparado. Aprendi com os colegas e aprendi a acreditar em mim. O maior ganho desse programa foi acreditar que eu sou capaz. Não existem rótulos. Eu posso, sim, ser cozinheiro artista. Posso, sim, fazer uma boa gastronomia independente do que eu visto, do que uso na cabeça ou se estou com a unha pintada ou maquiada. Acho que é muito além, entregar o amor, ser reconhecido por isso, levar alegria, surpreendendo, transformando o simples em incrível.

Conte um pouco sobre a troca com o mestre e os colegas de time.

A troca com os mestres e com os colegas foi incrível. Os mestres sempre atentos e sábios para nos ensinar e direcionar. Era uma competição com aprendizado. E com os colegas foi a melhor troca possível dentro de uma cozinha. Eu não consegui ver uma rivalidade, não consegui ver pessoas competindo. Era todo mundo junto nas provas em grupo para fazer o melhor. Eu não estava preocupado com o que o outro estava fazendo, mas com o que meu grupo ia apresentar. E que juntos estávamos fazendo um bom trabalho. Eu nunca deixei de perguntar como faz, existem várias receitas da mesma coisa. Se o outro colega tinha uma receita melhor e estava mais seguro, eu perguntava e não tenho vergonha disso. Cozinha é aprendizado. Cada cozinha trabalha de uma forma. Essa troca é de pessoas, mas de conhecimentos principalmente. Então, essa troca feita com os mestres e com os colegas entra para um currículo de experiências profissionais.

O que você leva dessa experiência? Mudaria algo na sua trajetória pelo programa?

Um coração cheio de crenças. De eu poder acreditar que sou capaz, de eu ver que toda a minha arte, todas as minhas coisas engraçadas, meu jeito, meu carisma, de fato quem eu sou não ficou perdido, esquecido. Alguém conseguiu ver isso e apresentar para o mundo. Por isso que eu falo, do Nordeste para o mundo. É sobre quem eu sou, sobre meu sonho, minha entrega, minha vontade de querer. Eu levo essa experiência como um divisor de águas. Eu sou uma pessoa totalmente aberta. Se fosse pra voltar como apresentador, eu voltava. Ficar nos bastidores, eu fico. Eu não quero saber de nada, eu quero ir pra TV, quero me entregar, quero fazer tudo porque eu sou disso. Nos bastidores, a galera ficava mais louca do que eu. Eu fiz todo mundo rir e aquilo me dava muito prazer. O prazer no sorriso do outro, o prazer em surpreender, em conseguir mostrar para mim mesmo que sou capaz. Foi uma mistura de Cadu profissional e artista. Por isso que eu falo que eu sou um cozinheiro artista.

ENTREVISTA DANILO TAKIGAWA (TIME RAFA)

Conte um pouco sobre a troca com o mestre e os colegas de time, por favor.

O time ficou muito bem balanceado, o Diogo adora fazer sobremesa, a Ju manja muito de carne, Rodrigo super técnico, Ana traz a potência, Thai e Leninha experiência de cozinha. Com o mestre eu não preciso nem dizer nada, o Rafa é uma inspiração para mim, gosto muito do trabalho dele no Lasai e me identifico com o estilo da comida dele, me senti muito à vontade pra cozinhar no time dele. A troca foi muito boa, conhecer a história de cada um e trocar figurinhas em técnicas e conhecimento foi demais!

O que você leva dessa experiência? Mudaria algo na sua trajetória pelo programa?

Eu não mudaria nada na minha trajetória no programa, eu estou muito feliz com tudo e foi muito louco conhecer essa realidade da TV. Foi uma experiência maravilhosa que vou guardar para sempre.

O que acha que mudará na sua carreira após sua passagem pela terceira temporada de ‘Mestre do Sabor’?

Não sou de projetar e estruturar coisas no futuro. É difícil mensurar algo nesse sentido, porque nunca participei de nada parecido. No momento estou muito focado no meu projeto, que é um sonho!

ENTREVISTA PEDRO BARBOSA (TIME LEO)

Conte um pouco sobre a troca com o mestre e os colegas de time, por favor.

A troca com o mestre e com a galera do meu time foi o ponto alto para mim, porque estava todo mundo colocando o outro para cima. Nunca deixávamos a peteca cair. Nos momentos de nervosismo nos ajudávamos, já combinávamos antes para ajudarmos uns aos outros. Essa troca é de aprendizado, de respeito e eu achei muito bonito como foi no nosso time porque teve mesmo companheirismo. E o Leo afinava tudo porque ele era o mestre para deixar as coisas afinadas, do jeito que tem que ser, mas muito respeitoso por todos nós, querendo entender as ideias. Quando estamos ali no momento, temos milhares de ideia. Juntávamos com as dele e deu certo, foi incrível, experiência única.

O que você leva dessa experiência? Mudaria algo na sua trajetória pelo programa?

O aprendizado que levo é: acredite em você, deixe o que está dentro de você falar mais alto. Eu sempre gostei muito de confeitaria, era monitor de confeitaria na faculdade. E isso ficou incubado dentro de mim. No programa, fiquei fazendo sobremesa e recebi tantos elogios incríveis. Ver o Claude e o Batista emocionados com as sobremesas. Para mim, essa experiência é única. Estou realizado de ir para um programa nacional de televisão e conseguir fazer arte.

O que acha que mudará na sua carreira após sua passagem pela terceira temporada de ‘Mestre do Sabor’?

Eu tenho certeza que muitas coisas já mudaram. O carinho pelo alimento, a dinâmica de trabalhar com os colegas, a troca ficou mais respeitosa, saber que vou aprender com pessoas diferentes, ideias diferentes. Acho que vou me dedicar bastante à confeitaria. Estou muito apaixonado por essa área e quero me tornar um dia talvez um confeiteiro. Porque é uma profissão muito difícil, tem que se dedicar mesmo. Vou valorizar mais o que eu já sabia que gostava muito. Eu gosto de inovações. Agora, quero criar um restaurante de menu degustação só de sobremesa.

ENTREVISTA RODRIGO GUIMARÃES (TIME RAFA)

Para você, o que significa participar da terceira temporada de 'Mestre do Sabor'?

Sou um privilegiado, depois de tantos anos de dedicação nessa profissão que não é nada fácil, é um reconhecimento e ao mesmo tempo uma oportunidade de mostrar meu trabalho .

Conte um pouco sobre a troca com o mestre e os colegas de time, por favor.

O mestre Rafa sempre me chamou atenção por sua filosofia e profissionalismo, além de ser um dos melhores chefs da América Latina. Escutei com muita atenção todas suas coordenadas e pude também dividir algumas ideias. Fiquei feliz pela interação durante o programa e me tornei ainda mais fã dessa grande pessoa que ele é. Com os meus colegas foi bem parecido. Éramos sete profissionais com diversas opiniões e muitas experiências distintas. Conversávamos sempre antes das gravações sobre a importância de ser liderado e ser o líder. A importância de ter humildade e trabalhar com todo empenho, técnica e sabedoria pra ajudar a equipe Rafa.

O que você leva dessa experiência? Mudaria algo na sua trajetória pelo programa?

Estou levando muitos amigos, tivemos trocas de conhecimento muito saudáveis. Essa vai ser uma história muito legal pra ser contada na minha vida. Não mudaria nada!

O que acha que mudará na sua carreira após sua passagem pela terceira temporada de ‘Mestre do Sabor’?

Acredito que essa oportunidade foi crucial pra divulgar meu trabalho, assim como ter a possibilidade de novos desafios. Quem sabe uma expansão do meu negócio ou até um restaurante .

Sucesso entre os formatos originais da Globo, ‘Mestre do Sabor’ tem direção artística de LP Simonetti e direção geral de Aída Silva. Sob o comando de Claude Troisgros, com Batista e Monique Alfradique, o programa conta com os mestres Kátia Barbosa, Leo Paixão e Rafa Costa e Silva no comando dos times. ‘Mestre do Sabor’ vai ao ar às quintas-feiras, após ‘Império’, na TV Globo, e às sextas-feiras, às 21h30, no GNT.

Com informações da Comunicação Globo.


Deixe o seu comentário


Publicidade


Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Publicidade

Veja também

Publicidade