O Planeta TV

Ricardo Linhares faz balanço final de Babilônia

Em entrevista, autor diz que novela sofreu "julgamento moral" de uma sociedade conservadora.

por Redação, em 26/08/2015

Foto: GShow

Ricardo Linhares, um dos autores de Babilônia, ao lado de Gilberto Braga e João Ximenes Braga, concedeu entrevista ao jornalista Daniel Castro, do site Notícias da TV sobre o atual folhetim das nove que se encerra nessa sexta, 28. "É importante não confundir audiência com qualidade. Senão, Chaves seria uma obra-prima. Nós tivemos um julgamento moral, como se o tema pudesse abalar os valores tradicionais familiares", afirma.

Para Linhares, o telespectador brasileiro é conservador, sem interesse em ver duas senhoras se beijando afirmando que a TV aberta brasileira está muito defasada. "Tratamos de assuntos relevantes como corrupção, impunidade, mistura de política e religião, racismo, homossexualidade, intolerância, novas formações familiares, conflitos sociais. Foi uma trama ousada e anticonvencional. Uma novela forte e marcante, líder de audiência no país. Tivemos um público fiel e entusiasmado e uma excelente repercussão nas redes sociais", disse o autor.

Segundo ele, os telespectadores ouvidos no grupo de discussão afirmaram que a novela era boa ou forte. “Ninguém dizia que a novela era ruim, mal escrita ou mal realizada. Diziam que a vida estava muito difícil e que preferiam uma diversão mais leve. Esta parcela do público dizia não querer assistir aos mesmos assuntos tratados pelo noticiário (a sinopse foi escrita em 2013; fomos premonitórios, na época não havia Petrolão nem Lava-Jato), tampouco ver o beijo gay de Teresa [Fernanda Montenegro] e Estela [Nathalia Timberg], pois eles não poderiam assistir à novela com filhos pequenos”.

Linhares ponderou as derrotas sucessivas sofridas por I Love Paraisopolis, alegando que Babilônia é o produto mais assistido da TV aberta e reconhecendo as qualidades da novela das sete global.

“A TV aberta brasileira está defasada. O público brasileiro é conservador. Não é por isso que devemos ter medo de ousar. Eu acho que a telenovela deve entreter, mas a história deve também propor a discussão de temas importantes, refletindo o momento que a sociedade vive. A temática forte misturando corrupção, religiosidade, hipocrisia, gays, prostituição e racismo incomodou uma parcela pequena mas ruidosa do público. Porém, foi aprovada pela maioria. Curtir ou não um folhetim é uma coisa subjetiva, que depende do gosto de cada um. Mas é importante não confundir audiência com qualidade. Senão, Chaves seria uma obra-prima. Nós tivemos um julgamento moral, como se o tema pudesse abalar os valores tradicionais familiares, não tivemos rejeição artística. Em meio a tantas polêmicas, Babilônia foi marcante. Mas, no frigir dos ovos, uma novela é apenas uma novela”, afirmou o autor.



Publicidade

Comentários (21) Postar Comentário

Heitor Leitte comentou:

Coitado! Não consegue admitir que erraram e erraram feio com Babilônia. Novela com enredo fraco, falta de personagens carismáticos e com mudanças bruscas de personalidade, casal protagonista sem química, enfim são tantos defeitos que a audiência tá aí pra provar que não agradou mesmo e a culpa não foi do público. Quanto ao Chaves querido, é uma obra prima e prefiro mil vezes assistir um episódio do seriado idealizado pelo gênio Bolanos do que essa sua noveleca de quinta!


luiz respondeu:

a novela foi boa sim! os falsos puritanos que pensam que vao pro céu é que não gostaram!


Mat comentou:

Nada arrogante #SQN. Ele deveria se calar ou admitir que Babilônia foi um fracasso - tanto de público quanto de crítica. E o problema, claramente, não foi por causa dos temas polêmicos abordados, até porque foram feitos de uma maneira superficial. O enfrentamento entre as vilãs, em torno de um crime central, que se arrastou por meses, uma mocinha chata (nada contra a Camila Pitanga), casais que davam sono (Evandro e Alice, Rafael e Laís e alguns outros), cenas recicladas e clichês (Beatriz empurrando gente pela escada, tentativa de homicídio com gás, etc)... Babilônia foi ruim mesmo e ponto.

Gilson comentou:

Uma correção, Linhares; Chaves é uma Obra-Prima! Colocasse ele na Globo no lugar de "Babilônia" e a equipe de roteiristas da novela voltariam pro estágio.

murilo comentou:

aff!!!!!!!!!!! pior parte :" telespectadores e internautas empolgados !!??? rsrsrs não vi isso não, alias chatilonia foi um tedio mesmo! e olha que tem bjo gay todo dia em casa rsd mas mesmo assim não deu pra assistir essa porcaria e olha que adoro novela! conseguiu ser pior que "amor a vida" até entao na minha opinião a pior novela das 8 com aquele felix chamando a secretaria de cadela (surreal) e aqueles quadros de zorra total da valdierene e daqueles dois casais que se revesavam no motel! aff!

murilo comentou:

se querem ver uma vilã divando de verdade assistam Cambalacho no canal viva!

Televisivo comentou:

Quanta prepotência. A TV Aberta não anda conservadora, ela anda ruim mesmo. "Babilônia", prometeu e não cumpriu, fato. Enveredou por um caminho sem volta e começou escorregadia.
Essa mania de culpar o público é escroto demais, errou e errou feio. Aliás, Ricardo Linhares nunca foi um bom autor, sua carreira solo é recheada de fracassos.
O público anda anda mais crítico, diferente. Em todo caso, Gilberto Braga pode se aposentar.

Kreuzynhah com KY H comentou:

Concordo com o autor ! O público quer ver gays caricatos e afetados q joga um bebe na cacamba de lixo e se torna um herói (Felix) ao invés de ver um casal de lésbicasem seu cotidiano . O beijo do primeiro capítulo foi p eliminar a questão se teria ou não beijo gay , pois não era esta a proposta ! Qto ao enredo os autores foram obrigados a mudar totalmente o roteiro devido a falsos moralistas ! Babilônia tinha tudo para ser a novela q mudaria a TV brasileira .E viva a hipocrisia !!

Gustavo Horn comentou:

Tanto exemplo de programa ruim e de baixo nível que dá boa audiência, e esse cara vem citar logo o Chaves.

Gustavo Horn comentou:

Mais um exemplo de autor que prefere cometer suicídio a admitir que errou.

Luis Fernando comentou:

Ricardo Linhares ajudou a escrever Novelas do naipe de Tieta, Pedra Sobre Pedra, Fera Ferida, A Indomada e Paraíso Tropical, alguns dos maiores sucessos da história da tv brasileira. Mas em Babilônia, ele e os outros autores se perderam.
E olha que pelo ao menos no final, a novela melhorou muito.

Veja também

Publicidade