O Planeta TV

Com orgulho da trajetória, elenco se despede de "Toda Forma de Amar"

Depois de mais de um ano de trabalho, temporada entra em sua última semana no ar.

por Redação, em 31/03/2020

Foto: Estevam Avellar/TV Globo

O trabalho em 'Malhação: Toda Forma de Amar' já estava entrando na reta final quando as gravações precisaram ser encerradas devido à pandemia de coronavírus. Os protagonistas Alanis Guillen e Pedro Novaes foram convocados para gravar as últimas cenas da trama, quando finalmente Rita e Filipe terão um final feliz depois que o mistério que envolve o desaparecimento dela é esclarecido.

Apaixonado, o casal mostrou que o amor pode superar todas as dificuldades, mesmo que seja uma longa disputa judicial. Ao lado do namorado e de Lígia (Paloma Duarte), a família que adotou sua filha, Rita vai viver a tão desejada maternidade de Nina. "Teremos um final emocionante diante dessa situação tão difícil que fez com que terminássemos nossa história antes do tempo. Me sinto feliz e contemplada por todo o amor com que esse trabalho foi feito durante mais de um ano. Agradeço demais por tudo o que vivi, foi um processo muito intenso e transformador", conta Alanis Guillen.

Assim como Alanis, "Malhação: Toda Forma de Amar" também foi o primeiro trabalho de Pedro Novaes na TV. "Estava disposto a enfrentar todos os desafios e a realizar os objetivos propostos da melhor maneira possível. Amadureci muito profissional e pessoalmente. Estou muito orgulhoso desse trabalho, a equipe inteira está. Todos nos empenhamos muito em fazer o melhor", enaltece o ator.

Além de Rita e Filipe, outro casal muito apaixonado conquistou o público: Anjinha (Caroline Dallarosa) e Cléber (Gabriel Santana). Representantes do amor puro da adolescência, os personagens têm a admiração de seus intérpretes. "Anjinha e Cléber representam o amor que começa cedo e dura a vida inteira. É raro e muito bonito. Eles se escutam, se ajudam, se descobrem juntos. A euforia de começo de relacionamento que eles vivem sempre se renova. Vejo os dois com um exemplo de amor verdadeiro em uma fase em que muitas vezes tudo é superficial e passageiro", analisa Cléber Santana. Caroline Dallarosa conta que antes de iniciar o trabalho jamais poderia imaginar o sucesso dos personagens. "Acho que muita gente se identificou com Cléber e Anjinha porque já viveu um primeiro amor. Eles trouxeram uma leveza e um tipo de humor que deu muito certo. Eu e Gabriel criamos um vínculo muito forte que levamos para a tela, tudo o que fizemos foi com muita intensidade, vivemos ao máximo cada momento", revela a atriz.

Foto: TV Globo/Paulo Belote

Enquanto contava a disputa judicial em torno da guarda da pequena Nina, ‘Malhação: Toda Forma de Amar' teve uma abordagem séria de temas como adoção, racismo, deficiência auditiva, violência urbana e homofobia. Jaqueline (Gabz) esteve envolvida em quase todas as causas defendidas na história. "Foi uma grande responsabilidade assumir um papel como o da Jaqueline. Ela muda estruturas, defende muita coisa pelo o que representa, como jovem negra e de periferia. Acredito que, com as atitudes e sua autoestima, ajudou muitas meninas na mesma situação a se amarem mais. Vi muita repercussão positiva sobre a Jaqueline nas ruas e nas redes sociais. Foi emocionante", conta a atriz e rapper.

Nanda, personagem de Gabriella Mustafá, trouxe outros temas atuais para a trama, como o universo do funk e a luta contra a síndrome do pânico, que afeta muitos jovens. "Sinto que consegui chegar em muitas pessoas através dos dilemas da Nanda. Nos últimos capítulos, ela vem lutando para ser aceita como é, uma garota alegre e autêntica. Me sinto realizada por termos levado alegria e informação a quem acompanha a temporada", conclui Gabriella.

Dos personagens do núcleo da zona Sul, Meg (Giulia Bertolli) foi quem viveu a trajetória mais conturbada. Descobriu que estava grávida do seu melhor amigo, Guga (Pedro Alves), enquanto iniciava um namoro com Beto (John Buckley). Renegada pelos pais que vivem em outra cidade, foi morar na casa de Serginho (João Pedro Oliveira) e passou por diversas dificuldades, chegando a ficar entre a vida e a morte depois de sofrer um acidente de ônibus na reta final da gravidez. "Torço para que a Meg consiga se acertar com os pais e que tenha uma vida de harmonia com o Beto e a família do Guga. Que o amor seja o sentimento que permaneça em todo o núcleo", deseja a atriz Giulia Bertolli.

Foto: Globo/João Cotta

Mariana Santos, que dá vida à Carla, um dos maiores destaques entre os adultos da história, já está com saudades da convivência diária das gravações. "Carla é uma mulher muito forte, embora tenha suas fragilidades. É guerreira, justa, com uma maturidade grande em cena. Representou a força do amor de mãe para os filhos e para outros personagens na trama, o que foi de uma beleza ímpar. Me trouxe camadas novas como atriz, um trabalho muito significativo para carreira", avalia Mariana Santos.

‘Malhação: Toda Forma de Amar’ entra na reta final e chega ao fim na próxima sexta-feira, dia 03 de abril. A trama é escrita por Emanuel Jacobina, com supervisão artística de Carlos Araújo e direção artística de Adriano Melo.

Com informações da Comunicação Globo.


Publicidade

Comentários (2) Postar Comentário

marcelinho comentou:

18 pontos de média Geral!! Méritos aos diretores e atores que eram bons, porque o Emanuel Jacobina se perdeu completamente no enredo , sumiu com os principais personagens. Poderia ter explorado outros lados da advogada Mal caráter ,se ela fez aquilo tudo com a irma imagina para outros poderosos?? dava uma boa história infelizmente ficou por aquilo mesmo capenga. O marco Rodrigo virou bandido, sumiram com a mãe da deficiente que dava uma agitada na trama , o Joaquim do nada largou a família e nem se quer teve uma explicação plausível !!! Mas depois daquela horrorosa Vidas Brasileiras qualquer coisa já ia contentar o publico!!


ght respondeu:

Concordo, até os diálogos entre a rita e o felipe estavam cansativos falando da nina o tempo todo.


Andre Luiz comentou:

Essa temporada teria 279 capítulos e seria exibida até o dia 8 de maio, mas por causa da Pandemia da COVID-19, ela foi encurtada em um mês e terminará nessa sexta dia 3 de abril com 254 capítulos, ou seja, 30 a menos que a temporada anterior, Vidas Brasileiras que teve 284.

Veja também

Publicidade