O Planeta TV

Após “quinta-feira negra”, Globo promove troca de diretores

“Estamos em permanente movimento e evolução", avisa diretor-geral da emissora.

por Redação, em 27/11/2018
Publicidade

Carlos Henrique Schroder. Foto: TV Globo

Após anunciar mudanças na programação da Rede Bahia, a cúpula da Globo também decidiu trocar os diretores dos programas do Entretenimento. Boninho, segundo informações do jornalista Daniel Castro, perdeu o poder sobre o Mais Você o Vídeo Show.

A partir do próximo dia 1º, Mariano Boni, atual diretor-executivo de Jornalismo, assumirá as funções de Boninho e cuidará de programas de Entretenimento com entrevistas. Além do Víeo Show, são eles: o Altas Horas, o Mais Você, o É de Casa, o Amor e Sexo, o Conversa com Bial e o Bem Estar.

Boninho continuará cuidando dos reality shows (Big Brother Brasil, Popstar, The Voice Brasil, The Voice Kids) e de programas de auditório (Caldeirão do Huck). Ele também integrará o time de diretores do Domingão do Faustão.

Ricardo Waddington foi promovido a diretor de Produção.

Confira, a seguir, a íntegra do comunicado do diretor-geral da TV Globo, Carlos Henrique Schroder:

“Estamos em permanente movimento e evolução. A dinâmica de mercado, a forma de consumo e o conhecimento da jornada do nosso espectador nos fazer reavaliar, a todo momento, como construímos nosso conteúdo, Diante disso, dentro do processo de evolução no modelo de gestão dos Estúdios Globo, realizaremos várias movimentações no Entretenimento a partir de dezembro de 2018.

Eduardo Figueira, diretor de Produção, após mais de 40 anos de comprometimento e de uma carreira muito bem-sucedida, deixará a Globo em seis meses. Ao longo desta história, alcançou inúmeras realizações e conquistas, sendo um das mais recentes a restruturação da Produtora, que fez com que chegássemos ao patamar em que nos encontramos hoje, com relevantes ganhos de eficiência nas operações e de qualidade na entrega dos nossos produtos.

Para assumir a posição de Figueira e trazer ainda mais alinhamento com o desenho artístico das nossas produções, convidamos Ricardo Waddington, atual diretor de gênero – Variedades e Multitelas, que também tem sido decisivo em nosso novo modelo de atuação. Ricardo, que assumirá em dezembro, contará com o apoio de Eduardo por um período de transição até o final de maio de 2019.

Neste processo de movimentação, identificamos a oportunidade de repensar o planejamento do gênero Variedades, que resultou nas seguintes mudanças:

Sob responsabilidade de Boninho, diretor de gênero – Variedade, ficarão os programas de auditório (Domingão do Faustão e Caldeirão do Huck), realities (BBB, Popstar, The Voice e The Voice Kids), games (Tamanho Família, Tá Brincando, Os Melhores Anos das Nossas Vida e Zero 1) e musicais (“Só Toca Top”, “Show da Virada”, “Festeja” e “Roberto Carlos”). Boninho segue imprimindo seu reconhecido olhar inovador, fundamental para seguirmos renovando modelos, divertindo e emocionando os brasileiros.

Boninho assumirá a direção do Domingão do Faustão. Foto: Reprodução/Globo

Para assumir outro conjunto importante de produtos de Variedades, convidamos Mariano Boni, atual diretor-executivo do Jornalismo. Na Globo desde 1991, Mariano participou da cobertura dos mais importantes acontecimentos do Brasil desde então, atuando como produtor e editor do Fantástico, editor-executivo do Jornal Nacional em São Paulo, editor-chefe do Jornal da Globo, chefe de redação de Rede em São Paulo e diretor regional de Jornalismo em Brasília. Seu novo desafio será atuar como diretor de gênero - Variedades dos programas de entrevistas (Mais Você, Encontro, Vídeo Show, É de Casa, Altas Horas, Amor & Sexo e Bem Estar, que migra do Jornalismo para o Entretenimento) e talk shows (Conversa com Bial).

Os eventos, como Carnaval e Criança Esperança, serão conduzidos pelo gênero Variedades, de acordo com a característica de cada evento.

Em função da ida de Mariano Boni para o Entretenimento, algumas movimentações também ocorrerão no Jornalismo, entre elas:

- No lugar de Mariano, para assumir a direção-executiva de Jornalismo, no Rio, Ali Kamel convidou Ricardo Villela, hoje diretor regional de Jornalismo em Brasília, que chegou à Globo em 2005, como editor de Política no Jornal da Globo, atuando na sequência como editor-executivo do Jornal da Globo, coordenador do Jornal Nacional em São Paulo, editor-chefe do Jornal da Globo e chefe de redação de Rede em São Paulo.

- Já para o lugar de Villela na direção regional de Jornalismo em Brasília, Kamel convidou Luiz Ávila, editor-chefe do “Jornal Hoje” e que já desempenhou diversas funções no Jornalismo, entre elas no “Jornal da Globo” e no “Jornal Nacional”.

Agradeço ao Figueira por sua enorme dedicação ao nosso Entretenimento, com a certeza de que deixou uma marca profunda na forma de produzir conteúdo na história da Globo e do Brasil.

Aos que assumem novos desafios, muito sucesso. Que continuem suas vitoriosas trajetórias na nossa empresa.

Um abraço,

Carlos Henrique Schroder
Diretor-geral da Globo"


Deixe o seu comentário


Publicidade


Comentários (6) Postar Comentário

Shirlei Terezinha comentou:

Se a quinta-feira foi negra, ela foi lindissima!

Slytherin comentou:

Não adianta nada, tem que reformular é a grade de programação manhã e tarde, mais precisamente dos programas Bem estar, encontro, vídeo show, colocar uma novela melhor no vale a Pena Ver de Novo, e selecionarem novelas melhores, não sei como sinopses de Vidas Brasileiras e Espelho da Vida foram aprovadas. A programação de sábado também precisa de um help urgente.


Ono respondeu:

Na minha opinião, os maiores desastres da grade vespertina atendem pelo nome de Vídeo Show e Belíssima. Torço muito para que a próxima novela a ser reprisada seja Babilônia.


O profeta comentou:

Antigamente a gente via novelas de qualidade e que pelo menos despertavam interesse, isso
Na gestão da Marluce Dias; Silvio de Abreu trouxe instabilidade aos autores, aprovam hoje uma sinopse, daqui a pouco chega a notícia de que foram canceladas; aí ele aprova um autor sem nem ao menos ter uma sinopse, como foi o caso de “o outro lado do paraíso”; se fosse um profissional tão sério jamais as bombas: espelho da vida... em família... vidas brasileiras... aquela
Novela da Maria Adelaide Amaral, cujo nome nem lembro de tão medonha que era... #forasilvio

Marcos Kaneko comentou:

Ano que vem, o Criança Esperança completará 34 anos e o Show da Virada 21 anos. Eu não sei quem vai assumir o "Criança Esperança" e "Show da Virada"!

Jheremias Não Bate Corner comentou:

Acho que deveriam inovar, apostar em Tatá Werneck no lugar do video show ou uma série bacana. Cortar malhação tambem, voltar com Sessão Aventura. E tirar o Silvio de Abreu que aprova uma ou duas bombas por ano causando instabilidade.

Ponci comentou:

O problema não é o programa, mas a insistência em fórmulas que não dão certo. A Dani Calabresa levaria o Vídeo Show nas cotas, fazendo ainda melhor do que a Mônica Iozzi fez, basta ver os vídeos do Furo MTV que ela apresentava. É inteligente e engraçada. Outro problema são os filmes da Sessão da Tarde. A Globo tem INÚMEROS filmes de sucesso, mas insiste em reprises velhas e com péssima imagem. Já o VPVDN precisa vir com uma novela de sucesso como Cordel Encantado, TiTiTi, Cama de Gato. Não adianta colocar um sucesso das 21h e ter que retalhar. Malhação já mostrou que está longe de sair da grade e ainda tem muito potencial, mas essa Vidas Brasileiras já estava fadada ao fracasso antes mesmo de estrear. Espelho da Vida precisa se olhar no espelho e ver que não está legal. A atual novela das 19h está muito boa e as próximas também prometem. Já o Sétimo Guardião também está bem amarrada. Tem tudo pra cair no gosto popular.


Thiago Bortolozi respondeu:

Tudo que eu sempre pensei, gentee eles tem Dani Calabresa e Tata Werneck e colocam ex bbbs no Video Show, são muito burros, enquanto o Lady Night está ai Bombando no canal a cabo, eles colocam Pedro Bial e aqueles programas estranhos de quinta-feira, que preguiça que eles tem de pensar!!



Publicidade

Veja também

Publicidade