O Planeta TV

Espelho da Vida: Cris e o quebra-cabeças da vida de Julia Castelo

A novela das seis da TV Globo é escrita por Elizabeth Jhin.

por Redação, em 16/11/2018
Publicidade

Foto: Globo/Victor Pollak

A experiência transcendental que Cris (Vitória Strada) está vivendo quando visita seu passado na pele da própria Julia Castelo está mexendo cada vez mais com o presente da jovem atriz. Cris já descobriu que seus pais, Ana (Julia Lemmertz) e Américo (Felipe Camargo), são também Piedade e Eugênio, pais de Julia Castelo. A relação familiar de Julia é mais complexa do que Cris poderia imaginar... E seus modos e pensamentos de 2018 são estranhos à vida de Julia, em 1932. Eugênio é um homem de temperamento difícil. Já Piedade é uma mulher doce e submissa e, assim como no presente, é amorosa e preocupada com a filha. “Cris precisa se controlar para não dizer o que ela pensa com a mentalidade de uma jovem do século XXI quando está na pele de Julia”, conta Vitória Strada. 

No dia em que conheceu Danilo (Rafael Cardoso), Cris acreditou ter sentido o mesmo que Julia Castelo sentiu. O que a deixa bastante confusa e até se sentindo desleal ao namorado na atualidade, Alain (João Vicente de Castro). Danilo é um rapaz simples, envolvido com arte e que está se mostrando completamente apaixonado por Julia. Mas o triângulo amoroso, no passado, se formou com a aparição de Gustavo Bruno (João Vicente de Castro), um jovem atraente e sofisticado que chegou recentemente de uma temporada na Europa. Ele é como Alain e essa descoberta deixou Cris ainda mais perturbada. Apesar de acreditar que Danilo jamais mataria Julia, será que o rapaz ficou enciumado com a chegada de Gustavo Bruno? Afinal, ele a está cortejando e tem o total apoio de sua família, diferentemente do que acontece com Danilo. 

Foto: Globo/Victor Pollak

Cris também descobriu que a melhor amiga de Julia é Dora (Alinne Moraes), que, no presente, é Isabel. E uma dúvida paira em sua cabeça: será que é possível resgatar hoje a amizade que as duas tiveram na década de 1930 como Julia e Dora? Ou Dora também não era uma pessoa tão confiável, como acontece no presente com Isabel? As surpresas e questionamentos de Cris não param por aí. Ela está perto de conhecer a mãe de Danilo, seu amor de outras vidas. Hildegard Breton é uma mulher à frente de seu tempo, culta e inteligente, mas mal vista pela sociedade da época em Rosa Branca por pintar quadros de homens nus. Mas não é o perfil da mulher que impressiona Cris, e sim a descoberta de que ela é a vida passada de uma pessoa muito importante em seu presente. 

A cada nova viagem no tempo, Cris se sente mais envolvida pela história de Julia Castelo e muito atraída pela oportunidade de voltar ao passado e desvendar todo o mistério que envolve a vida e a morte da jovem.

As cenas em que Cris conhece Hildegard Breton estão previstas para irem ao ar a partir de segunda-feira (19). ‘Espelho da Vida’ é uma novela de Elizabeth Jhin, escrita com Duba Elia, Renata Jhin, Wagner de Assis e Maria Clara Mattos, e tem direção artística de Pedro Vasconcelos, direção geral de Claudio Boeckel e direção de Luis Felipe Sá, Rafael Salgado e Tande Bressane.


Deixe o seu comentário


Publicidade


Comentários (3) Postar Comentário

Thiago Henrique comentou:

A novela é lenta, a história não consegue emplacar, é fraca, não passa emoção.
Vitoria Strada está radiante como protagonista, Aline então arrebentando como vilã, porém a história faz ambas andarem em círculos. Coadjuvantes então, só se salva a Kefera, a menina fã do personagem do Rômulo, e só.
O personagem do Rafael Cardoso deveria entrar o mais rápido possível, a verdadeira vilã deveria ser a Julia mesmo que por fim se matou, o Alain se tornar o vilão mesmo, e por fim o espelho ser quebrado e a história ter um recomeço.
Cris começar a enlouquecer, o Rafael Cardoso tentar ajuda-la, Isabel e Alain realmente fazerem maldades para enfim a novela começar, pois ta realmente difícil embarcar em algo que nem mesmo mostrou ao que veio.

pedro comentou:

Kefera é a pior personagem na novela! Aquele óculos dá agonia! Aquelas fãs de Romulo com aquele sotaque mineiro 50 tons acima do têm são horríveis! Rafael Cardoso poderia entra logo para salvar a novela... Pedro Vasconcelos está flopando na primeira novela como diretor geral!

Bia Falcão comentou:

Novela deliciosa. Tudo o que a autora prometeu está sendo entregue: tem um bom enredo, um roteiro condizente e a direção excelente do Pedro Vasconcelos que era da equipe do Rogério Gomes.


Publicidade

Veja também

Publicidade