O Planeta TV

"Perplexa com a falta de caráter", diz Leda Nagle sobre demissão da EBC

Apresentadora revelou data de exibição do último Sem Censura.

por Sergio Gustavo, em 08/12/2016

Leda Nagle. Foto: Divulgação/TV Brasil

Conforme anunciado ontem (07), Leda Nagle deu detalhes sobre a sua demissão da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), instituição do governo federal que controla a TV Brasil - ela foi dispensada pelo presidente da empresa, Laerte Rímoli. Em texto publicado no Facebook, a veterana, há 20 anos no comando do Sem Censura, classificou como "falta de caráter" a atitude da EBC. Segundo ela, a continuidade do seu contrato havia sido confirmada pela direção.

Segundo publicação do SRZD, testemunhas relataram que a jornalista ficou bastante desapontada ao receber a notícia de sua demissão e teria batido a porta da sala em que estava com Rímoli, demonstrando sua insatisfação. Na sequência, o presidente teria entrado em contato com a jornalista Patrícia Kogut (O Globo) para informar o desligamento da profissional.

A seguir, a íntegra do texto publicado por Leda:

"FOI ASSIM
Confesso que preferia ficar calada neste momento. Recolhida, lambendo minhas feridas, me reorganizando, repensando a vida com o coração e a razão. Mas, ao mesmo tempo, me sinto na obrigação de esclarecer esta situação que me surpreendeu ontem e que ainda não posso dizer, sinceramente, que assimilei ou degluti. Mas vamos lá. Há dois meses procurei a direção da EBC para saber se iriam renovar meu contrato que terminou no dia 5 de novembro, como mandava nosso contrato. A resposta foi: sim. Fizemos três reuniões falando do assunto, cumpri as regras burocráticas e continuei no ar, mesmo sem contrato, cumprindo minhas obrigações de acordo com as normas que acreditava vigentes. Tanto o Presidente da EBC como seus subordinados também agiam como se tudo estivesse certo. Segundo me diziam eles, “o contrato está acabando de ser feito pelo jurídico”. Sempre foi assim, demorado, sempre teve validade de um ano, de 5 de novembro de um ano até 5 de novembro do outro ano. Ontem, me convocaram para uma reunião e me apresentaram um aditivo (tipo um remendo de contrato) que vale por dois meses e termina dia 5 de janeiro, coincidentemente dia do meu aniversário.
“Estamos sem dinheiro para continuar. Você fica até 5 de janeiro. Em março você propõe alguma coisa e a gente pode até conversar”.
Portanto fui demitida ontem pelo Laerte Rimoli, á uma hora da tarde. Claro que fiquei triste. Tenho 40 anos de televisão. Estou fazendo o Sem Censura há quase 21 anos. Gosto muito do programa e da minha equipe. E, mais do que triste, fiquei perplexa com a falta de caráter em dar a palavra de que estava tudo certo, que o contrato seria renovado, deixar a pessoa trabalhar normalmente , sem contrato, acreditando na palavra empenhada e aparecer com advogado, um aditivo e esta desculpa esfarrapada da falta de dinheiro. Não houve nenhuma proposta de redução do valor do contrato, nenhuma tentativa de composição, nem nas reuniões anteriores nem á uma hora da tarde de ontem, quando Laerte Rimoli me demitiu. Foi assim. Foi muito feio. Fiquei e estou muito triste. Mas vida que segue. Sou uma mineira guerreira. Bola pra frente, com certeza. Se Deus quiser."


A EBC, por sua vez, não confirma a demissão de Leda e diz que a renovação do contrato da apresentadora está sob reexame. "A EBC está empenhada em manter o Sem Censura na grade de exibição da TV Brasil com a apresentadora à frente do programa, mas está sendo obrigada a rever este e outros contratos devido à severa restrição orçamentária por que passa a empresa e o país de forma geral. A ideia é fazer uma repaginação do programa em 2017", diz a nota oficial.

Em entrevista à Sidney Rezende, também demitido da EBC este ano, Leda revelou que a última edição do programa vai ser exibido no próximo dia 20.

O Sem Censura sempre esteve entre os carros-chefe da TV Brasil, com credibilidade para receber grandes nomes das artes, da política, da medicina e outras áreas.



Publicidade

Comentários (1) Postar Comentário

marco costa comentou:

LEDA é um ícone do jornalismo brasileiro. Quem pode acompanhá-la apresentando o JORNAL HOJE sabe o que eu digo. Personalidade e presença única. Mas, pra esse Brasil, de que valem os ícones? Memória curta é inerente ao brasileiro. Parabéns TV Brasil ( TV o que?), vcs agora não terão mais NENHUM programa que mereça ser visto. Bem vindos ao ZERO total de audiência!

Veja também

Publicidade