O Planeta TV

MasterChefBrasil estreia sétima temporada com mudanças no formato e novo cenário

Talent show será exibido a partir da próxima terça-feira, às 22h45, na tela da Band.

por Redação, em 07/07/2020

Foto: Divulgação/Band

O maior talent show gastronômico do Brasil, sucesso de crítica e público, estreia sua sétima temporada com cozinheiros amadores na próxima terça-feira, 14 de julho, às 22h45. O MasterChef Brasil, uma produção da Endemol Shine Brasil, também será exibido no Discovery Home & Health às sextas-feiras, 20h30, a partir do dia 17.

Com um formato adaptado para atender aos protocolos de segurança recomendados pela OMS (Organização Mundial da Saúde), MasterChef Brasil chega à tela da Band diferente de tudo o que já foi visto até aqui, mas com o mesmo tempero e sabor das edições anteriores com Ana Paula PadrãoHenrique FogaçaPaola Carosella e Erick Jacquin.

“Retornamos com adaptações e novidades, além de uma pegada mais popular. Nosso objetivo é dar protagonismo para os pratos feitos em casa com ingredientes simples do dia a dia e entregar uma comida com personalidade e, é claro, com a essência de cada pessoa, já que nos últimos meses a culinária se tornou um ato de cuidado e um momento de distração e aprendizado para quem está em isolamento social. O MasterChef Brasil acredita que sonhar, investir seu tempo no seu objetivo, ter esperança e estar disposto a aprender é o primeiro passo para se transformar diante do novo normal”, analisa Marisa Mestiço, diretora do programa.

Desde o início da quarentena, a produção do MasterChef Brasil conta com uma comissão multidisciplinar formada por médicos do trabalho, infectologistas e profissionais da área atuando na implementação e nas orientações das normas de saúde e prevenção que são aplicadas em todos os estágios da produção. Também foram adotadas normas globais da Endemol Shine Group, que retomou as gravações de produções internacionais como o MasterChef Austrália e o MasterChef Espanha antes da edição brasileira.

Entre as principais mudanças estão o formato da competição, com oito cozinheiros a cada episódio, e o cenário, que ganhou um novo layout com espaçamento de 1,5m entre as bancadas e mesas do restaurante, além da ampliação do mezanino. Para as avaliações, os participantes irão produzir sempre três pratos de suas receitas escolhidas (uma para cada jurado), provadas e avaliadas em bancadas próprias, que também respeitam o distanciamento mínimo. Todas as provas e etapas do programa serão realizadas dentro do estúdio, sem gravações externas ou desafios em grupo. Para evitar aglomeração, os participantes entram no mercado em dois grupos distintos e têm três minutos para escolher os produtos.

“Essa nova edição do MasterChef Brasil será extraordinária. Cada episódio tem um vencedor, então é mais dinâmico porque existe uma única chance. A pressão é muito mais forte e intensa. Não tem repescagem, não tem segunda chance. O prato pode ser simples ou sofisticado, mas deve ser o melhor e bem feito.”, conta o chef Erick Jacquin.

“Essa rotatividade de candidatos e o fato de ter vários vencedores ao longo da temporada é muito bacana. Mais do que nunca, vamos olhar como cada candidato trabalha sua receita, como entende o tema da prova e o que apresenta no final. Nossa missão é identificar esse potencial em pouco tempo para escolher o melhor dos melhores a cada semana”, complementa o chef Henrique Fogaça.

Nesta nova fase, cada episódio será independente com oito aspirantes a cozinheiros, e contará com um ganhador, eleito após duas provas. Os competidores terão de mostrar o que sabem de forma prática e assertiva para passar para a segunda etapa. Manter a cabeça no lugar e saber escutar será fundamental nesta temporada.

“Esse formato deixa a competição mais acirrada porque os participantes têm muito pouco tempo para entender o que é o MasterChef Brasil. As pessoas podem assistir à TV e achar que é muito simples, mas nós jurados temos muita experiência em ver os participantes entrando e entendendo que isso aqui de simples não tem nada. O que acontece no formato tradicional é que existe muito tempo para se acostumar e agora não. É mata-mata”, enfatiza a chef Paola Carosella.

O vencedor de cada episódio levará o cobiçado troféu MasterChef 2020 e um prêmio de R$ 5 mil. O programa também doará uma quantia no mesmo valor para uma instituição de caridade envolvida no combate ao novo coronavírus neste momento em que ter empatia é fundamental.

“Faz parte do mundo novo, para mim pelo menos, compartilhar, ser solidário, generoso e empático. De alguma maneira, ganhar o MasterChef Brasil hoje quer dizer que outras pessoas estão ganhando também. O seu sucesso está sendo compartilhado assim como um prato de comida”, avalia a apresentadora Ana Paula Padrão.



Publicidade

Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também

Publicidade