O Planeta TV

Mar do Sertão: Isadora Cruz, exalta parceria com Sergio Guizé: 'Química instântanea'

A pernambucana ainda fala sobre a diferença entre trabalhar no Brasil e no exterior, além do desafio de mudar seu sotaque no início da carreira.

por Redação, em 04/07/2022
Publicidade

Foto: TV Globo/Allan Fiterman

Na bagagem, a pernambucana Isadora Cruz traz muitas experiências e conhecimento dos países por onde passou. Após estudar a fundo cinema e teatro na França e, mais tarde, mergulhar em grandes produções de Hollywood, a atriz de 24 anos retorna ao seu país de origem para um papel muito especial, o de protagonista de Mar do Sertão. Na nova novela das 6 da Globo, ela é Candoca, uma jovem professora apaixonada pelo vaqueiro Zé Paulino, interpretado por Sergio Guizé. Em entrevista ao Gshow, Isadora exalta sua parceria com o ator, conta qual é a diferença entre trabalhar no Brasil e no exterior e ainda relembra a dificuldade em mudar seu sotaque durante o primeiro trabalho da carreira, na novela Haja Coração.

Uma apaixonada pela arte

Isadora é uma cinéfila, daquele tipo de pessoa que assiste à quatro filmes por dia, se der tempo. Sempre contemplava os grandes atores pela tela da TV, sem ter a mínima ideia de que, um dia, aquilo seria seu ofício. Atuar nem passava pela cabeça. A paixão de Isadora era a dança. Jazz, balé, ginástica rítmica... dali já tinha um primeiro contato com os palcos, tirando sua vontade de atuar do modo latente. Foi somente aos 16 anos que Isadora decidiu dar uma chance ao teatro, fazendo um curso de férias em São Paulo. Foi aí que a pernambucana encontrou sua vocação.

Além de atuar, Isadora é tão apaixonada por tirar fotos que pensa em seguir na carreira de direção de fotografia.

Eu pretendo, um dia, ter a minha própria produtora de filmes e poder dirigir, quando tiver mais experiência." — Isadora Cruz

Isadora em Paris

Logo em seguida ao primeiro curso, Isadora decidiu se aprofundar nos estudos. Ela já era fluente em inglês pois morou nos Estados Unidos dos 5 aos 9 anos de idade. Por isso, optou por aprender uma nova língua e embarcou rumo à França.

"Passei um ano em Paris estudando cinema francês e teatro, que era em inglês. Foi incrível, aprendi tanta coisa, fui a tantos museus. Sou rata de museu. Se deixar, eu passo o dia inteiro." — Isadora Cruz

Primeiro papel da carreira

De volta ao Brasil, Isadora passou no teste para viver a personagem Cris, de Haja Coração. Seu primeiro papel na carreira exigia não só uma mudança para o Rio de Janeiro como também uma mudança de sotaque, dois grandes desafios para a então atriz principiante.

Me mudei para o Rio sozinha, uma cidade perigosa, e eu era muito jovem, 17 anos. Ainda tinha que fazer um sotaque paulista. Então, pra mim, foi muito difícil. Me achava muito imatura porque só tinha feito teatro em inglês, eu não dominava a atuação em português. Mas tenho o maior carinho pelo trabalho que fiz. Esse papel significou que eu levava jeito para ser atriz". — Isadora Cruz

Cerca de um ano e meio após Haja Coração, Isadora passou no teste para ser protagonista de outra novela. No entanto, ao descobrir que deveria alterar seu sotaque novamente, a pernambucana declinou o papel.

Eu tinha visto como 'Haja Coração' tinha sido difícil pra mim, e eu não tinha essa maturidade como atriz e como mulher. Pra mim é mais fácil atuar em inglês nativo americano do que mudar o meu sotaque em português. Hoje em dia, eu tenho mais facilidade. Mas, na época, isso pesou muito." — Isadora Cruz

Carreira internacional

Foi assim que Isadora arrumou suas malas de volta para os Estados Unidos e decidiu investir na carreira internacional. Mostrou que tem talento para comédia no filme holandês "Men At Work: Miami" e também para o terror no longa "O Chapeleiro do Mal".

Com tudo indo bem na vida de Isadora, voltar para o Brasil não estava nos planos da atriz. Inclusive, ela estava prestes a gravar uma série da plataforma de streaming norte-americana Hulu. Mas quando pintou a oportunidade de interpretar a protagonista Candoca, que ainda tinha o mesmo sotaque que o seu, a pernambucana não pensou duas vezes e decidiu retornou para cá.

A Candoca é uma personagem incrível não só pelo protagonismo mas por todas as mensagens que ela passa. Ela é muito defensora da natureza, dos animais. O maior propósito dela é a caridade. E esse é meu maior propósito também." — Isadora Cruz

Isadora também destaca qual é a maior diferença entre trabalhar aqui e no exterior.

A energia do set brasileiro é totalmente diferente, se cria uma família mesmo. Principalmente em novela, que você passa muitos meses gravando. Eu acho que o americano, por ser mais frio, não tem muito isso. "

Química instantânea com Sergio Guizé

Na história de Mario Teixeira, Candoca vive um triângulo amoro com Zé Paulino, interpretado por Sergio Guizé, e Tertulinho, vivido por Renato Góes. Sobre os parceiros de cena, Isadora é só elogios.

A gente tá muito amigo, a gente se ajuda e se escuta muito. Eu tô encantada com os dois, eles são maravilhosos!" — Isadora Cruz
A atriz ainda ressalta a generosidade de Guizé desde a primeira cena que gravaram juntos.

Com o Sergio foi uma química instantânea. A gente nunca tinha se conhecido e a nossa primeira cena de teste foi a do reencontro dos personagens depois de 10 anos. Foi muito lindo porque ele me deu tudo que eu precisava na cena, ele é muito generoso. — Isadora Cruz

Mar do Sertão é uma novela criada e escrita por Mario Teixeira com direção artística de Allan Fiterman. A obra é escrita com Marcos Lazarini, Claudia Gomes e Dino Cantelli, e com colaboração de Carol Santos. A direção geral é de Pedro Brenelli com Bernardo Sá, Natália Warth e Rogério Sagui. A produção é de Silvana Feu e a direção de gênero de José Luiz Villamarim. A novela tem estreia prevista para o dia 22 de agosto.


Deixe o seu comentário


Publicidade


Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Publicidade

Veja também

Publicidade