O Planeta TV

Éramos Seis: Um final feliz para Lola

As cenas vão ao ar a partir desta terça-feira, dia 24.

por Redação, em 24/03/2020
Publicidade

Foto: Paulo Belote/Globo

Durante toda a exibição de Éramos Seis, o público sofreu antes, por saber o que estava por vir, e depois, ao assistir a difícil trajetória de Lola (Gloria Pires) e sua família, na São Paulo do início do século passado. Odiou Júlio (Antonio Calloni), mas chorou com sua redenção e morte no início dos anos 1930. Também se irritou com Carlos (Danilo Mesquita), que, dentro do que era esperado em sua época, assumiu o papel de homem da casa, intervindo e atrapalhando a vida dos irmãos, ao tentar poupar sua mãe. Mas, igualmente, lamentou sua dolorosa morte que precedeu a Revolução Constitucionalista de 1932.

Mesmo em meio a tantas dificuldades, como a morte de entes queridos e a luta para manter a casa e as contas, além da necessidade de cuidar sozinha da sobrevivência e da educação dos filhos, Lola nunca esmoreceu. Foi forte, determinada, batalhadora e seguiu em frente, cuidando dos que mais amava e sempre estiveram ao seu redor.

Depois de tantos obstáculos, os fãs torceram e esperaram por um final diferente das últimas versões para a matriarca da família Abílio de Lemos. A aproximação com Afonso (Cássio Gabus Mendes) foi um sopro de esperança, mesmo diante de todas as maldades de Shirley (Barbara Reis) e as surpresas que a própria vida se encarregou de apresentar.

Shirley morreu. Lola apaziguou suas tristezas. Precisou ir para o Rio de Janeiro e, depois, ao voltar a São Paulo, resolveu, por vontade própria, se instalar num asilo, onde conheceu Madre Joana (Nicette Bruno) e Tereza (Irene Ravache).

Foto: Paulo Belote/Globo

A história terminava aí. Mas Angela Chaves, em concordância com Carlos Araújo, achou por bem dar um final feliz à sua protagonista. Lola é surpreendida por Afonso no asilo, que não só se declara mais uma vez, como a pede em casamento sem rodeios. Lola aceita, e a cerimônia não demora a acontecer. Afinal, esperaram tanto por esse momento.

O casamento não é perfeito. Alfredo (Nicolas Prattes) continua rodando o mundo, de navio em navio. Julinho (André Luiz Frambach) não aceita esse romance e não vai à festa, que acontece em Itapetininga. A única presente, entre os quatro filhos, é Isabel (Giullia Buscacio). Mas Lola não esperava que fosse diferente. É um casamento real.

As cenas vão ao ar a partir desta terça-feira, dia 24. "Éramos Seis" é escrita por Angela Chaves, baseada na novela original escrita por Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho, livremente inspirada no livro de Maria José Dupré. A direção artística é de Carlos Araújo, e a obra conta ainda no elenco com Ricardo Pereira, Simone Spoladore, Virgínia Rosa, Eduardo Sterblitch, Maria Eduarda de Carvalho, Werner Schunemann, Mayana Neiva, Camilla Amado, Denise Weimberg, entre outros.


Deixe o seu comentário


Publicidade


Comentários (1) Postar Comentário

LUANA BRASIL comentou:

EU AMEI O FINAL DE LOLA, E O FATO DE JULINHO NÃO TER IDO AO CASAMENTO DA PROPRIA MAE, E SO UM FAVOR QUE ELE FAZ DE NÃO IR COM AQUELA SORAIA ENTOJADA, DEUS ME LIVRE DAQUELA GENTE , FAMILIA DA SORAIA NINGUEM MERECE. AMEI O FINAL LOLA MERECE SIM SER FELIZ...


Publicidade

Veja também

Publicidade