O Planeta TV

Diego Hypólito concede entrevista reveladora a Roberto Cabrini

O Conexão Repórter desta segunda-feira (13), traz um ídolo nacional em um momento de verdade.

por Redação, em 13/05/2019
Publicidade

Foto: Divulgação/SBT

Conexão Repórter desta segunda-feira (13), traz um ídolo nacional em um momento de verdade. Em uma entrevista franca, o medalhista olímpico Diego Hypólito revela a Roberto Cabrini ter sofrido abusos psicológicos no início de sua carreira. Na semana em que assumiu publicamente sua homossexualidade, o ginasta traz uma conversa reveladora de quem, ainda muito jovem, conheceu a glória e o fracasso. Bicampeão mundial de solo e medalha de prata nas Olimpíadas, Diego chegou aos 32 anos e decidiu marcar posição na luta contra o preconceito em um país ainda envolto pela homofobia.

Ele fala sobre a formação religiosa, pressões familiares, o medo de decepcionar fãs, receio de perder patrocinadores e de sofrer represálias no meio esportivo. O atleta recorda uma vida de provações e a infância de dificuldades e incertezas, além da descoberta de sua sexualidade, as primeiras experiências homosessexuais, os namoros, as pressões e a guerra interna. Cabrini conversa ainda com Geni, mãe do atleta, que fala sobre o assunto ao lado do filho.

O Conexão Repórter vai ao ar toda segunda-feira, 23h45, logo após o Programa do Ratinho.


Deixe o seu comentário


Publicidade


Comentários (2) Postar Comentário

Antônio Vergílio Vicente comentou:

O QUE É UM HOMOSSEXUAL?

Um Homossexual é uma pessoa portadora de deficiência física como qualquer outra. A homossexualidade é uma anomalia física. É, sem dúvida, uma situação congênita. É assim que a origem homossexual deve ser reconhecida. Aliás, todos nós, antropologicamente falando, somos portadores de deficiências físicas, porém, apenas com defeitos diferentes.

As deficiências físicas do ser humano, espiritualmente falando, são distúrbios da natureza, provenientes do pecado; porém, não do próprio pecado de cada um, mas do pecado original. Quando foi perguntado para Jesus se o problema do jovem cego era procedente do seu próprio pecado ou do pecado de seus pais, Jesus respondeu: “nem dele nem de seus pais” (Jo 9.2,3).

Os líderes religiosos, espiritualmente homofóbicos, argumentam com base na criação, alegando que Deus fez homem e mulher, e não fez homossexual. Isso é uma ignorância sem tamanho na área espiritual, principalmente quando se trata da salvação pela Graça de Cristo. Que Deus fez homem e mulher, e não fez homossexual, não se tem dúvida! Porém, eu posso acrescentar, que Deus também não fez cego, aleijado, doente, estéril; inclusive, não fez pessoas feias como todos nós somos em relação ao homem e a mulher que Ele criou no princípio. Contudo, todos somos recebidos no meio cristão como salvos, sem sermos transformados fisicamente, menos o homossexual. Por que tal discriminação?
Com certeza Deus fez o homem perfeito, e também não fez eunuco, porém, o próprio Jesus disse que alguns nascem eunucos: “Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe” (Mt 19.12).
Querer julgar as condições do homem hoje, comparando-as com as condições que o homem foi formado por Deus no princípio, é sem dúvida parar no tempo. É achar que ainda estamos no Paraíso, no jardim do Éden. Isso é muita ignorância espiritual.
O que temos que entender, é que Deus formou o homem, porém, o pecado o deformou, provocando defeitos físicos como: cegueira, aleijamento, feiúra, troca de hormônio e testosterona, com um órgão masculino e outro feminino, CROMOSSOMO incompatível com determinados órgãos e hormônios, etc., e morre assim.
Se o homem permanecesse no estado em que foi criado por Deus, Jesus não precisaria ter vindo em carne para nos salvar.

Todos nós temos defeitos físicos provenientes do pecado; porque as pessoas mais lindas entre nós, hoje, são ainda muito feias em relação as que Deus fez no princípio da Sua criação. As pessoas que se orgulham por serem as mais lindas hoje, se envergonhariam muito se vissem a beleza natural das pessoas que Deus criou no princípio.
Porém, hoje, todos viemos com defeitos, e normalmente morremos com eles; por que, então, só o homossexual tem que ser transformado fisicamente? “Qual de vós poderá acrescentar um côvado sobre a sua estatura?” disse Jesus (Mt 6.27).
Jesus não veio nos transformar fisicamente enquanto vivemos na carne, mas sim espiritualmente; apesar de muitos receberem a cura de suas enfermidades.
As igrejas são compostas de deficientes físicos, e todos são considerados cristãos; menos o homossexual. Isso realmente caracteriza homofobia espiritual.

(Texto extraído do livro “O Processo de Salvação”, escrito por Antonio Vergílio Vicente).

Antonio comentou:

O PECADO DA HOMOFOBIA
As verdades do Evangelho desvendadas neste livro, as quais ainda são inéditas para a maioria dos cristãos, vão ajudar as igrejas a compreenderem a salvação do homossexual pela Graça de Cristo.
Com a revelação da verdade do Evangelho, vão vir à tona elementos espirituais que comprovarão a salvação dos tais. Muitos não acreditam na salvação destes, por desconhecerem a integridade da Graça Salvadora de Cristo, e o estado de miséria com que cada cristão é salvo por meio desta Graça.
Ao tomarem conhecimento do verdadeiro Evangelho, todas as igrejas compreenderão que o homossexual verdadeiramente convertido a Cristo, também desfrutará, como nós, do acesso livre ao Reino de Deus, e da verdadeira ousadia para entrar no Santuário, apenas pela Graça de Cristo, e isento das cobranças heréticas que hoje vêm sendo feitas por meio de mandamentos carnais.
Porque só uma doutrina realmente pautada no verdadeiro Evangelho é o elemento capaz de eliminar a ignorância espiritual de muitas igrejas, conscientizando-as da verdadeira Graça de Cristo, e assim acabar com a homofobia no meio cristão.
Falta aprimorar o conhecimento espiritual da maioria das igrejas, para que assim todas passarem a conhecer verdadeiramente o que significa “A SALVAÇÃO PELA GRAÇA DE CRISTO”.
Se as igrejas realmente conhecessem o estado próprio de justiça com que cada cristão é salvo, não rejeitariam ninguém por imperfeição, ou seja, se elas entendessem à altura o que significa “a misericórdia de Deus”, não fariam tamanha triagem para aceitar em comunhão as pessoas que buscam a salvação pela Graça de Cristo. Foi o que Jesus disse aos fariseus que cobravam a perfeição dos discípulos: “Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes” (Mt 12.7).
O cristão não encontra respaldo de Deus para duvidar da salvação de ninguém que aceita Jesus como Salvador; pois seria o mesmo que duvidar do poder da Graça Salvadora de Cristo. Portanto, não aceitar os homossexuais como nossos irmãos espirituais, é uma atitude típica de muita ignorância, ou, pelo contrário, de muita hipocrisia.
(Texto extraído do livro “O Processo de Salvação”, escrito por Antonio Vergílio Vicente).


Publicidade

Veja também

Publicidade