O Planeta TV

Autor e diretor comemoram o sucesso de 'Orgulho e Paixão'

A novela termina nesta segunda-feira, dia 24.

por Redação, em 23/09/2018

Fred e Marcos. Foto: Marília Cabral/TV Globo

O texto de Orgulho e Paixão está entre os aspectos mais elogiados pelo público que acompanhou com entusiasmo a novela. Com diálogos leves e inteligentes, a trama conduziu as histórias das cinco irmãs Benedito, e tantos outros personagens, para um desfecho surpreendente, que será exibido nesta segunda-feira, 24/9. Os autores da novela, Marcos Bernstein e Victor Atherino, comemoram o sucesso da trama e a possibilidade de ter tocado em temas atuais, mesmo em uma produção que se passou em 1910.

“Foi extremamente recompensador falar sobre temas atuais importantes, mas de uma maneira romântica e leve. Mostramos mulheres fortes, à frente de seu tempo, lutando para conquistar o que almejavam. Tentamos fazer isso de forma orgânica e que estimulasse a identificação com o público. Creio que fomos felizes.”

Lançar uma novela é sempre um desafio e não foi diferente em Orgulho e Paixão. Mas cada capítulo que ia ao ar mostrava que eles estavam na direção certa!

"Esperávamos algum sucesso na medida em que nós mesmos íamos nos encantando com os rumos da trama. Mas a novela acabou virando uma fábrica de casais e bons personagens. O plano sempre foi fazer algo que nós adoraríamos ver na TV. Além das tramas das irmãs Benedito, alguns casais foram aceitos de uma maneira surpreendente, como Julieta e Aurélio, Luccino e Otávio, Januário e Ludmila e Ernesto e Ema. Falar de amor de maneiras tão distintas vai deixar saudade”, destacam os autores.

Autor, diretor e elenco. Foto: Marília Cabral/TV Globo

Fred Mayrink também ressalta a força feminina da história: 

"Foi uma novela feminina, sim. Muito bom colocar no ar, em um momento tão conturbado, uma novela que falasse de amor, delicadeza, alegria e de muito colorido. Acho que a gente sai desse projeto muito feliz, porque conseguiu realizar o que sonhou alguns meses atrás."

Outro destaque do folhetim foram os musicais, que apareceram em três momentos. O primeiro foi tímido, em uma declaração de amor de Randolfo (Miguel Rômulo) e Otávio (Pedro Henrique Müller) para Lídia (Bruna Griphao). Em seguida, houve o sonho de Randolfo, que envolveu parte do elenco. E, por fim, a concretização do sonho do militar em seu casamento com Lídia. O capítulo especial contou com a participação de todos os personagens cantando - até mesmo as divertidas vilãs Susana (Alessandra Negrini) e Petúlia (Grace Gianoukas) soltaram a voz! 

“Sempre brincamos que cada irmã Benedito representa um gênero: Elisabeta é drama, Jane é romance, Mariana é aventura, Cecília é suspense. Rapidamente chegamos à conclusão de que, se Lídia fosse um gênero, seria comédia musical”, comentam os autores.

Não perca o último capítulo de Orgulho e Paixão! Na segunda-feira, dia 24, a partir das 18h. Na Globo!.

 



Comentários (5) Postar Comentário

Vitor Silva comentou:

Vai me fazer falta, digo e repito melhor novela em exibição, bons personagens,casais super entrosados, elenco ótimo, gostei muito

julia comentou:

sucesso?!! onde?? uma novela despercebida!!! e quem assistiu logo esquecerá!!


Lucas respondeu:

22 ou 21 mg 20 meta Obs: não sou fã da novela mas reconheço, deixemos de olhar nossos gostos e vê o que está na nossa cara.


MACEDONIO comentou:

NOjo desta novela e de todas da globosta... beijo gay em plena tarde... essa globosta esta perdida... e quer empurrar guela abaixo para o publico que em 1910 em plena revolução existia aberração,, só que esquecem q quem cometia essas atutudes na época eram presos e condenados...


Lico respondeu:

Vá para Coreia do norte, você vai ficar muito feliz lá, naquele país só tem dois canais de TV e esses dois só falam do ditador o dia todo e todos os dias, lá você não vai ver nada que te desagrade



Paloma respondeu:

Ao invés de se preocupar com a vida sexual de personagens de novela porque não vai procurar uma clínica psiquiátrica pra se entregar ou algo útil pra fazer da vida hein? uma dessas coisas deve ser seu problema, doença mental ou vagabundagem mesmo, falta do que fazer só isso explica tamanha ignorância


Televisivo comentou:

A novela teve média geral razoável, esteve longe de ser um sucesso. Prometeu ser uma novela deliciosa pelas chamadas e o seu 1º mês de fato, foi muito bom. Porém, achei que a trama esvaziou, os acontecimentos eram bobos demais, eu não consegui embarcar nessa fantasia.
Não deixo de enaltecer o excelente trabalho de Alessandra Negrini e Grace Gianoukas, a dupla de vilã à la Disney, era ótima. Gabriela Duarte roubou a cena (embora a considere nova demais para o papel) e Natália do Valle que entrou nesta reta final, arrebentando a boca do balão como megera.

Mario comentou:

esta novela lembrou o jeito antigo de fazer novelas, com mais
leveza e doçura. com bastante cores sem aquele aspecto de penumbra.
parabens a autor e elenco, foi muito boa.

Veja também