O Planeta TV

Ao vivo, Pedro Cardoso abandona gravação do Sem Censura

O profissional critica o presidente da EBC.

por Redação, em 24/11/2017

Foto: Reprodução/Youtube

Revoltado com uma grave de funcionários, Pedro Cardoso abandonou a gravação do Sem Censura desta quinta-feira, 23/11. 

"Eu não vou responder a essa pergunta nem a nenhuma outra, porque quando eu cheguei aqui eu encontrei uma empresa que está em greve. E eu não participo de programas de empresas que estão em greve", iniciou ele, manifestando apoio aos trabalhadores da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que estão em greve desde o último dia 14 de novembro.

 

Cardoso foi convidado a participar da atração para divulgar seu primeiro romance, "O Livro dos Títulos" (Ed. Record). Além da apresentadora Katy Navarro, também estavam no programa o cantor e percussionista Carlos Negreiros, que está à frente da Orquestra Afro-brasileira, que completa 75 anos; o professor Lúcio Lage, para falar sobre dependência digital; e o ator Hugo Bonemer, que está em cartaz em "Ayrton Senna, o musical".

Pedro Cardoso também fez críticas ao presidente da EBC, Larte Rimoli, que esteve no centro de uma polêmica esta semana por comentários racistas nas redes sociais. "O que eu soube também quando cheguei aqui é que o presidente desta empresa [Laerte Rimoli], que é uma empresa que pertence ao povo brasileiro fez comentários extremamente inapropriados a respeito do que teria dito uma colega minha, em que a presença do sangue africano é visível na pele. Porque o sangue africano está presente em todos nós, mas em alguns está manifesto na pele. Se essa empresa que é a casa do povo brasileiro tem no presidente uma pessoa que fala contra isso, eu não posso falar do assunto que eu vim falar aqui", lembrou, se referindo ao fato de Rimoli ter compartilhado nas redes sociais posts que ironizavam recente declaração da atriz Taís Araújo, 38, sobre o racismo no Brasil e o preconceito com o filho dela.

O programa continuou normalmente sem a presença de Cardoso.

Em tempo: A EBC (Empresa Brasileira de Comunicação) é mantenedora da TV Brasil.



Publicidade

Comentários (3) Postar Comentário

Adalberto comentou:

Êpa! o tempo fechou, então.
Ele está mais que certo.

Geraldo comentou:

Existem duas maneiras de dizer as coisas. Surtando ou na Diplomacia. Quando Roberto D"Ávila "alfinetou" Joaquim Barbosa sobre o Racismo no Brasil. O brilhante Jurista disse que a "resposta" dele, à questão, Não foi se ater a cotas pela etnia afro-descedente, mas provar que todos podem conquistar seu espaço, ter a profissão que "sonham". Não existe escola com "ensino fraco", existe aluno acomodado em se contentar com o que ensinam. Tomara Deus, que Joaquim Barbosa, em 2018, nos dê a possibilidade de vermos Justiça e Desenvolvimento Social no Brasil, ai através da sua Candidatura a Cargo Eletivo.

Nunes comentou:

Essa repercussão toda sobre esse assunto sendo que na verdade o cara só inventou uma desculpa política intelectual pq queria sair com classe ao vivo pra ir cagar pq já tava quase fazendo nas calças... olha o que a internet faz com uma mentira bem contada!


Adalberto respondeu:

Rindo até 2020.


Veja também

Publicidade