O Planeta TV

Uma trilha totalmente apaixonante...

Mulheres Apaixonadas: Manoel Carlos emplaca, com sucesso, suas trilhas sonoras.

Por: Guilherme Alves

Poucos autores conseguem emplacar com sucesso suas trilhas sonoras. Com Manoel Carlos em “Mulheres Apaixonadas”, foi diferente. Numa tentativa de lutar contra a crescente onda de pirataria que invadiu o Brasil no início do século, a Rede Globo e a Som Livre lançaram as coletâneas nacional e internacional de uma vez só. Deu certo! Foram vendidos um milhão de cópias do CD.

A trilha internacional ofuscou completamente o brilho da nacional.

Porém, uma música entrou para o time das canções mais tocadas em uma novela. “Velha Infância”, composta e interpretada por Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte, foi tema do principal casal romântico da trama: Cláudio (Erik Marmo) e Edwiges (Carolina Dieckmann). A música fazia parte do projeto “Tribalistas”, lançado pelo trio em 2002. Fez tanto sucesso, que abocanhou boa parte dos prêmios brasileiros de músicas naquele ano.


As cantoras Gal Costa, com a música “Amor em Paz” e Nara Leão, com o clássico “Meditação”, eram responsáveis pela climatização da novela, interpretando as canções usadas nas várias panorâmicas pelo bairro carioca do Leblon, assim como a música “Tudo Errado”, composta e interpretada por Caetano Veloso e Jorge Mautner. Os secretos encontros de Sílvia (Natália do Vale) com o taxista Caetano (Paulo Coronato) aconteciam ao som da canção de Vinícius de Moraes, “Onde Anda Você”, aqui interpretada por Cauby Peixoto e Angela Maria. Para embalar os vários casais românticos de “Mulheres Apaixonadas”, a direção convocou uma dupla de peso: Maria Bethânia e Chico Buarque, com a música “Sem Fantasia”. A cantora baiana ainda voltou com mais uma canção, “Preciso Aprender A Ser Só”, tema da protagonista Helena (Christiane Torloni).

As novidades da trilha ficaram por conta da presença de Luisa Possi, iniciando sua carreira musical, cantando “Eu Sou Assim”, sua música de trabalho na época e que serviu como de Marina (Paloma Duarte) e Expedito (Rafael Calomeni). Vale destacar também a inusitada presença de Marília Gabriela e Reynaldo Gianecchini na trilha sonora com a faixa “Você”, tocada frequentemente nos primeiros meses da novela.

A abertura, uma das mais lembradas e comentadas entre os telespectadores, tinha a clássica “Pela luz dos olhos teus”. Composta por Vinícius de Moraes e com a interpretação marcante de Tom Jobim e Miúcha, bastava tocarem os primeiros acordes para todo mundo saber que a novela estava começando.

O CD internacional virou um fenômeno nas rádios brasileiras. Tamanha repercussão abafou as canções nacionais e os personagens de “Mulheres Apaixonadas” acabaram ficando identificados pelos seus temas estrangeiros.  Das dez músicas internacionais mais tocadas no Brasil em 2003, sete eram da trilha de “Mulheres”: “I’m With You”, de Avril Lavigne, era tema do polêmico casal Raquel (Helena Ranaldi) e Fred (Pedro Furtado); “Vivier Sin Aire”, do grupo mexicano Maná, se tornou a marca registrada das apaixonadas Clara (Alinne Moraes) e Rafaela (Paula Picarelli); “Misunderstood”, tema do bom moço Cláudio, foi responsável pela volta do grupo Bon Jovi às paradas brasileiras; o rebelde Rodrigo (Leonardo Miggiorin) andava muito de moto ao som de “Disease” da banda Matchbox Twenty; Robbie Willians e sua música chiclete “Sexed Up” caíram como uma luva para o mulherengo Diogo (Rodrigo Santoro) e o cantor italiano Tiziano Ferro ficou nacionalmente conhecido quando “Imbranato” estourou graças a popular história de Estela (Lavínia Vlazak) e seu Padre Pedro (Nicola Siri). A trilha ainda trazia as divas latinas Jennifer Lopez e Shakira com as músicas “You Belong to me” e “Te Dejo Madrid”, temas do núcleo jovem.

Agora, de todos os volumes lançados, nenhuma música tocou mais que “Don’t Know Why”, da cantora de jazz Norah Jones. Além de lançar a cantora no Brasil e torná-la uma febre, é impossível não ouvir a canção e não se lembrar das cenas de Raquel andando de bicicleta pelas ruas do Leblon. Vale lembrar também a presença de Rod Stewart, figurinha fácil em trilhas sonoras brasileiras, no primeiro CD internacional de “Mulheres”. A canção era “The Way You Look Tonight”, tema do principal triângulo amoroso da história: Téo (Tony Ramos), Helena e César (José Mayer). O cantor voltou no segundo volume com a música “They Can’t Take that Away from Me”, tema de Téo e Laura (Carolina Kasting).

Este segundo álbum foi lançado devido o sucesso de vendas do CD duplo. Dividido entre músicas nacionais e internacionais, o álbum teve como carro chefe a canção “Amor Maior” do grupo Jota Quest, tema do casal Luciana e Diogo. A inédita canção “Mais uma vez” de Renato Russo, cantor falecido em 1996, trouxe mais carga dramática à sofrida relação de Cláudio e Edwiges. A música “Incondicionalmente” da banda Capital Inicial entra na história quando o personagem de Erik Marmo se envolve com Gracinha (Carol Castro). Outro grande destaque nacional foi “Dois Rios”, da banda mineira Skank, como tema do problemático casal Rodrigo e Paulinha (Ana Roberta Gualda).

Entre as canções internacionais, vale destacar a romântica “I’ve Got You Under My Skin” na voz da sensual Diana Krall. A música foi tema de Helena e César na reta final. E os amantes Sílvia e Caetano também ganharam mais um tema. Foi a francesa “La Vien Rose” nas vozes de Tony Bennett e K.D Lang. Além de “Serenata ao Luar”, cantada por Paula Lima, tema do relacionamento turbulento de Dóris (Regiane Alves) e o vilão Marcos (Dan Stulbach).

Inspirado no texto de Rafael Tupinambá.



Comentários (12) Postar Comentário

Mario comentou:

Que novela, que trilha!!!!!!!!!!!!!!!

Jhonatan comentou:

EEEEEEE finalmente falaram do Maneco!!

Pedro comentou:

Gostei muito! Excelente coluna!

Vinicius comentou:

Novela inesquecível,Trilha inesquecível, Tinha que ser o gênio Manoel Carlos!

douglas silveira comentou:

Adorei essa coluna! Tô louco pra ver a de Laços de Familia!

Rafael comentou:

Trilha sonora perfeita linda d +

Rafael comentou:

A melhor rilha sonora de todos os tempos. Da trilha nacional eu gosto muito de Velha Infancia dos Tribalistas e Renato Russo com Mais uma vez. Da internacional eu amo I'm with you da Avril Lavigne.

Renan comentou:

Como você mesmo falou, impossível não escutar Don’t Know Why e não lembrar da Raquel andando pelo Leblon, comecei acompanhar a Norah a partir de Mulheres Apaixonadas, saudades dessa novela. Manoel Carlos já mostrava um leve desgaste, mas nada que tire a maestria de Mulheres Apaixonadas. Infelizmente hoje Manoel decaiu em seus trabalhos, acredito que parte disso se deve a direção meia boca do Jayme, Ricardo sabia fazer um trabalho incrível com Maneco, é só comparar Por Amor com Viver a Vida.

leo comentou:

Jayme não combina com maneco

Veja também