O Planeta TV

Liberdade, Liberdade: Autor define a protagonistas como "uma força da natureza"

A novela das onze conta a história fictícia da filha de Tiradentes.

por Redação, em 11/04/2016

Mario Teixeira. Foto: Divulgação/Globo

Ao ligar a TV para assistir à "Liberdade, Liberdade", a partir desta segunda, dia 11/4,  jamais espere ver um tradicional folhetim de época com uma encantadora heroína.  A protagonista que estará diante de todos é “uma força da natureza”, como define o seu autor, Mario Teixeira.

A Joaquina (Mel Maia/Andreia Horta) de Mário é uma mulher indômita, libertária, incendiária e muito à frente de seu tempo. Uma mulher que choca, que age como homem na sociedade machista do século XIX, que luta, que atira e que entra em atrito com a ordem estabelecida. Esta será a Joaquina que todos vão conhecer. “Ela lê livros iluministas em uma época em que as mulheres mal sabiam ler e escrever. A mulher vivia confinada, como uma rosa de estufa. E ela é tudo menos isso, ela é uma grande força”, define o autor.

Conheça Joaquina

Andrea Horta é a protagonista da novela. Foto: Divulgação/Globo

A história ficcional de "Liberdade, Liberdade" nasceu a partir dos poucos registros históricos que se tem sobre a Joaquina real.  Sim, a filha de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes (Thiago Lacerda), e de Antônia Maria do Espírito Santo (Letícia Sabatella) realmente existiu. No entanto, pouco se sabe sobre ela. “Ninguém sabe mais nada dela a partir de um determinado momento. Por ser filha de um traidor, provavelmente, ela mudou de nome, se casou, adotou o nome do marido. Não se sabe ao certo o que aconteceu. Joaquina é uma grande incógnita, e a gente tenta elucidar na ficção”.

A partir deste desconhecimento histórico, Mario criou uma mulher marcante e que já se tornou sua heroína. “Eu tenho uma grande admiração pela figura de Joaquina, a que inventei, a Joaquina que foi criada a partir da nossa história”, diz ele. No entanto, ela não é única. O autor enxerga a sua protagonista em muitas personagens modernas da vida real: “Acho que toda mulher hoje em dia é um pouco Joaquina. E não só porque algumas delas queimaram sutiãs em praça pública, mas simplesmente porque elas não precisaram provar nada. Elas simplesmente fizeram e se tornaram grandes justamente por isso”.

Prestes a ver a sua nova heroína em cena, Mario não esconde o nervosismo: “Ansioso a gente sempre fica porque nunca se sabe que ‘ovo vai sair de dentro da galinha’ ”. Mas uma coisa ele garante: “A novela  vai falar de liberdade, vai falar de história e vai tratar esta história com a mais absoluta liberdade”.

"Liberdade, Liberdade" é uma novela de Mario Teixeira baseada em argumento de Marcia Prates, livremente inspirada no livro ‘Joaquina, Filha do Tiradentes’, de Maria José de Queiroz. A direção artística é de Vinicius Coimbra


Publicidade

Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também

Publicidade