O Planeta TV

Fantástico: Maestro João Carlos Martins se despede da carreira de pianista

E ainda tem o segundo episódio da série “Vida Animal: Segunda Chance”.

por Redação, em 16/02/2019

Foto: TV Globo/ Felipe Martini

Depois de uma longa batalha contra um grave problema nas mãos, o maestro João Carlos Martins, um dos maiores músicos brasileiros, anuncia sua despedida da carreira de pianista. A última apresentação com o instrumento é no palco do ‘Fantástico’, neste domingo, dia 17. Antes de se submeter a uma cirurgia para acabar de vez com as dores que o acompanham há tantos anos, o maestro toca “Eu sei que vou te amar”, que será interpretada pela cantora Anitta. Em entrevista à apresentadora Poliana Abritta, João Carlos Martins fala sobre as 23 cirurgias que enfrentou ao longo da vida, a parceria com 187 orquestras, e recorda o dia mais emocionante de sua vida.

No segundo episódio da série “Vida Animal – Segunda Chance”, a repórter Giuliana Girardi esclarece que machucar ou não alimentar um animal é crime de maus tratos, com pena de três meses a um ano de cadeia e multa. Presidente de uma instituição que já resgatou mais de 15 mil animais abandonados, Cláudia Demarchi conta que o “Clube dos Vira-Latas” sobrevive de doações, mas oferece centro cirúrgico e até enfermaria com UTI. 

Também neste domingo, uma matéria especial lembra os seis anos do incêndio na Boate Kiss, que provocou a morte de 242 jovens, em Santa Maria (RS). Dois pais de vítimas da tragédia trabalham como motoristas nas madrugadas com o objetivo de levar jovens das baladas para casa, e chamar a atenção para a insegurança das casas noturnas. 

O ‘Fantástico’ vai ao ar na noite de domingo, dia 17, depois do ‘Domingão do Faustão’.



Publicidade

Comentários (1) Postar Comentário

Victor Guimaraes comentou:

Que lástima ter que terminar uma brilhante carreira de pianista tendo que tocar Eu sei que vou te amar para a "cantora" anitta cantar. Onde está a Marisa Monte ou a Ana Carolina numa hora dessas? O Fantástico está se tornando um palco para musicais popularescos, sem nenhum apreço para a qualidade musical e sonora de quem canta. É claro que há excessões, mas o destaque que eles dão é pra pseudos cantores com seus péssimos repertórios, como Wesley Safadão, que nada tem a acrescentar a música popular brasileira de qualidade. Será que vale tudo por dinheiro e audiência?

Veja também

Publicidade