O Planeta TV

Vilã em A Força do Querer, Débora Falabella comenta volta às novelas

Atriz está longe do gênero desde Avenida Brasil.

por Redação, em 23/03/2017

Atriz caracterizada pra A Força do Querer. Foto: Globo

Após protagonizar Avenida Brasil (2012), mais recente fenômeno da dramaturgia da Globo, Débora Falabella ficou quase dois anos longe da TV, para depois se dedicar às séries Dupla Identidade (2014) e Nada Será Como Antes (2016). De volta às novelas em A Força do Querer, a atriz garante que a distância do gênero não foi proposital: “Novela é uma saga, você se prepara para ficar um ano naquilo se entregando. E foi bom dar um tempo porque eu havia feito a Nina numa novela muito marcante”.

Além do retorno ao horário nobre, Débora também volta a estrelar uma novela de Glória Perez 15 anos depois de outro fenômeno de audiência e repercussão: O Clone (2001/2002). E a autora preparou mais um tipo inédito na carreira da atriz, assim como foram a dependente química Mel e a portadora do Transtorno Boderline Ray. “Ela (Irene) é sedutora e vai atrás do seu objetivo usando artifícios que a gente não usaria na vida. Ela precisa que aquela pessoa se apaixone por ela e arma para isso, não importando se ela é casada ou não”, disse Débora, em entrevista ao jornal Extra.

A Força do Querer estreia no próximo dia 3.



Publicidade

Comentários (6) Postar Comentário

Marcus comentou:

Débora até é boa atriz, mas está escalada nessa vilã coadjuvante porque vive recusando papéis. Recusou ser Dona Benta no sítio, recusou o papel de mãe do Candinho em Eta mundo Bom, recusou ser Raj em caminho da Índias, recusou ser Mãe Lucinda em Avenida Brasil, ficou com Nina, uma personagem até com certa importância na trama, mas era ofuscada por Carminha, Cadinho e a secretária bilíngue de funcionário de Cadinho.

JP comentou:

Ainda não estou sentindo firmeza nas histórias apresentadas por esta novela (espero estar errado), mas que a Débora Falabella traga a audiência de "O Clone" e a história de "Avenida Brasil".
Precisamos ter uma válvula de escape (uma novela no caso) boa para a situação do Brasil!


Fred respondeu:

Historia de avenida brasil? Esse endeusamento com essa novela as vezes cansa, e ela é glória perez nao jec!


Eugênio Marsal comentou:

" A Força do Querer" ... Pelas chamadas está parecendo uma novela com tramas episódica. Tem a história da Isis. Tem a história da Juliana Paes. Tem a história da Paola. Tem a história da Lilian Cabral e tem a história da Maria Fernanda Candido. Enfim, vários núcleos principais. A pergunta: esses núcleos vão se cruzar? A trama terá um fio condutor consistente? Qual é a trama central da novela? Espero que não seja mais um amontoado de personagens e uma trama picotada.

Gilson comentou:

Acho legal a Debora Falabella fazer laboratório com outras atrizes que já interpretaram personagens idênticos ao que ela vai fazer, em novelas da propria Gloria Perez. Dá uma ligada pra Leticia Sabatella e pede algumas sugestões. E não se esqueça da Cristiana Oliveira, que também fazia de tudo pra roubar o homem casado (Marcos Frota na época) na mesma "O Clone".

Thiago São Tomé comentou:

A receita do sucesso, se tratando de novelas, ninguém sabe com exatidão. Porém, o caminho para o sucesso, talvez, não seja muito difícil perceber: trama central forte, bem construída e delineada, e que seja clara para o público desde o início da história; claro que jogar com o público nos primeiros capítulos é interessante, todavia deixar as dúvidas perdurarem por longo tempo não é saudável para o bom andamento da novela. Pode-se investir em personagens complexos? Óbvio, eles contribuem bastante para a jornada ser interessante, porém, a trama deve ser clara. E os núcleos secundários? Estes devem estar ligados de alguma maneira à trama central. É fácil fazer isso? Claro que não! Mas é possível, e acredito que os autores da Globo têm potencial para tirar as novelas deste marasmo em que se encontram.

joana comentou:

É o que a Gloria sabe fazer Eugenio por isso nao curto historias dela destaco so barriga de aluguel e o clone.

Veja também

Publicidade