O Planeta TV

Os cenários da próxima novela das sete da Globo

Gravações passam pelo Rio, Petrópolis e Foz do Iguaçu.

por Redação, em 28/04/2017

Foto: Divulgação/Globo

As gravações da próxima novela das sete tiveram início em março e já passaram pelos bairros cariocas de Copacabana e Tijuca; pela cidade serrana de Petrópolis, também no Rio de Janeiro; e por Foz do Iguaçu, no Paraná. “Gosto das novelas com viagens, recarregam as nossas energias, principalmente quando passam por locais com a natureza exuberante, caso de Foz do Iguaçu e Petrópolis. Foram duas viagens ótimas, que deixaram a equipe ainda mais entrosada e renderam imagens belíssimas”, conta o protagonista Mateus Solano. Além de Solano, Camila Queiroz, Mariana Santos, Jaffar Bambirra, Valentina Herszage, Danton Mello, Dani Barros e Leandra Caetano viajaram para o Sul, onde se passam cenas do primeiro capítulo e onde o casal protagonista Eric Ribeiro (Mateus Solano) e Luiza Guimarães (Camila Queiroz) se conhece e começa o romance. É lá também que Bebeth (Valentina Herszage), filha de Eric, e Márcio (Jaffar Bambirra), filho do casal Borges (Danton Mello) e Tereza (Dani Barros) se encontram e se encantam um pelo outro.

No Rio, as gravações do folhetim de Claudia Souto movimentaram a praia de Copacabana e ruas tradicionais do bairro, como Siqueira Campos e Figueiredo de Magalhães. Na Zona Norte, as praças Saens Peña e Xavier de Brito, na Tijuca, foram as locações escolhidas, além da Rodoviária Novo Rio, no Centro. “As gravações externas são mais complexas, mas acabam aproximando mais o público da novela, dão mais veracidade à trama”, observa o diretor artístico Luiz Henrique Rios. 

Em Copacabana fica o Carioca Palace Hotel, o cinco estrelas comandado por Pedrinho Guimarães (Marcos Caruso), avô de Luiza. No mesmo bairro, está a delegacia de polícia cujos inspetores vão investigar o roubo ao hotel. Na Tijuca, em uma vila, mora boa parte dos funcionários do Carioca Palace, e uma família dona de uma companhia de teatro de bonecos. Com tanta diversidade, a preparação do elenco foi intensa, explorando todas as peculiaridades destes universos. Intérpretes do garçom Julio e do mordomo Nelito, Thiago Martins e Rodrigo Fagundes, respectivamente, fizeram um intensivo num restaurante. Rodrigo ainda passou por aulas de etiqueta. “Sempre fui muito observador e agora, vendo os detalhes, percebi como o universo dos garçons é rico. A atitude, a postura, o amor pela profissão... é o que eu quero passar para o público”, diz Thiago Martins. “Fiquei fascinado com as aulas de etiqueta e levo os ensinamentos para a vida. As aulas foram com o Marcos Caruso e nos divertimos muito”, completa Rodrigo Fagundes. Também no universo do hotel, Nanda Costa, intérprete da camareira Sandra Helena, aprendeu técnicas profissionais de arrumação de camas. “Fizemos vivências em hotéis de luxo e aprendi a arrumar a cama de forma que o lençol fique impecável. Aprendi tão bem que estou aplicando em casa”, brinca ela.

Foto: Divulgação/Globo

Para interpretar o escorregadio Malagueta, concierge do hotel e um “ás” nos dardos, Marcelo Serrado tratou de aprimorar a pontaria. O gosto pelo esporte vem de muito tempo, desde o período em que morou em Londres. “Eu joguei muito nos pubs londrinos e adquiri uma certa habilidade, mas nada comparado à precisão do Malagueta”, diz Serrado, que tratou de comprar o material para treinar no dia a dia. “O dardo é fundamental na construção do meu personagem, ele é matemático nas suas atitudes, busca a precisão, por isso o treino é tão importante”, complementa o intérprete do vilão.

Do dardo para o teatro de bonecos. A trupe dos Borges, da fictícia companhia Serrote, mergulhou fundo no cotidiano dos bonequeiros e já se apaixonou pela arte ancestral, oriunda do Oriente. Chefe da companhia, Borges tem enchido o ator Danton Mello, seu intérprete, de satisfação. E ele não é tão novato na prática. “Há dez anos, eu fiz manipulação de bonecos e foi uma experiência incrível, que me enriqueceu como ator. A coordenação é complicada, exige técnica, mas, aos poucos, vou me aprimorando”, diz ele, que levou para casa o Imperador, boneco que terá uma participação rica na trama das sete: “Estou com o Imperador para criar uma intimidade. É o boneco preferido do Borges”. Danton também fez preparação de marcenaria: “Sou um curioso com relação à marcenaria e, nas aulas, procuro me ater à manipulação das ferramentas. Acho bárbaro como os profissionais constroem peças tão lindas com madeira”.

Danton Mello. Foto: Divulgação/Globo

Com estreia prevista para junho, a próxima novela das sete tem autoria de Claudia Souto e direção artística de Luiz Henrique Rios.



Publicidade

Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também

Publicidade