O Planeta TV

Bruno Ferrari comenta o trabalho em "Salve-se Quem Puder"

A novela da Globo vai ao ar de segunda a sábado, a partir das 19h.

por Redação, em 20/04/2021

Bruno Ferrari. Foto: Reprodução/Globo

Rafael (Bruno Ferrari) resolve ‘embarcar’ na loucura de Alexia/Josimara (Deborah Secco) e topa participar de um encontro ‘espiritual’ com Kyra (Vitória Strada) em ‘Salve-se Quem Puder’. A condição para o encontro é que o empresário permaneça o tempo todo com os olhos vendados dentro da sua sala na Labrador. Após preparar o ambiente com direito até a bola de cristal, Alexia/Josimara ‘recebe’ o espírito de Kyra, que assume o lugar da amiga na sala. Muito emocionada, a decoradora usa uma peruca de cabelos longos e se aproxima do noivo. Kyra e Rafael se tocam e se beijam ao som de ‘Unchained Melody’ numa alusão à clássica cena do filme ‘Ghost’.

Antes de ficar frente a frente com Rafael, Kyra quase é descoberta por Renatinha (Juliana Alves), que está disposta a tudo para desmascarar os supostos dotes mediúnicos de Josimara. A secretária finge que foi embora após o expediente, mas reaparece para ser testemunha do ritual. Alexia/Josimara se desespera ainda mais porque Kyra está escondida na empresa a espera de seu chamado para entrar na sala do empresário.

Para afastar qualquer possibilidade de problema, Kyra e Alexia tomam uma atitude ousada: desligam a luz do prédio e deixam Renatinha presa no elevador. Desesperada, a vilã tenta pedir socorro, mas não consegue ser acudida. Kyra, então, aproveita para dar uma lição na secretária e ‘assombra’ a rival, que entra em pânico ao ouvir a voz da decoradora.

A sequência vai ao ar no sábado, dia 24. ‘Salve-se Quem Puder’ é criada e escrita por Daniel Ortiz com direção artística de Fred Mayrink e direção geral de Marcelo Travesso.

Entrevista com Bruno Ferrari

O que você sentiu quando foi convocado para voltar a gravar Salve-se Quem Puder? E como foi voltar ao trabalho depois de tantos meses?

Tivemos diversas reuniões com a produção, onde todos participaram, inclusive com a orientação de um médico para tirar nossas dúvidas. Levamos alguns dias para nos adaptarmos àquela nova realidade. Ficamos mais confiantes e o trabalho rendeu mais do que o esperado.

Você encontrou algum tipo de dificuldade para voltar a interpretar o Rafael?

Não, depois de três ou quatro dias já me sentia mais à vontade. Confesso que durante o isolamento minha preocupação e atenção estavam voltados para o bem-estar da minha família e com tudo que estava acontecendo na saúde do nosso país. Tive que separar as coisas, um dia de cada vez, cada problema no seu tempo, para voltar a me concentrar nas gravações e no trabalho.

Como foi contracenar com a distância necessária e/ou utilizando com algum equipamento para manter o elenco separado? Sentiu alguma estranheza?

Somos latinos, gesticulamos, e nos abraçamos muito. É algo natural para a gente. Tive uma certa dificuldade em relação a isso. Não só em cena, mas na vida também. Até hoje, né? Em função do distanciamento social ainda precisamos seguir adotando essas medidas. Vivi a experiência de beijar o acrílico (risos), mas também ficamos em quarentena num hotel para que pudéssemos fazer as outras cenas de beijo.

Como você descreveria a trajetória do Rafael na história? Acredita que ele foi um dos pioneiros na ficção em se cuidar na prevenção de vírus e bactérias?

Rafael virou ‘meme’, né? Muitas pessoas me mandaram mensagens dizendo que o Daniel (Ortiz, autor) era vidente. Ao voltar a gravar nos Estúdios Globo durante a pandemia eu me senti muito mais à vontade em cena. Até mesmo porque agora Rafael não era um solitário no quesito prevenção a bactérias. Era só eu olhar ao redor, para a equipe de produção, e todos estavam iguais: com máscaras, luvas, álcool em gel... Foi inusitado. O personagem me ensinou todos os cuidados necessários para o que estamos vivendo nesta pandemia. Quando o Coronavirus chegou, eu já estava um passo à frente de todos. (risos)

Qual você considera a cena mais marcante do Rafael na novela?

Ah, sem dúvida o primeiro “reencontro espiritual” entre Rafael e Kyra. Adorei gravar essa cena, que foi inspirada naquela sequência clássica do Patrick Swayze e Demi Moore no filme ‘Ghost’. O Fred (Mayrink, diretor artístico) nos deu toda a liberdade, tempo e calma...para sentirmos o que realmente a cena pedia. Tenho um carinho especial por ela e estou feliz por revê-la esta semana (vai ao ar neste sábado, dia 24). Foi um trabalho especial, independentemente de todas as adversidades que vivemos ainda hoje.

Há uma torcida grande e dividida nas redes sociais pelo casal #Kyrael Rafael e Kyra. Você também sente isso?

Sim, muito. Rafael é louco por ela. Já ouvi pessoas que dizem: ‘como ele acreditou naquele encontro espiritual e nas invenções da Alexia?’ Quando você está apaixonado ou sofre alguma perda trágica, no caso o Rafael, ele viveu essas duas situações, você quer acreditar em qualquer coisa que dê um alívio a sua dor. Por mais absurda que seja a história criada pela Alexia/Josimara, Rafael tenta se apegar a isso para continuar ‘sentindo’ a presença da noiva. Então, óbvio que eu torço para esse casal. Rafael merece, mas teremos que aguardar até o final da novela para saber o que o autor decidiu.

Qual o balanço que você faz deste trabalho?

Fomos muito felizes durante todo o processo. Fizemos uma novela leve, gostosa, sem pretensões, com o simples intuito de alegrar as pessoas e acho que conseguimos. Ainda conquistamos um público infanto-juvenil, o que me deixou bem alegre também. Finalizar esse trabalho em tempos de pandemia foi uma conquista enorme para todos nós.

Com informações da Comunicação Globo


Publicidade

Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!
Publicidade

Veja também

Publicidade