O Planeta TV

Superstar 3x02/03 – Audições, Parte 2/3

O velho Superstar está de volta!

por Daniel Melo - Contato: [email protected], em 27/04/2016

Foto: Divulgação/Globo

Depois de uma decepcionante estreia, o melhor reality musical do Brasil voltou à sua antiga forma, nos trazendo grupos de qualidade, e a premissa de mais uma excelente temporada. As duas últimas semanas foram tão boas que até Daniela Mercury rendeu, e dessa vez não só no Twitter em forma de memes, o que não negar, adoro... Mas o melhor de tudo, voltamos a ver aquele programa que era capaz de nos fazer ver 1 hora e meia e ainda achar que valeu a pena no final. Ainda mais considerando 3 grupos em específico.

No mais, estou adorando o fim do apadrinhamento, que na pratica não servia para absolutamente nada e percebe-se que as performances parecem ter ficado maior com esse tempo, assim como os jurados tem mais tempo para dar seus feedbacks. Obrigado, produção, vocês são demais. Mas como temos duas semanas de programa para recapitular, vamos a elas, porque temos MUITA coisa boa pra ver.

15) Izzy Gordon - Você/Let’s get Started (Tim Maia/Black Eyed Peas)

Há quem diga que experiência musical pode ser traduzida na presença de palco de um artista ou na precisão vocal ao longo de uma apresentação. Porém nenhum desses dois aspectos puderam ser vistos em Izzy Gordon, o que me deixou morrendo de pena porque eu REALMENTE queria torcer por eles. A introdução da música do Black Eyed Peas soou extremamente desnecessária e só fez deixar ainda mais fraca uma performance que já não estava empolgando. Foi o meu primeiro ‘não’ fácil da noite.

Obs: Tendo em vista a evidente empolgação de Daniela e o bom feedback de Sandy com o grupo, prefiro acreditar que absolutamente não entendi toda a veia artística do grupo, mas algo me diz que não. Esperemos. 

14) Troia – Você Mudou (Cristiano Araújo)

Foto: Reprodução/Globo

Quem acompanha meu trabalho por aqui sabe que eu olho torto para cantores sertanejos genéricos que ganham gratuitamente a simpatia do público. E com a minha sorte, tivemos não apenas um, mas 3 cantores sertanejos genéricos nesse quarteto, que foi salvo pelo pequeno (que não sei o nome), descaradamente o melhor dos 4. Até porque até o pequeno abrir a boca, a performance estava sem sal a um ponto de impressionar. Vou profetizar: Serão arrastados até onde não merecem.

Detalhe: Daniela foi maravilhosa dizendo pra aqueles 4 pararem de tentar rosnar quando nenhum deles tem capacidade pra isso. Por mais dessa Daniela no programa. 

13) Rockscola – Inútil (Ultraje a rigor)

E vamos de Superstar Kids mais uma vez e sinceramente, meu problema com essa audição passou longe da idade deles. Foi bem feita sim, mas me junto a Daniela nesse “não”. Achei que no geral foi uma audição que não mexeu comigo e pela primeira vez desde o ano passado, discordei de Sandy e Paulo Ricardo ao mesmo tempo. “Inútil” é um hino do rock brasileiro e sou capaz de assumir que talvez minhas grandes expectativas frustradas sejam o motivo de eles estarem tão baixo aqui, mas não senti nada e se senti, tenho certeza que veio do legado da música e não necessariamente deles. Porém, Paulo Ricardo já me provou errado ano passado, vamos ver se um raio cai duas vezes no mesmo lugar!

12) Bella Xu – Incondicional (Autoral)

O pop/rock foi um estilo explorado até a exaustão temporada passada e por isso, estou adorando que esse ano ele está aparecendo em doses homeopáticas. Mas sinceramente, Bella Xu não é o melhor grupo para representar o estilo. Faltou além de projeção vocal, uma maior definição melódica, achei que tudo soou “experimental”, no sentido de “ainda não sabemos quem somos”, o que perfeitamente cabível para um grupo dizer, mas o próprio formato do programa exige uma definição artística maior, coisa que não vi em Bella Xu. Esperarei pelo Superpasse para falar mais deles. Mas na mesma proporção em que não gostei totalmente, não desgostei totalmente também.

11) 2 Reis – Repartir (Autoral)

Por mais bem escrita que a música seja, é impressão minha ou ele ficou a performance toda fora do tom certo? Porque nunca existiu necessariamente um momento em que a melodia casasse 100% com a voz dele. E apesar de achar a música bem escrita, melodicamente, achei bem genérica. E não estou cobrando aqui acrobacias vocais, mas sim de emoção e a capacidade de envolver o público, que foram respectivamente próxima de zero e zero. Foi a maior decepção da semana, sem dúvida.

10) Mato Seco – Pedras Pesadas (Autoral)

Nesse mesmo texto eu usarei a palavra peculiar para descrever um outro grupo, mas na verdade, é quando olhamos para Mato Seco que estamos verdadeiramente diante de um grupo peculiar. É uma letra forte sim, com um arranjo feito sob medida para evidenciar essa força, mas que por ser demasiadamente repetitivo (e dessa vez, eu escrevi antes da Sandy falar, #ChupaSandy), não consegue me prender. Mas foi o comentário de Daniela que me fez dar uma chance ao grupo: “Há muito tempo que não vejo uma banda de reggae com tanta personalidade, com tanto swing”. Seria muito hipócrita de mim não reconhecer a originalidade do grupo, o que o faço, mas apenas não me toca. Espero um dia conseguir ser tocado pela musicalidade pelo grupo.  (Mas não adianta fazer o Versalle e só me ganhar na final, viu...)

9) Kanoa – Cê Que Sabe (Cristiano Araújo)

Foto: Reprodução/Globo

OLHA EEEEEEELE DE VOLTA. Danilo Dyba, aquela zebra que chegou na final da 1ª temporada do The Voice Brasil sem nunca ter sido aprovado pelo público no Team Daniel eliminando Pedro Eduardo, Carol Marques e Junior Meirelles. E algo me diz, que aqui vai deixar muita gente boa para trás também. Aqui não tivemos nada diferente do que ele fez no The Voice em 2012. Por isso, Sandy foi classudíssima dizendo que é um gênero saturadíssimo no mercado e que por isso, eles precisam se diferenciar. E fez eco ao que eu pensava também ao dizer, implicitamente claro, que Danilo canta bem, mas não empolga, afinal uma rainha é uma rainha. Mais impressionante que isso foi o fato de Paulo Ricardo desdenhar dos melismas que amo tanto me chamar mais a atenção que o grupo em si. Que coisa, não? #ImpeachmeatNoPR

Obs: Tudo culpa da Daniela, que dessa vez inventou de deslizar o botão pro lado certo. Um clássico erro dentro de um acerto...

8) Playmobile – Linda Rosa (Maria Gadú)

Interessantíssimo ver que de tanta gente, Maria Gadú foi quem resolveu dar uma chance a “Linda Rosa”, uma música que fez muito sucesso de uma maneira completamente diferente do que foi apresentado aqui. Isso só mostra o quão versátil as músicas desse grupo são, o quão maleável, no sentido de diversa, a identidade musical deles é. Podem não necessariamente serem um dos destaques da temporada, mas Playmobile com certeza é um daqueles nomes em que eu ficarei de olho.

7) Pagan John - Sina (Djavan)

A banda tem uma pegada que me lembrou o country tradicional americano e faz um certo frescor musical, já que esse não é um ritmo tão ouvido (leia-se saturado) aqui no Brasil. Com isso dito, apesar de aplaudir a inovação, digo que o resultado final não foi do meu total agrado, senti uma certa estranheza no arranjo. Porém, o fato de eu não ser capaz de tecer uma crítica negativa objetiva ao grupo, mostra que não falta competência a eles e podem muito bem me ganhar mais a frente. Adorei que Paulo Ricardo nos lembrou do Suricato e mais a frente, Sandy me fez entender que a originalidade é o que mais importa em estilos tão peculiares e acabei essa audição tendo grandes esperanças para o grupo. Ficarei de olho.

6) Geórgia – Valerie/Réu Confesso (Amy Winehouse/Tim Maia)

Como não amar uma performance com um começo acapella? Como? Não foi a melhor performance vocal da noite, mas foi uma das que mais empolgaram com certeza. Existe um certo nível de chatice em performances vocalmente perfeitas e é saber se apropriar dessas imperfeições, tornando-as forças, que realmente faz um artista e isso, Georgia faz como nenhum outro grupo. Há alguns excessos e vícios ali, mas que podem ser facilmente corrigidos facilmente, porque eu me recuso a ver Georgia saindo antes de qualquer um dos nomes acima nessa lista. Ainda mais porque em um ano em que o trabalho original vem ficando em segundo plano, esse grupo claramente se destaca.

5) OutroEu  - Coisa de Casa (Autoral)

Foto: Reprodução/Globo

PAH. Temos a mais nova Supercombo da temporada. Aquele grupo que não me ganha necessariamente, mas ganha todo o resto do Brasil e me fazem me questionar o tempo todo. Achei que o equilíbrio entre pop e folk foi mais bem feito aqui do que Pagan John fez, por exemplo. Apesar disso, achei que a unidimensionalidade do grupo me afastou daqui. Mas como dou para todos os ruins até mesmo uma chance de bola fora, não vai ser a alguém tão potencialmente incrível que irei negar. Venham com tudo, OutroEu. 

4) Bellamore – Come Together (The Beatles)

Não vou mentir, quando vi qual música o grupo cantaria, já não esperava muita coisa, justamente por já ter visto muita coisa meia boca com essa música e a relativa freqüência com que vejo essa música em realities. Mas na verdade o que vi ali foi uma banda muito segura da sua identidade e que é capaz de impressionar sem muito esforço. Apesar de não achar uma performance vocal inacreditável, foi marcante o suficiente para me fazer lembrar deles ao final do episódio. Quero ver mais dessa lado eletrônico do grupo, que pode vir a se mostrar mais interessante que o lado roqueiro. Mas foi uma excelente maneira de encerrar a semana.

3) A Quebrada – Preta (Autoral)

Pelo visto esse ano vai ser o ano da Black music no Superstar, não é? E sinceramente, se pudermos contar a temporada toda com o swing, a qualidade musical e a envolvente presença de palco de “A Quebrada”, não me importarei nem um pouco. Curiosamente, adorei que não houve em momento algum uma explosão vocal, porque de alguma maneira, deixou tudo mais verdadeiro, mais genuíno, mas artístico e menos mostra de poderio vocal, o que me aproximou muito mais deles e fez um dos meus grupos favoritos da temporada até agora. É o primeiro grupo da temporada que entra para o meu seleto grupo de favoritos. E faço coro à Sandy e Daniela: Eles estão muito prontos.

2) Negra Cor – Nossa Gente/Wiggle/Que Bloco é Esse (Olodum/Jason Derulo/Ilê Ayê)

Vou ser muito sincero e se você é menor de 18 anos, essa é a sua chance de não ter que ouvir coisas que o horário não permite. Assistindo essa audição, tive um orgasmo musical. Até agora estou besta do quão adorei a Negra Cor. Daniela disse tudo: essa mistura de samba reggae e soul é matadora, mas vou ainda mais longe e dizer que o que mais me chamou a atenção no grupo foi sem dúvida o reinvenção e a surpresa, muito mais que qualquer vocal perfeito ou qualquer musica autoral bem escrita. Quem, ao assistir essa audição continuou sentado no sofá tem sérios problemas. Foi impossível para mim não se deixar levar pela música assim que começou e esse é o sinal de um grupo prazeroso de acompanhar. Só não ficaram em primeiro por motivos que todos já sabemos, mas em duas semanas tão boas, um segundo lugar não é nada vergonhoso.

1) Plutão Já Foi Planeta – Viagem Perdida (Autoral)

Foto: Reprodução/Globo

Há aproximadamente 1 ano atrás, Scalene fez sua audição no palco do planeta e eu disse que eles seriam o melhor grupo da temporada. Não ganharam, mas foram o melhor grupo da história do programa até então. Então, peguem tudo que disse sobre Scalene ano passado e coloquem aqui, porque Plutão Já Foi Planeta foi a melhor audição da temporada e não a vejo sendo superada por nenhum dos grupos até então aprovados. Meus favoritos disparadamente até então. E não que eu queira comparar, porque não vejo ninguém que minimamente me lembre deles, mas a vibe Pato Fu impregnou minha mente de uma maneira absurda, ainda que PJFP ainda mais peculiar. Paulo Ricardo citando Supercombo, Scalene foi a prova maior disso. E com 90% dos votos, estarei eu diante do primeiro grupo para o qual eu torço que vencerá? #EuAcredito. Pra variar, Sandy, foi maravilhosa em roubar meus pensamentos. “Eu não estou acostumada a ver algo tão bom aqui no mainstream” disse a rainha dessa bancada, mostrando a superioridade do grupo sobre os demais. Tivemos aqui o melhor trabalho autoral da temporada, a melhor música da temporada e o melhor grupo da temporada até então. Quero muito na final desde já.

Então, é isso pessoal, espero que tenham se empolgado tanto quanto eu com PJFP e Negra Cor, que junto com A Quebrada já são meus favoritos essa temporada

Obs: Peço mil perdões pelo atraso da coluna essas duas semanas, mas isso não irá mais se repetir! Até semana que vem, pessoal!





Comentários (1) Postar Comentário

Alex comentou:

"Apresentação da NOITE"

Veja também