O Planeta TV

Duda Nagle comemora boa fase na televisão

por jeferson, em 26/08/2007

Duda Nagle comemora boa fase na televisão

Duda Nagle ainda está engatinhando na profissão de ator, mas a vocação para artista vem de pequeno. “Quando eu tinha uns três, quatro anos, achava que eu era o He-Man. Me vestia como ele e só saía de casa com a minha espada. Sempre gostei de brincar de fazer personagens”, diverte-se o Ariel de ‘Sete Pecados’.

Namorado da atriz Priscila Fantin — a Beatriz da novela das sete, irmã do personagem de Duda —, o ator é discreto em relação à amada e não acredita no discurso romântico. “Esse conceito de romantismo está muito deturpado. O importante é ser espontâneo e saber estar ali. Eu e Priscila nos divertimos muito e gosto de trabalhar com ela”, resume ele, que começou a namorar no início das gravações, em junho.

Se na TV Duda vive um playboyzinho, que bomba na noite paulistana, na vida real o ator prefere rotina mais tranqüila. “Gosto de estar com os amigos, jogar futebol, assistir a filmes. Sou mais de sol, praia, natureza. Mas, de vez em quando, não abro mão de cervejinha e chocolate”, assume o ator, que nos próximos capítulos sofrerá a pressão da namorada, Eliete (Marisol Ribeiro), para conseguir emprego.

Em sua quarta novela na Globo (fez ‘Agora É Que São Elas’, ‘América’ e ‘Páginas da Vida’), Duda colhe o reconhecimento do público nas ruas e se diverte com as cantadas. “É engraçado quando as garotinhas ficam cheias de vergonha e as mães chegam animadas”, conta ele, que já fez cenas românticas com Cláudia Raia, a vilã Ágatha, e jura não ter ficado constrangido. “É muito doido porque desde quando me entendo por gente vejo a Cláudia na TV. Ela freqüentava o salão de beleza aonde minha mãe ia e me arrastava para ir junto”.

Sinceridade com a mãe, Leda Nagle

Vizinhos de porta, Duda e sua mãe, a jornalista Leda Nagle — apresentadora do ‘Sem Censura’, da TVE —, têm relação de cumplicidade e troca. “A gente sempre se meteu muito na vida do outro, mas com muito respeito”, garante Leda, antes de contar histórias do filho. “Quando ele tinha uns 4 anos, fui a uma loja comprar um vestido para mim e o levei junto. Saí da cabine com um longo lindo. Ele olhou, começou a chorar e gritar: ‘Tira, mamãe, tira’”, ri.

Até hoje, conta Leda, Duda não pensa duas vezes antes de expor sua opinião. “Eu disse a ele que estava pensando em colocar botox. Na hora, ele disparou: ‘Deixa de ser ridícula! Vai ficar parecendo a Cruela dos ‘101 Dálmatas’”, conta Leda. Duda devolve o carinho. “Tenho uma relação muito boa com a minha mãe, a gente conversa sobre tudo. Ouvir é sempre bom — até para poder ignorar —, mas claro que a opinião dela tem peso para mim”, completa Duda.

Fonte: O Dia





Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também