O Planeta TV

Senhora do Destino: As curiosidades de um fenômeno

Trocas na direção e no elenco, cronologia duvidosa e prêmios.

por Redação, em 19/03/2017

Quando foi ao ar originalmente, entre 2004 e 2005, Senhora do Destino passou a figurar numa categoria especial da história da teledramaturgia no Brasil. Junto de novelas como Selva de Pedra (1972) e Roque Santeiro (1985), a trama escrita por Aguinaldo Silva é considerada um fenômeno de repercussão, além da audiência recorde.

Em sua segunda exibição no Vale a Pena Ver de Novo, a novela faz sucesso antes mesmo da entrada dos atores que tornaram inesquecíveis personagens como Maria do Carmo, Nazaré e Giovanni Improtta.

OPTV separou curiosidades sobre Senhora do Destino - algumas delas reveladas pelo próprio autor.

Direção

Luiz Fernando Carvalho era a primeira opção da Globo para dirigir Senhora do Destino, mas não se interessou pelo projeto. Jayme Monjardim foi cotado em seguida, mas já estava comprometido com Glória Perez para a sucessora no horário, América (2005). Wolf Maya assumiu a direção, em sua primeira parceria com Aguinaldo Silva. A dupla ainda realizou Duas Caras (2007), Cinquentinha (2009), Lara com Z (2011) e Fina Estampa (2011).

Título

Aguinaldo Silva queria que sua história se chamasse Dinastia, em razão da família Ferreira da Silva. Como o título já estava registrado, Dona do Destino e Senhora do Destino entraram no páreo, sendo o segundo o favorito de Aguinaldo e Wolf. Uma terceira opção - Destino - foi escolhida, antes da confirmação de Senhora do Destino.

Trocas no elenco

Renata Sorrah deu vida à Nazaré Tedesco. Foto: Globo

Regina Duarte e Susana Vieira seriam Maria do Carmo e Nazaré, retomando os embates de Por Amor (1997) e Chiquinha Gonzaga (1999). Como Regina demorou a aceitar o convite, após pedir que Gabriela Duarte interpretasse Lindalva/Isabel, papel já destinado à Carolina Dieckmanm, Wolf sugeriu que Susana ficasse com a protagonista e Renata Sorrah com a vilã. Um dia depois, Regina aceitou fazer a novela sem sua filha na vida real, mas já era tarde. Anos depois, em entrevista nos bastidores do programa da Xuxa, a estrela revelou: "Gostaria de ter feito um papel que foi da Susana, que foi a Maria do Carmo de Senhora do Destino, uma novela que eu gostaria de ter feito. Um personagem maravilhoso, cheio de possibilidades".

Abertura

O elenco dividia espaço com 800 anônimos na abertura criada por Hans Donner e sua equipe. Enquanto as estrelas da novela são destacadas, Aguinaldo Silva aparece como os desconhecidos, em preto e branco. 

Cronologia duvidosa

Ao escolher situar sua novela em 1968, Aguinaldo confundiu o público na segunda fase. Apesar de conter elementos da década de 1990, carros, celulares e figurinos indicavam se tratar de uma trama contemporânea. Por fim, o autor acabou escrevendo uma novela atemporal.

Reconhecimento

Foto: Divulgação/Globo

Senhora do Destino foi o grande destaque nas principais premiações nacionais do período. Além de ser escolhida melhor novela, o sucesso também rendeu troféus em outras categorias. Renata Sorrah e José Wilker foram eleitos melhor atriz e melhor ator no Troféu Imprensa e no Prêmio Contigo. Nazaré ainda rendeu um APCA para Sorrah. Susana Vieira foi escolhida melhor atriz no prêmio Extra e no troféu Melhores do Ano, em votações populares. Marcello Antony e Leandra Leal levaram os troféus nas categorias de coadjuvantes do prêmio do Faustão. Leandra também foi eleita melhor atriz coadjuvante no prêmio Contigo, que premiou Raul Cortez na versão masculina da categoria. Aguinaldo e Wolf foram eleitos autor e diretor do ano na premiação da revista.





Comentários (6) Postar Comentário

Cida comentou:

Faltou citar que Fernanda Montenegro seria a Baronesa Laura, papel que acabou ficando com Glória Menezes


Fernando respondeu:

Além disso o título de Baronato ele não é hereditário, ou seja não passa de pai para filho, filho de Barão não é Barão. Esse título era uma honraria concedida pelo Imperador, como a queda do Império do Brasil aconteceu em 1889, o personagem do Raul Cortez teria que ter nascido antes disso para possuir o Título de Barão. Visto que a novela não faz nenhuma menção de que reinado ele recebeu esse título. Típico do Aguinaldo Silva, uma daquelas cafonices que ele bota na novela por achar chique, sem conhecimento de causa, para dar um ar de trama requintada a lá Gilberto Braga.


Dante comentou:

"Junto de novelas como Selva de Pedra (1972) e Roque Santeiro (1985), a trama escrita por Aguinaldo Silva é considerada um fenômeno de repercussão, além da audiência recorde." Colocar essa novela com clássicos como SdP e RS é um pouco demais...


Tabata Lee Vermont respondeu:

pode ser na sua visão , mas ela foi sim de uma repercussão enorme


Naldo comentou:

Faltou citar também que a Natália do Valle, melhor atriz brasileira, se recusou a participar dessa péssima novela.


julia respondeu:

A novela não é péssima e Natalia do valle nunca foi cotada para nenhum papel na novela



Viktor Didenko respondeu:

Natália, é você?


Hamilton comentou:

Faltou citar que Senhora do Destino nunca foi uma péssima novela e Natália do Valle, ótima, está longe de ser a maior atriz brasileira.

Mario comentou:

Regina Duarte, a maior estrela das novelas
Fernanda Montenegro, a grande dama das artes
Glória Pires, uma atriz fora do contexto
Cássia Kiss e Renata Zorrah, grandes damas da Tv.
E Suzana Vieira, pena que tem feito sua pessoa ficar maior do que seus papeis.
Eu colocaria Eva Wilma, que está esquecida pelos autores.

Rick Grimes comentou:

Ainda falam do sbt por rerererereprisar a usurpadora.
Globo prova que não tem como segurar sua audiência com novela melhor que a senhora do destino.

Veja também