O Planeta TV

Entrevista exclusiva com Gustavo Reiz, autor de "Sansão e Dalila"

Entrevista exclusiva com Gustavo Reiz, autor de "Sansão e Dalila"

Gustavo Reiz é ator, escritor, dramaturgo e autor-roteirista. Nascido em Niterói, em 18 de novembro de 1981, sempre destacou-se no meio teatral: tinha 12 anos quando seu primeiro texto foi encenado. Desde então, não parou de escrever e produzir. É autor de Bate coração, Confidências, confusões e... garotas! e Sonhos de umas férias de verão", também publicados pela Rocco. Trabalha freqüentemente para TV e cinema. Atualmente é autor contratado da Rede Record.

Confira a entrevista exclusiva com Gustavo Reiz, que comemora o sucesso da minissérie "Sansão e Dalila".

O Planeta TV! - Sua estreia em dramaturgia foi em "Os Ricos Também Choram" (2004), produzida pelo o SBT. Como foi a experiência na emissora de Silvio Santos?

Gustavo Reiz – Foi uma experiência ótima. Eu tinha 23 anos e estava em turnê com uma peça de minha autoria em São Paulo, quando fui convidado para fazer um workshop de roteiro com o Doc Comparato, no SBT. Já estudava os livros do Doc, trabalhar com ele foi uma honra. Desse curso, passei a trabalhar na emissora e fui convidado para colaborar com o Marcos Lazarini, em “Os Ricos também Choram”, ao lado de Aimar Labaki e Conchi. Foi um período de muito aprendizado, de muita dedicação ao trabalho. Todos foram muito generosos e fiz muitos amigos por lá.

O Planeta TV! - Em seguida, colaborou com Ana Maria Moretzsohn em "Luz do Sol" (2007), seu primeiro trabalho na Record. Como foi fazer esse trabalho?

Gustavo Reiz – Foi incrível. Primeiro porque me senti honrado em ingressar na Record num período em que o departamento de teledramaturgia estava a todo vapor, fazendo novos investimentos e movimentando o mercado de forma jamais vista. Fiquei orgulhoso em fazer parte dessa história. E trabalhar com a Ana foi uma grande realização profissional e pessoal. Já era admirador de seus trabalhos, como “Tieta”, “Pedra sobre pedra”, “Esplendor” e “Perdidos de Amor”. Em “Luz do Sol”, tive a oportunidade de fazer escaletas com ela, desenvolver cenas, resolver questões de produção, desenvolver sinopses etc. Foi como participar de uma universidade de teledramaturgia, com a autora mais generosa que já conheci.

O Planeta TV! - Como surgiu a ideia de produzir "Sansão e Dalila"?

Gustavo Reiz – Assisti “A História de Ester”, minissérie da Vivian de Oliveira, dirigida pelo João Camargo, com grande interesse. Fiquei bastante admirado com a bela produção e aceitei de imediato quando recebi o convite do diretor de teledramaturgia da emissora, Hiran Silveira, para desenvolver a sinopse de um projeto no mesmo gênero. Fiquei lisonjeado pela confiança em meu trabalho e muito instigado para adaptar uma história mundialmente conhecida, como a de Sansão e Dalila. Principalmente contando com a direção geral do João Camargo, que logo se tornou um grande parceiro.

O Planeta TV! - Onde buscou referências para adaptar a história?

Gustavo Reiz – Principalmente na Bíblia, mas não apenas no livro dos “Juízes”, que é onde está a história de Sansão. Também pesquisei em livros de História, em estudos já realizados, filmes e documentários.

O Planeta TV! - Qual a maior dificuldade de adaptar um texto bíblico para a teledramaturgia? Teve total liberdade para criar novos personagens?

Gustavo Reiz – Tive total liberdade para criar novos personagens, tanto que 30 foram criados, todos com suas histórias e conflitos. Mas tive uma grande preocupação em ser fiel ao original, para não frustrar o telespectador que já conhecia aquela história; a trajetória de Sansão é descrita exatamente como está na Bíblia. Criei as paralelas – como a trajetória de Dalila – para dar um ritmo dinâmico à minissérie e acentuar elementos como romance, drama, suspense e humor. Sansão é um personagem muito solitário, que deixa a sua tribo e segue seu caminho por vários lugares diferentes. Uma dificuldade foi lidar com essas distâncias e respeitar o tempo das viagens, de modo que as tramas paralelas pudessem se desenvolver e as andanças de Sansão não se tornassem momentos repetitivos e monótonos..

O Planeta TV! - A Bíblia é cheia de histórias curiosas que poderiam render boas minisséries. Você pretende fazer novas adaptações dessas histórias para a TV?

Gustavo Reiz – Sem dúvida, seria um prazer.

O Planeta TV! - Você ficou satisfeito com a escolha dos atores protagonistas da minissérie Sansão e Dalila?

Gustavo Reiz – Participei da escolha e fiquei muito satisfeito com o trabalho dos nossos atores. Todos se dedicaram muito aos personagens, se entregaram de forma muito verdadeira. Sobre os nossos protagonistas, só tenho a agradecer aos talentosos Fernando Pavão e Mel Lisboa por darem vida, de maneira tão intensa, aos personagens que convivi durante todo o ano que passou. Quando começamos a cogitar seus nomes, eu já escrevia pensando neles. E o resultado superou minhas expectativas – que não eram poucas! - pois me surpreendo e me emociono a cada capítulo que vai ao ar.

O Planeta TV! - Muita gente diz que Rafaella Mandelli roubou a cena na minissérie.
Você concorda?


Gustavo Reiz – A Rafaela é uma grande atriz, que brilhou na minissérie e fez um excelente trabalho – tais comentários só comprovam isso. Não haveria melhor atriz para interpretar a Ieda, esse personagem tão importante na vida de Sansão. Também já ouvi que a Juliana Lohmann roubou a cena, o Milhem Cortaz, o Miguel Thiré, a Thais Fersoza... É sinal de que o nosso elenco realmente fez um excelente trabalho.

O Planeta TV! - Uma das grandes cenas de "Sansão e Dalila" foi a luta entre o protagonista e o leão. Naturalmente foi uma cena muito difícil de fazer. Você gostou do resultado? Muitos críticos falaram mal. Como você reage às críticas maldosas?

Gustavo Reiz – Desde o início, sabíamos que os grandes feitos de Sansão não seriam simples para produzir. E nem por isso a emissora recuou, pelo contrário, procurou a melhor forma de executar o que estava no papel; passagens clássicas que serviam de referências para muitas gerações. Como não mostrar a luta com o leão? Como não mostrar Sansão carregando as portas de Gaza? A luta com os mil homens? São passagens muito emblemáticas e foi nisso que nos concentramos: na melhor maneira de contar essa história. Acredito que cumprimos, dignamente, essa missão; a história foi bem contada. As críticas são importantes para um aprimoramento, que deve ser buscado sempre. As maldosas e/ou tendenciosas não devem ser levadas a sério. Além de serem extremamente desrespeitosas com inúmeros profissionais envolvidos nas produções, elas também desrespeitam e subestimam a inteligência do telespectador, que percebe claramente os interesses por trás de algumas linhas.

O Planeta TV! - Na sua opinião qual o maior acerto da minissérie Sansão e Dalila? E o maior erro?

Gustavo Reiz – O maior acerto foi reunir tantos profissionais talentosos para apresentar ao público um trabalho com essa qualidade, numa época em que geralmente a TV está repleta de reprises. Foi uma atitude ousada da emissora, mas o fato é que isso movimentou os outros canais e o telespectador foi beneficiado. E é claro que houve erros, como em todo trabalho. E eles serão avaliados, discutidos, em busca do aprimoramento. Faz parte do processo.

O Planeta TV! - Como você avalia a atual audiência das novelas? Acredita que o público está mais exigente?

Gustavo Reiz – Não saberia afirmar se ele está mais exigente. Mas o fato é que ele tem mais opções. E também está mais participativo, tem mais ferramentas que o aproxima, de alguma forma, do que está sendo produzido. Os tempos mudaram e as telenovelas precisam acompanhar essas mudanças.

O Planeta TV! - "Sansão e Dalila" têm uma média de 12 pontos de audiência na Grande São Paulo. Como você avalia esse desempenho? Superou as expectativas?

Gustavo Reiz – Superou as expectativas e estamos muito orgulhosos desse trabalho. Atingimos a liderança nas principais regiões do país e não há melhor termômetro do que a resposta do público. Mas é claro que a expectativa continua até a exibição do último capítulo, quando Sansão derrubará o templo dos filisteus e dará por encerrada a nossa jornada.

O Planeta TV! - Qual é a sensação de conquistar a liderança da audiência em seu
primeiro trabalho solo?


Gustavo Reiz – É uma sensação boa, de dever cumprido. Fico feliz por todos os profissionais envolvidos e que merecem tal reconhecimento.

O Planeta TV! - Seu contrato com a Record vai até quando? Você tem algum projeto de novela?

Gustavo Reiz – Até 2014. Tenho muitos projetos e certamente novas histórias estão por vir, mas ainda estou focado nos capítulos finais de “Sansão e Dalila”.

O Planeta TV! - O que muda em sua rotina quando está escrevendo uma novela?

Gustavo Reiz – Na verdade, é quando trabalho em novela que estabeleço uma rotina. Geralmente acordo cedo para fazer escaletas e desenvolvo as cenas durante a tarde/noite. Dependendo da demanda, também costumo trabalhar de madrugada. No dia seguinte, antes de iniciar a escaleta, reviso o que foi escrito no dia anterior. É um processo muito intenso; a novela requer tempo, dedicação e muita disciplina. Se vier a inspiração, melhor ainda!

O Planeta TV! - É de sua autoria livros como "Confidências, confusões e... mais garotas!" e "Sonhos de umas férias de verão". Qual a diferença entre escrever um livro e uma novela?

Gustavo Reiz – Tenho quatro livros juvenis e estou escrevendo o próximo. O processo criativo pode ser parecido, quando as idéias surgem, os personagens começam a se desenhar. Mas na hora de passar para o papel é completamente diferente. O livro é um processo mais solitário, mais autoral mesmo. Não há limite entre o que pode ou não pode ser produzido, isso fica por conta da imaginação. Em novela ou minissérie, o autor tem que pensar numa série de fatores, como cenários, prazos, quantidade de cenas para tais personagens, ir à reuniões, tomar decisões importantes etc. São dois processos bem distintos. Gosto muito dos dois.

O Planeta TV! - Uma história com temas modernos, ambientada nos dias de hoje, te
atrai como escritor?


Gustavo Reiz – Sim. Na verdade, as boas histórias me atraem, independente do gênero ou tempo em que são ambientadas.

O Planeta TV! - O que você gosta de assistir na TV? Acompanha alguma novela?

Gustavo Reiz – Procuro assistir um pouco de todas, mas não chego a acompanhar. Assisto mais filmes e séries, como “Law&Order”, “C.S.I.”, “Brothers and Sisters”, “The Goodwife” etc, além de programas e documentários sobre História.

O Planeta TV! - Muitos autores escolhem essa profissão por que viam novelas quando jovens. No teu caso, que novelas ou minisséries te marcaram na infância/juventude?

Gustavo Reiz – Muitas. Gostava daquele universo criado nas novelas regionais, como “Tieta”, “Pedra sobre Pedra” e “Fera Ferida”, de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn, e Ricardo Linhares; e das praianas, como “Top Model” de Walther Negrão e Antônio Calmon. “Rainha da Sucata”, de Silvio de Abreu e “Perigosas Peruas” de Carlos Lombardi também me marcaram bastante.

O Planeta TV! - Quem são os autores de TV que você mais admira?

Gustavo Reiz – Ana Maria Moretzsohn, Aguinaldo Silva, Ricardo Linhares, Silvio de Abreu, Marcilio Moraes, Walcyr Carrasco e Miguel Falabella.

O Planeta TV! - A Record vai produzir a novela Rebelde, um original mexicano adaptado para o Brasil. Você, um dramaturgo brasileiro, acha válido a produção de histórias originais vindas lá de fora?

Gustavo Reiz – Se são produzidas aqui, adaptadas por nossos autores e interpretadas pelos nossos atores, não vejo problemas. Acho que há espaço para essas adaptações, desde que elas não substituam a produção de textos originais.

O Planeta TV! - Diante da repercussão da minissérie e dos elogios que vem recebendo, chegou a ser sondado por outras emissoras?

Gustavo Reiz – Sim.





Comentários (0) Postar Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Veja também