O Planeta TV

E se Vitória fosse exibida na Globo?

Trama de Cristianne Fridman poderia ser um sucesso estrondoso se fosse produzida por uma emissora mais competente.

Por: Emerson Ghaspar - Contato: emerson.ghaspar@hotmail.com

Trama de Cristianne Fridman poderia ser um sucesso estrondoso se fosse produzida por uma emissora mais competente.

Muito se falou nessas última duas semanas a respeito de Felizes para Sempre?, de Euclydes Marinho, em especial a excelente forma física de Paolla Oliveira, mas na verdade o que seria da minissérie dirigida por Fernando Meirelles sem o grande apelo sexual que movia a trama? Indiferente de gostar ou não da obra, vale ressaltar o texto da obra e o final surpreendente.

Se o sucesso de Felizes para Sempre? é marcado pelas cenas sensuais, o que dizer de Vitória, novela da Record que não consegue chegar ao telespectador médio. Não, não que a trama de Cristianne Fridman seja um primor, pelo contrário, começou bem próxima de Maria do Bairro, mas agora é um novelão de deixar outras novelas da Globo no chinelo. Vitória peca pela própria emissora em que é exibida.

Mal, mas muito mal divulgada, Vitória parece mais um tapa buraco na emissora que não valoriza seu próprio produto. Mas isso vem acontecendo há anos, desde que o canal dos bispos percebeu que é melhor investir em sangue de verdade, ao invés do cenográfico. Vitória, agora, tem um texto marcado pela grife Fridman, que mescla temas da nossa atualidade e polêmicos.

A trama dos neonazistas é um prato cheio para se discutir os próprios preconceitos. Os neonazistas, Paulão (Marco Pitombo) e Priscila, vivida muitíssimo bem por Juliana Silveira, é tudo que qualquer pessoa quer ser: bonitos e ricos. Mas será que a beleza compensa o caráter? Fridman constrói a trama sem rodeios e medos que qualquer autor poderia ter ao tocar em tal assunto. Sem demora, os preconceituosos, já investiram contra a protagonista insossa Diana (Thais Melchior), contra a mãe da neonazista, contra gays e nordestinos sem um pingo de pudor. Até ataque a ônibus de migrantes já teve. Esse núcleo é assim, realidade extrema, mas bem produzida para a TV.

Vitória tem de tudo para conquistar o telespectador: um romance conturbado por um falso incesto, um vilão obcecado bem construído por Gabriel Gracindo e núcleos paralelos bem construídos e delimitados. Entre essas tramas vale ressaltar a sutileza e a maneira como tem sido construída a trama de Zuzu (Lucinha Lins) e o mal de Alzheimer. Sem apelar para o lado emocional, transformando os portadores da síndrome em vitimas, Fridman tem trazido dramas reais, construídos de maneira sutil e sincera. É uma trama que vale a pena acompanhar.

Bem escrita, com boa parte do elenco afiado com seus personagens e uma direção segura, Vitória é uma trama ágil, contemporânea, que deveria ser exibida em outro horário e não competir com Império, atual folhetim da Vênus Platinada. A trama merecia melhor atenção do público, que deveria saber que há uma opção para quem quer algo diferenciado, mas que não foge do folhetim tradicional.

Se fosse na Globo, talvez a trama tivesse um reconhecimento do público, não que a Globo seja a única emissora capaz de produzir algo bom, mas duvido que algo tão bem feito ficasse em um horário tão ingrato. Mas Vitória está na Record e o que podemos esperar é que trama continue a nos surpreender. Biscoito fino reconhecemos de longe.





Comentários (20) Postar Comentário

Antônio comentou:

Se fosse na Globo provavelmente ficaria com o ingrato horário das 18h.

Luis Henrique comentou:

Vitória é realmente um novelaço. Trama ágil, sem muita enrolaçāo. Essa sim tem um ritmo alucinante e não merece a audiência que tem. Salve Cris Fridman.


RODRIGO MANFRED respondeu:

IMPERIO ERA UM LIXO TOTAL.........A SUA VERSÃO ORIGINAL SUAVE VENENO DE 1999 ERA MUITO MELHOR..........IMPERIO É COPIA MAL ELABORADA DE SUAVE VENENO E VITORIA SERIA DIGNA DE SER NOVELA DAS 9 DA TV GLOBO. ESPERO QUE UM DIA CRIS FRIDMAN SEJA AUTORA DAS 9 NA REDE GLOBO.........A RECORD É UMA DROGA, MAS VITORIA ME SURPREENDEU E FOI A MELHOR NOVELA DE 2014


Thânis Souza comentou:

Não gosto dessa novela. Prefiro Império .


RODRIGO MANFRED respondeu:

IMPERIO ERA UM LIXO TOTAL.........A SUA VERSÃO ORIGINAL SUAVE VENENO DE 1999 ERA MUITO MELHOR..........IMPERIO É COPIA MAL ELABORADA DE SUAVE VENENO E VITORIA SERIA DIGNA DE SER NOVELA DAS 9 DA TV GLOBO. ESPERO QUE UM DIA CRIS FRIDMAN SEJA AUTORA DAS 9 NA REDE GLOBO.........A RECORD É UMA DROGA, MAS VITORIA ME SURPREENDEU E FOI A MELHOR NOVELA DE 2014


Fabio Dias comentou:

ótima reflexão. Não vejo a novela, mas acompanho alguns comentários positivos. Realmente é uma pena a novela nesse horário. adorei Vidas em Jogo e Chamas da Vida.

Anallu comentou:

Vitória tem cara de trama de 18 hs mesmo. Mas acho que pela temática do neonazismo, a classificação indicativa não permitiria. Na Record, o horário ideal pra ela seria o antigo, o das 22h30.

wellington comentou:

pois novelao bom tem nome que é VITORIA

DIA comentou:

A galera desse site adora um "E se..." kkkkkkkkkkk

kÁTIA FLAVIA comentou:

A RECORD tem potencial, mas não valoriza a teledramaturgia. Tem várias falhas:
a) as novelas são longas demais, o que faz perder a essência
b) os atores são sempre os mesmos. O elenco da casa é muito pouco, o que dá a impressão de que as novelas são iguais
c) a emissora não sabe promover direito a novela.
d) não arriscam fazer uma obra diferente da concorrência. Vide tv Manchete, que na época em que a Globo só exibia novelas do eixo Rio Sâo Paulo, se atreveu a gravar uma novela no Pantanal. Pra atacar a rival, é preciso fazer a diferença, e não copiar

Marcos Vinicius comentou:

Meus filhos, prestem atençao !
em televisão não existe um fato isolado. Tudo faz parte de um processo. Cria-se um ambiente. Tudo que se desenvolve, é parte oriunda do núcleo que controla com arte, graça e por conseguinte o sucesso comercial. No caso da globo, isto é automático e irreversível quando se cria um projeto. Em se tratando da record, não existe uma linha mestra. Não há experiencia e não há maestria talentosa. Tudo não passa de um desejo infantil de (não importa quanto custe,) estar a caminho da liderança. Homens e cabeças que não criam e não se criam num processo limitado de conhecimento. Televisão exige : Norte de profissionais arrojados, preparados e concisos. Profissionais talentosos que não vestem a capa da vaidade e do orgulho e trabalham sério para obter resultados. Enquanto a Record existir sob a égide de bons pastores para a igreja e péssimos administradores de televisão, continuaremos a assistir fracassos como o de Vitória. Infelizmente.
Até que o tempo com sua lógica ensine que televisão é televisão. E não Igreja.

Marcos Vinicius. São Paulo

Fernando Oliveira comentou:

Novelas longas, mal divulgadas, elenco repetitivo e os mesmos ingredientes sempre marcam e muito mal as tramas da Record. PECADO MORTAL fez a diferença, assim como PROVA DE AMOR, A ESCRAVA ISAURA e algumas outras que foram grande sucesso. (Exceto Pecado Mortal que apesar de ser ÓTIMA foi injustiçada na audiência, assim como Vitória).
Vem aí a novela bíblica que pode ser um diferencial e também A Escrava Mãe. Vamos aguardar.

Veja também