O Planeta TV

"HIPERTENSÃO": O REALITY DESNECESSÁRIO E IMPUGNANTE!

Por: Jeferson Cardoso

"HIPERTENSÃO": O REALITY DESNECESSÁRIO E IMPUGNANTE!

Nesta quinta, 02, a Globo reestreou "Hipertensão", um programa vergonhoso. Não queria comentar sobre esse assunto, mas não consigo. Sinceramente, o que leva a Globo a produzir uma coisa dessas? É um reality show nojento, desnecessário e que explora – exageradamente – o esforço físico e mental do ser humano. E Glenda Kozlowski? Coitada! Parecia estar com medo, nojo, ou quem sabe, sentindo-se envergonhada de estar à frente da atração. A audiência, de 15 pontos, deveria ser festejada pela Globo. A tendência, anotem, é cair ainda mais.

Ídolos

Tenho certeza de que a Rede Record não abrirá mão de Ídolos, que garante ótimos índices de audiência. A emissora, meus quereedos, vive – e precisa – de audiência. O contrato com a Fremantle, criadora do formato, deve ser renovado, assim espero. A fase de auditório vem registrando uma média de 10 pontos, o mesmo que temporadas passadas. É a pior fase! No entanto, essa atual temporada do reality foi a melhor já produzida pela Record. Dos participantes que ainda restam, torço pelo garoto Israel Lucero, de 17 anos.

Passione

Um novelão! O capítulo dessa quinta foi divertidíssimo. Sim, Silvio de Abreu demorou para encontrar o tom, mas quando acertou... Ainda não é melhor que Caminho das Índias, mas tem de tudo para superar. Não estou gostando da atuação de Cauã Reymond e Reynaldo Gianecchini, por outro lado, Fernanda Montenegro arrasa e Gabriela Duarte impressiona. Os destaques são muitos e, não posso deixar de citar Cleyde Yáconis, que merece ser aplaudida de pé.

Respondendo leitores

O leitor Adalberto Thiago, do Espirito Santo, fez as seguintes perguntas:

1- Acredita no sucesso da próxima das 18 horas "Araguaia"?

- Não, mas torço para que seja. Walther Negrão surpreendeu em Desejo Probido, que foi uma ótima novela mesmo com baixa audiência. "Araguaia" tem sinopse simples, mas com os ingredientes que as donas de casa gostam. Só não sei se elas ainda assistem novelas como antes.

2- Acha que "Hipertensão" passará da casa dos 20, 25 mesmo sendo pra lá das 11 horas?

- Se Deus quiser não. Esse tipo de programa merece traçar. A Globo precisa acordar desse pesadelo e manter o nível de sua programação.

3- Quem teve um primeiro ano mais produtivo? Eliana ou Gugu em suas novas casas? Levando-se em consideração não só audiência, mas Faturamento, Popularidade, Respeito ao Público e etc.

- Veja bem, trocar o SBT pela Record foi a melhor coisa que Gugu deveria ter feito. Alguns consideraram trairagem, mas não é bem assim. O próprio Silvio Santos, na época, disse que seria a melhor opção para ele, percebendo que o SBT viria a passar por uma turbulência. Gugu tem gratidão por Silvio Santos, isto é fato. Na Record, Gugu foi lançado em um horário ousado e mais disputado, não deu certo e atualmente, às 16h, vem consolidando a vice-liderança com uma média de 10 pontos, o mesmo que registrava no SBT. Se bem que falar em audiência e comparar com um ou dois anos atrás, é complicado. Nesse intervalo, muitas coisas mudaram e as pessoas assistem menos televisão. Quanto à audiência, acredito que Gugu não perdeu nada. A popularidade, sim, foi prejudicada porque enfrentava o Pânico na TV!. Na verdade, na Record, Gugu ainda não se achou, apresentando quadros cansativos e desnecessários.

E Eliana? Bom, até hoje não consegui entender o que motivou a sua saída da Rede Record. Com ela, o Tudo é Possível era possível de se assistir. No SBT, Eliana consegue - com quadros populares - manter bons índices (entre 7 e 9 pontos). É praticamente o mesmo que ela registrava na Record. O programa não é bom, mas a apresentadora é esforçada e vem trabalhando para roubar público de Gugu, que apresenta fragilidade.

Resumindo: Tanto o programa de Gugu quanto o de Eliana precisam melhorar bastante. Os quadros apresentados por eles não chamam a atenção e, às vezes, irritam. Gugu precisa apresentar sua nova identidade, esquecendo os quadros lançados por ele no SBT.
Por fim, se tivesse que escolher – com muita tortura – o "melhor" entre as duas atrações, escolheria o de Eliana.

Abs.




Comentários (37) Postar Comentário

Matheus Oliveira comentou:

Olá Planetários tudo beleza?

HIPERTENSÃO- Bom considerei o reality uma mistura de BBB com No Limite. Sobre Glenda acho que ela se saiu bem, ela vem me surpreendendo, lá ela faz o que eu faria, ''aquela cara de nojo'', no mais minha nota é 7,5

ÍDOLOS- Mas é lógico que a Record vai renovar com a Frematle, o Ídolos é um dos melhores programas da emissora, e um dos que ´da mais audiencia, se a Record não renovar será burrice.

PASSIONE- Está muito boa, Silvio finalmente encotrou um tom certo pra trama.

PERGUNTAS:
O que está achando da nova Malhação?
O que está achando da reta final de Escrito nas Estrelas?
Você acha que é coerente Dalton e Lília par romântico?
Na minha opnião, não pois os dois com certeza não terão nenhuma química em Fina Estampa

Até mais planetários... E não deixem de comentar

Adalberto Thiago comentou:

Muito Obrigado Jefferson por ter respondido a todas minhas perguntas! Muito grato!

HIPERTENSÃO: É realmente uma mistura de No Limite com BBB, não tenho ainda uma opinião formada do reality mas vou continuar assistindo, ainda não vi nada de mais nele.

ÍDOLOS: É Realmente o único programa da Record que presta, está muito bem dirigido, apresentado e o nível dos finalistas está ótimo. Minha torçida é para o Chay, afinal ele é daqui do meu estado mas acredito que quem leva essa é o Israel, o menino CANTA MUITOOOOO!

PASSIONE: Novela não! Novelão! Não vejo a hora de começar a fase " Thriller" da novela!

Fábio Dias comentou:

:comemorando1: Olá!
Caminho das Indias superior a Passione? será? Dias desses você afirmou que Passione é a mais ágil desde a Favorita! Mesmo assim considera Indias melhor?

Quanto acha que Araguaia vai dar de média geral? sem querer ser ancioso! Aposto em 22 a 23 no máximo!

E Insensato Coração! Como acha que será a sua audiência? rsrs Acredito em 36 a 39 pontos

Resposta Jeferson: E o que tem haver uma coisa com a outra? Achar Passione mais ágil não quer dizer que seja melhor. Repito: Passione ainda é inferior, mas tem tudo para superar. Novelão!

Vinicius comentou:

Jornal do Brasil responde a Luiz Garcia
JB Online
DA REDAÇÃO - Em artigo intitulado 'JB', publicado na edição de 3.9.2010 de O Globo, o jornalista Luiz Garcia incorpora a cômica figura formulada pelo Embaixador Roberto Campos para caracterizar integrantes da pseudo-intelectualidade brasileira – o “arrognante”, personagem que mistura arrogância com ignorância.
A soberba recém-adquirida e a confortável superficialidade de Luiz Garcia são financiadas pelas benesses do oligopólio midiático a que serve.
Nos últimos dias, grandes jornalistas, como Miriam Leitão, analisaram profundamente a trajetória do Jornal do Brasil na TV Globo e no Globo. Outros, em vez de examinar a dinâmica tecnológica que fez o JB tornar-se o primeiro 100% digital do País, optaram por rememorar com nostalgia o JB dos anos 1950, 60 e 70.
Garcia, no entanto, em vez de analisar a evolução de técnicas e costumes, arroga-se ministrar lições de moral. O acidental professor de ética ensina: “o negócio do jornalismo tem uma característica rara e vital: é negócio, mas também é serviço público”. Como se essa característica não estivesse também presente em empresas de alimentação, remédios, hospitais, transportes, águas urbanas ou mesmo a padaria da esquina.
Que deve achar Luiz Garcia do (des)serviço público prestado à reconstrução democrática no país pela empresa a que fisiologicamente se ligou?
Talvez Garcia considere a mão que o alimenta, e a que agora Garcia retribui avassalado, o exemplo mais perfeito de ética jornalística e concorrencial. Ora, alguém com honestidade intelectual e mínimo conhecimento da história recente do País pode achar que a Globo ou O Globo são esses campeões da moral?
Os brasileiros não esquecem episódios desastrosos protagonizados pela empresa que sustenta Luiz Garcia. Nos anos 60 e 70, publicações como o Jornal do Brasil resistiram com altivez aos senhores da noite. Já O Globo cumpriu ordens obedientemente, às vezes com animação. Tornou-se o jornal preferido do governo autoritário.
O jornal de Luiz Garcia estampava em editorial no fatídico 1o. de abril de 1964, primeiro dia da implantação da Ditadura: “Ressurge a Democracia! Vive a Nação dias gloriosos“. Não surpreende se um Editorial como esse tenha sido escrito por Luiz Garcia.
Pretenso professor de moral, Luiz Garcia defende em seu artigo: “O jornal exerce o comércio de vender espaço para anunciantes, mas tem de fazê-lo segundo normas éticas”.
A etiqueta de Garcia o faz olhar para o lado quando seu jornal pratica o dumping e pressões quase criminosas contra anunciantes. Todo o mercado publicitário brasileiro sofre com a prática do monopólio. Por ele, impõem-se veículos “globais” a agências de publicidade e clientes. O Globo, ao exercer política de “exclusividade”, pratica níveis de descontos comerciais em que, caso o cliente anuncie em outro veículo, é ameaçado de retaliação.
As agências – e todos os outros veículos de comunicação no Brasil – são vitima dessa política, assim como dos incentivos dos veículos "globais". São as bonificações de volume, os conhecidos “BVs”, com prêmios em dinheiro – recompensa por determinados patamares de faturamento que atinjam. Espécie de aliciamento a que, constrangidas, as agências se submetem.
E pensar que Garcia, ao menos no nível do discurso, se arvora homem de supostos princípios de esquerda a que cosmeticamente abraçou em anos não muito distantes.
É um erro achar que Luiz Garcia seja alheio à “ética” concorrencial do jornal que o paga. Garcia, bastante conhecido no meio jornalístico por seu adesismo, é remunerado por uma empresa campeã do capitalismo cartorial.
E aí Garcia tem razão: de fato, o leitor não é bobo.
22:56 - 03/09/2010.
Jornal do Brasil - On line - É isso aí, Jeferson!

Luana comentou:

Não acho a fase de auditório a pior fase, pelo contrário é a que mais gosto, não gosto e da 1 a da seleção acho chato.

Éder comentou:

Não dar mais para comparar as novelas das nove de hoje com outras exibidas na década de 90, Silvio de Abreu e outros autores como Manoel Carlos, Glória Peres, e Gilberto Braga, conseguiram a façanha de escrever suas piores novelas desde de 2005 pra cá. observem que as médias destas novelas vem caindo uma após outra, quandose pensou que Passione segurasse os índices ela despencou mais ainda, consegue ter a menor média de uma novelas das nove, apenas 32 pontos nos seus primeiros 100 capítulos!!! o futuro não é nada animador :descabelado1:

João comentou:

Hipertensão = Horrível e desnecessário

Escrito nas Estrelas = Tá enjoativa no final

Ti Ti Ti = Hilária, faz a gente esquecer dos problemas por 1 hora.

Passione = Finalmente aconteceu, bons ganchos e ótimas cenas. Realmente a Gabriela tá muito bem. Não gosta das atuações de Gianechini, Kayky Brito e Tamy Dicalafiori. Aquela moça que faz a Frachesca é muito talentosa, gostava dela em Eterna Magia e a Juliana Didone merecia um papel de maior destaque.

Pergunta:

Você acha que a Record pode mesmo vir a dividir a transmissão dos jogos de Londres 2012 com alguma tv aberta?

Resposta Jeferson: Na TV aberta não sei, mas na TV fechada, com certeza. Abs.

Jota comentou:

Esses programas de adrenalina com coisas nojentas não faz o meu tipo. Me admiro ver uma emissora que preza por tanta qualidade dar espaço para programas de tanto baixo nível. E ainda colocarem seus bons apresentadores e jornalistas a passarem o ridiculo de apresentar um programa tão sem graça.

É delegar muito poder para o Boninho, que gosta dessas coisas nojentas, e por ser o maior diretor da Globo, coloca essas porcarias no ar.

E todos foram uma verdadeira M#####
JOGO DURO
NO LIMETE
E agora HIPERTENÇÃO

Nehum desses deu nada e eles ainda insistem em ter programas desse nível, o mais baixo.

Julianne Guimarães comentou:

"Hipertensão" é mesmo muito nojento, detesto estes realitys nesta linha. Coitada da Glenda, excelente profissional, tem que se submeter a esse ridiculo.

"Passione" é muito bom, mas ora me desagrada. Gabriela Duarte é desde o inicio um arraso, um espetaculo. Cauã Reymond é sempre péssimo, e em "Passione" ta pior, detesto Danilo com a Clara, estragou a vilã, que é perfeita. Reverencio tbm Cleyde Yacones.

Não acredito no sucesso de "Araguaia", espero me enganar, mas não acredito, elenco fraco nos protagonistas e a história de maldição é chata.

Prefiro Eliana do que Gugu.

abs.... :fui1:

Fernanda comentou:

PERGUNTA:
O que vc acha do Sílvio de Abreu querer transformar a Melina em vilã, quando 70% do público da novela, quer a Melina com o Mauro? (Ou queria, porque ele tá ficando tão chato, que deveria ir junto com a Diana pra Catanduva por um bom tempo..)!bj

Resposta Jeferson: Não suporto a Melina, pena que seu sumiço vai durar apenas alguns capítulos. Ela reaparecerá casada com Fred. Seria ela a primeira vítima? Rsrsrsrs.

Veja também